"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Trepei com o filho do amigo do meu marid


autor: wk1wk2wk3wk4
publicado em: 18/01/17
categoria: traição
leituras: 7979
ver notas
Fonte: maior > menor


Me chamo Raquel, Raquel da buceta gulosa. 40 aninhos, mais ainda dou um caldo, casada a 5 e cada vez mais unidos no amor e principalmente nas putarias, tenho peitinhos grande que ficam durinhos ao menor sinal de pica, assim como um rabão guloso.

Vou contar a continuação da viagem a Maringá. Quem quiser saber com começou lei “Primeira vez na boléia de um caminhão”. Chegamos bem cedo na casa do amigo do meu marido, lá penas 8:00h, amigo de época de criança e que fizeram faculdade de engenharia juntos. Amigo dele era bem aparentado, gostosinho mesmo, mas tinha uma mulher muito gostosa, daquelas polacas que se encontram no paraná. Até eu que não gosto da fruta tenho que confessar, aquela ali tem muita areia, mais o filho deles de 17 anos, um garoto muito tímido, que mal falava.

Papo vai, papo vem e lá pelas 11:00 eles resolveram ir almoçar na casa de uma migo deles. Eu, como estava cansava falei para o marido que queria dar uma cochiladinha, pois não tinha dormido a noite inteira. Eles então foram, tomei um banho rapidinho para tirar o suor, kkk, e eu fui para o quarto dormir.

Do quarto ouço uns barulhos ao lado, sai e fui ver era o garoto Carlos (Fictício) que estava desenham algumas coisas num cavalete. E o garoto desenhava muito bem. Cheguei perto dele e comecei o puxar papo sobre os desenhos e tal. Ele foi me mostrando alguns desenhos, uns de mulheres com os seios de fora. E vcs sabem como me excito fácil. Eu sozinha naquela casa com aquele novinho não ia dar certo:

Eu: - Que desenhos lindos, onde vc busca inspiração para desenhar essas mulheres gostosas?

Carlos: - A gente vê na internet.

Eu: - Nossa, vc desenha muito bem, não convenceu nenhuma amiguinha a posar para você. – Ele ficou vermelhinho e deu risada. Com certeza não tinha coragem de pedir, se fosse por ele o papo acabava ali, mas eu não desisto fácil.

Eu: - Vou já viu seios grande assim de verdade?

Carlos: - Não, claro que não. Só na internet.

Eu: - Se você quiser posso lhe mostrar. – O garoto de vermelho ficou pálido.

Eu: - Quando tempo demora para você fazer um desenho desses?

Carlos: - Mais ou menos umas 4 horas.

Eu: - Mas assim, só o rascunho, em quanto tempo vc consegue?

Carlos: - Acho que uns 30 minutos dá para fazer um esboço.

Eu já imaginando que daria tempo, pois meu marido e pai deles tinha saído a pouco tempo, falei:– Então Carlos, faz um desenho meu. Mas quero um desenho igual esse aqui. – Era uma mulher sentada no banco com os peitões de fora, estilo manga. Para minha surpresa ele topou. Na mesmo hora tirei o vestido, mas como sempre não tinha nada embaixo, estava nuazinha com a buceta raspadinha. Como se nada tivesse acontecendo puxei um banquinho que ele usava para sentar e desenhar e me sentei, cruzei as pernas e me pus de lado com no desenho.

Ele começou a desenhar, mas vi que tremia mais que vara verde. Mas o desenho era o que menos importava. Perguntei a ele: - Carlos, você é virgem?

Carlos: - Não tia (isso mata a gente, kkk, mas isso é que dar querer pegar novinho), já comi uma garotinhas ia, mas nunca foi tão fácil assim, geralmente dá trabalho. – É lógico que ele falava isso, mas na total insegurança.

Garotão safado, já estava querendo me comer então. Kkkk. E é claro que es estava querendo dar, sabe onde isso vai parar.

Eu: - Então Carlo, meu marido me libera para transar com outros homens, então pode vir sem problema, só acho melhor vc nunca contar isso para seus pais, ok.
Carlos, já mais animadinho: - Tudo bem.

