"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Rapidinha no elevador


autor: babyblue
publicado em: 05/11/16
categoria: hetero
leituras: 48068
ver notas
Fonte: maior > menor


Essa coisa de escrever contos tem sido algo extremamente interessante. Alguns são fidedignos, outros uma junção de momentos e fantasias.

Seja como for, me obriga a relembrar coisas que há muito não pensava. Como já relatei aqui, perdi minha virgindade com meu primeiro namorado. Ele tinha a minha idade (18) e não era muito experiente. E isso tinha um lado espetacular, estávamos determinados a fazer tudo e em todos os lugares juntos.

Certa feita fomos ao prédio dos meus primos, de onde iriamos depois para a praia. Esse prédio é antigo, da década de 1970. Dentre as características de seu tempo, tinha o elevador, que paraba entre andares e tinha um botão de emergência no painel.

Sexo no elevador era algo que estava no início da nossa "check list", por ser difícil de fazer sem ser interrompido e pela adrenalina pela possibilidade de sermos surpreendidos.

Fomos à praia com meus primos, curtimos o sol, o mar, as comidas e o papo. O dia foi passando e já estava maquinando uma desculpa para voltarmos mais cedo que os demais.

Como queria surpreendê-lo, não combinei nada com ele, o que deixava a mentira bem mais complexa.

Disse que o sol estava me deixando com enxaqueca e que precisava sair dali (de fato tenho enxaquecas fortíssimas), o que convenceu a todos.

Ele super cuidadoso comigo, me deu seu óculos de sol e fomos caminhando para o prédio. Até entrarmos no elevador, estava com a mão na têmpora, fazendo cara de dor.

Apertei o botão do quinto andar e esperava agoniada que aquela porta fechasse logo antes de vir mais alguém.

O elevador começou a subir e quando vi que ele estava entre dois pavimentos, apertei o botão de emergência.

Ele me olhou com uma cara de susto, pois não entendia porque eu tinha feito aquilo e como minha expressão havia mudado tão rapidamente.

Em vez de uma feição de dor, o olhava com malícia. Acho que ele só entendeu o que eu estava aprontando quando me aproximei dele e dei um beijo intenso.

Nisso ele já começou a tirar o meu biquíni, enquanto eu baixava sua sunga. Beijei seu corpo inteiro, de cima para baixo, até que fiquei de joelhos.

Punhetava aquela pica em minha boca e o ouvia gemer de tanto tesão. Sempre me excitou sentir um pau crescendo, endurecendo e pulsando em minha boca.

Quando o senti do jeito que queria, levantei e me curvei em direção a porta do elevador.

Ele entendeu o recado na hora. Imediatamente já sentia a cabeça do seu pau em minha buceta.

Estava louca para sentir ela toda dentro de mim e o sacana ficou me provocando. Encostou a cabeça no meu clitoris e ficou batendo punheta.

Aquilo me deixava cada vez mais enlouquecida de vontade. Rebolava pra ele e a provocação não acabava.

Não me controlei e com um impulso nos braços, empurrei meu corpo contra o dele.

Senti ele entrar todinho dentro de mim de uma vez só.

Em retaliação a minha iniciativa, ele me agarrou pelo quadril e metia cada vez mais forte.

Gemia enlouquecidamente. Se alguém esperava o elevador em algum andar, sabia exatamente porque ele estava parado.

A cada estocada que ele me dava, sentia-o mais fundo e arqueava meu corpo cada vez mais. Ao me ver toda empinada, ele continuou metendo forte e agora brincava com meu cu.

Sentia seu dedo, melado de sua saliva, contornar e apertar meu cu. Aquilo enlouqueceu os dois. Não aguentamos muito e gozamos juntos.

Essa rapidinha foi tão intensa que minhas pernas tremiam. Me levantei, me vesti e ele fez o mesmo.

Respirei fundo e apertei novamente o botão de emergência. Quando vimos o elevador subir, nos olhamos e rimos de satisfação.

Entramos no apartamento e fui logo tomar banho. Em menos de 5 minutos meus primos chegaram e perguntaram por mim.
- ela está no banho.
- Ainda?
- Vocês sabem quando ela está com enxaqueca, toma banho por uma hora né?

Sai do banho com uma cara beeem feliz e ninguém entendeu nada. Eu já tinha esquecido completamente da mentira!

- Nossa, esse banho te fez bem heim?
- Foi mesmo, tudo que eu precisava era ficar debaixo d'água.







ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.