"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Esposa Safadinha ou Boazinha I


autor: Pampam
publicado em: 05/03/17
categoria: lésbicas
leituras: 5525
ver notas
Fonte: maior > menor


Bom, estou quase explodindo de tanta vontade quero contar minha vida íntima um pouco pra todos vocês caros Leitores.Foram tantos acontecimentos que fico meladinha só de relembrar.Então, espero que gostem e comentem o meu conto real. Só vou trocar os nomes para tornar nossa identificação mais difícil.
Meu nome é Pamela, tinha 13 anos namorava com a Ivonete que tinha 32. Eu e ela tínhamos um caso, foi assim que ela se separou do marido deixando ela com um filho 7 pra 8 anos na época do ocorrido foi em 2002.. Ivonete sempre foi viciada em sexo e era desejada por todos os homens do nosso bairro, desde a época que a gente namorava. Ela sempre tomava iniciativa pois por ser mais experiente que eu...Nos primeiros anos de namoro ela queria meter toda hora. Eu não podia passar na frente dela de shortinho que era motivo para partir com tudo pra cima de mim.
Até que, mais ou menos em 2005, começamos a brincar na hora do sexo.
- Ahhhhhhh... que delícia de buceta, Ivonete... ohhhhhhh... vou te foder gostoso, minha putinha... e depois vou meter meus dedinhos naquela sua amiga que veio aqui hoje! - eu falando no ouvido dela baixinho durante uma de nossas transas...batendo com força minha xaninha que se perdia na dela....rsrsrs
Nossaaaaa!! Eu estava com vontade de foder a Cristina, amiga da minha mulher... Quando eu falei isso ela cruzou suas pernas ao redor da minha cintura e me puxou pra mais perto do seu corpo...Fiquei completamente louca, com a buceta babando de tanto tesão socava violentamente naque lá posição por certa de quase umas meia horas... Ela dizia aos gritos e gemidos Sua safadaaaaa... ahhhhhh... cachorraaaaaaaa... sua vagabundaaaaaa... fode, Pamela... fode gostoso, minha menina... você quer comer a buceta da minha amiga, não quer?... come a minha pensando nela... ohhhhhhhhh...!! - me derreti todinha e tive um dos melhores orgasmos da minha vida em cima daquele mulherão...
Minha esposa havia ficado tão excitada por ter falado aquilo ao aceitar a brincadeira que ela não conseguiu mais segurar e gozou gostoso juntinho comigo, deixando a xaninha toda babadinha com o meu melzinho. Dormimos abraçadas e felizes. Pela primeira vez via um brilho de desejos diferente estampado em seu olhar.... Nos dias que se seguiram, as nossas transas foram ficando cada vez mais safadas e quentes. A gente agora só fodia falando sobre a amiga da minha mulher. E eu gozava várias vezes. Bastava eu falar que ia enfiar os meus dedos na buceta da amiga de minha esposa, que ficava indo pra nossa casa com aquela calça de ginástica, aparecendo aquele capô de fusca gordo.
Eu ficava louca de tesão e mordia minha mulher todinha, beijando sua boca e com ela me pedindo foder com mais força ainda. Que loucura! -Ohhhhhhhhhh... meu bem... sum safadaaaaa... fala o que você tem vontade de fazer com a minha amiga... fala... cachorraaaaaaaa... gritava toda descontrolada ohhhhhhh!! - ela gemia igual uma quenga, daquelas bem putinhas mesmo.
- Eu queria foder aquela bucetona dela, Ivonete... minha mão coça de tanta vontade de passar a mão bem gostoso naquela safada, de meter um tapao na bunda dela!! Ivonete falava para eu castigar sem dó aquela bucetona gostosa. Quando eu ouvia aquilo deixava ela toda melada tanto que lambuzava a bucetona dela com todo meu melzinho que escorria de dentro de mim.... No dia seguinte, quando a Cristina chegava na minha casa pra conversar com minha esposa, percebia que Ivonete ficava com o coração batendo forte, com medo de fazer aquilo que havia dito na noite anterior. Com certeza se eu fissese isso a cara da minha mulher iria rachar de vergonha se eu chegasse e metesse a mão na bunda da amiga de minha mulher, pois eu não saberia a reação dela. Entao me comportei e continuei mexendo no computador.
O pior é que isso me dava um tesão tão grande que quando chegava à noite, eu transava com minha esposa e judiava daquele bucetao gostoso durante quase a noite toda...Ivonete ao delirios mete, Pamela... mete gostoso na bucetinha da Cristina... você está metendo nela, está?... você está fodendo a rachinha da minha amiga?... ahhhhhhhhh... sua safada... ohhhhhhh... meu deussssss... me fode... me fode...!! - ela gemia como louca e eu no meio das pernas dela batendo minha xaninha na dela, provocando-a cada vez mais.
- Sim... sua safada gostosaaaaaa... vou meter gostoso na Cristina igual meto em você... minha cachorrinha safadaaaaaa... vou foder a buceta dela bem na sua frente, Ivonete... e vou gozar naquele bucetaoassim como gozo em você ... ahhhhhhhhh... que delícia, amor...vem por cima de mim e rebola ... rebola!! - nós mudavamos de posições e eu empurrava para mais perto de mim cada vez mais forte, e ela ia à loucura e aos delírios... Um belo dia eu combinei com minha mulher de irmos a um baile Funk. Pedi que ela convidasse Cristina pra ir com a gente e ela topou na hora. Nossa!! Minha mulher estava arrasando, com uma calça bem apertada e um blusa bem justa. Chegamos no baile e logo começamos a dançar.
Minha mulher reparou que eu olhava muito e descaradamente para Cristina, sem que ela percebesse, é claro. Meus olhares de tarada passeavam pela seios dela, pela bunda, e pelo volume de sua buceta naquela calça apertada. E eu só observa elas dançando e minha buceta ia ficando toda molhadinha, com muita vontade de subir naquele bucetao de Cristina e foder até ela não aguentar mais.Ficamos um tempão dançando, eu minha mulher e Cristina...As observando muito descarada.Com certeza ele estava pensando em como seria gostoso meter na minha amiga. Depois de um tempo resolvemos vir embora e entramos na fila da porta da saída. Minha mulher foi na frente, eu atrás dela e a Cristina em seguida atrás de mim . Logo saímos do baile e fomos embora para casa pois elas estavam muito cansadas de tanto que dançaram... deixamos Cristina primeiro pois ela morava um pouco afastada de nossa casa assim que desceu do taxi...demorou alguns minutos chegamos, descemos do táxi paguei o taxista e logo em segui entramos na nossa casa. Depois da Ivonete ter dado uma olhada no filho dela e ver que estava tudo bem com ele a gente foi para o nosso quarto. Mal entramos e a Ivonete já foi tirando a minha roupa. Eu dizia olhando pra ela:
- Tenho que te contar uma coisa... vem aqui, vem...! - eu sussurrei no ouvido dela. Bastou isso pra ela ficar louca de vontade de trepar. Ela sabia que eu iria falar alguma coisa sobre Cristina. Me deitei na cama e ela já pulou em cima de mim.
- Fala, amor... fala... minha menina!! - continuação no próximo capítulo , espero que tenha gostado um cheiro caros Leitores



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.