Eu então me deitei na cama dele, abri as pernas e: - Vem, vem chupar sua tia putinha.
Ele então caiu de boca. Cara, como aquele garoto chupava bem, lambia de leve o meu clitóris e dava pequenas chupadinhas que ia a loucura. Em uns 5 minutos estava gozando na boca do safado.

Eu: - Caralho, como vc chupa bem. Onde aprendeu isso garoto.

Carlos: - A senhor pensa que porque a gente é do interior não sabe trepar. – Já vi que eu analisei mal, achando que o garoto era virgem, mas acho que ele era é comedor. – Agora a senhora vai ver como é trepar aqui no Paraná.

Me pós de quatro na cama dele, e caiu de boca no meu cuzinho. Aiiiiii, como adora homem que chupa o me rabinho. Só me abaixei deixando o rabo e a buceta para ele usar e abusar.

Carlos: - Tá gostando, Tá?

Eu: - Chupa mais o meu cú, chupa. – E ele enfiava a língua durinha no meu rego. Me arrepia toda só de lembrar.

Carlos: - Agora a senhora vai ver o que é rola no cú. – O danado abaixou o shorts e surgiu uma bela de uma piroca de uns 16cm, que sem dó meteu no meu cu. Eu tenho vergonha de pedir para esses jovenzinhos colocarem camisinha, estou errada eu sei, mas fazer o que.

O danado socou forte a pica no meu cuzinho que entrou só com as salivadas que ele tinha deixado. Depois foi só no vai e vem, vai e vem no meu rabo, e dali a pouco ele tira a pica para fora e goza aquele esperma farto e quente nas minhas costas. Oooo delicia!
Me deitei ali na cama, com o rabo ardido, mas muito feliz. Queria dormir ali mesmo, pois estava morrendo de sono. Mas imagina só os pais deles e meu marido aparecendo ali. O que iria falar?

Carlos: - Espere ai tia, vou fazer uma tatuagem em vc. É apenas de canetinha, sai rápido.

Eu: - Pode fazer, faz uma em homenagem ao corninho, ele vai adorar a surpresa.
E assim, ele passou um papel para limpar a porra do meu rabo e começou a desenhar algo na minha bunda, que depois vi que eram duas pimentinhas, uma para cada lado, embaixo de cada pimenta: “bunda”, “de puta”. Bem safadinho o garotão. Me levantei, olhei no espelho, dei risada e pedi para ele fazer uma nos meus seios: “teta”, “de vaca”. Ficou lindo. Me sentei na beira da cama e pedi para ele fazer uma dedicatória a minha buceta. Ele então escreveu: “Esta buceta quente já foi comida por Carlos XXXXX” e um fogo em cima. Bem pertinho da danada. Eu li, e rindo falei: - vc comeu o meu rabo e não minha buceta.

Carlos: - Vou comer agora titia. – Me pôs novamente de quatro. Como homem safado gosta de comer mulher de quatro igual cadela, viu – e socou na minha xoxota, que a essa hora já estava mais que lubrificada. – Gozei loucamente na pica desse garoto.
Estava exausta, me deitei e descancei um pouco, mas não antes pedir para ele trazer aquele piroca mole para eu chupar. Aproveitei e tirei uma fotinho que mandei pelo Watsapp ao corninho com a dedicatória: “Mozinhão, sua esposinha indo dormir”. O safado do Carlos ainda tirou outras das homenagens que ele tinha feito. Imagino só como deve ter ficado dura a pica do meu maridinho quando ele recebeu aquelas fotos. Depois de tudo isso fui dormir.

É Claro que a putaria não acabaria ai, mas como o conto está ficando grande deixo o restante par ao próximo.

Uma coisa que descobri depois que virei putinha é que é muito fácil para uma mulher trepar todo dia. Se ela for um pouquinho safadinha consegue dar de manhã, de tarde e de noite. Como tem homem safado nesse mundo!!!.
Beijos a todos. Vcs sabem onde.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.