"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Saindo da friendzone


autor: Mineirosafado
publicado em: 28/07/16
categoria: hetero
leituras: 2369
ver notas
Fonte: maior > menor


Olá amigos. Tudo tranquilo?

Vamos la

Época de escola, adolescência, sempre temos muitas amizades e comigo nao foi diferente.
Essa amizade, que tenho até hoje, me fez ver que essas bobagens de friendzone, nao existe quando o homem sabe se impor.

17 anos, 3°ano do ensino medio, conheço e estudo com Lais desde a 4° serie do ensino fundamental. Sempre tivemos uma amizade incrível, limpa, e muito sincera.

Lais sempre me contava sobre seus rolos, suas paixoes e desejos, e eu dava conselhos, ajudava, dava opiniao sobre tudo.

Você, que se considera na friendzone por alguma garota, preste bem atençao neste conto.

Sempre que tinha oportunidade, eu jogava um charme pra Lais, que sempre escapava com a velha desculpa "somos so amigos, isso pode estragar a amizade".
Com o tempo a vontade de ficar com ela foi passando, e foi quando iniciei minha vida sexual, bem ativa por sinal. Fomos crescendo e nossas conversas ja nao eram mais sobre beijos e paixoes infantis, quase sempre o papo era sexo.

Lais sempre me contava as suas alegrias e frustaçoes no sexo, eu sabia com detalhes toda sua vida, seu ponto fraco, o que ela mais gostava na cama, e claro usei isso mais tarde.

Anos se passaram e nao tive mais interesse fisico em Lais, so que o destino sempre nos pega de supetão. Ao chegar na escola, como sempre fazia, eu ia cumprimentar a todos os amigos, e Lais ainda nao tinha chegado. Quando vejo ela passando pelos portões, fiquei de boca aberta.
Lais com uma calça preta dessas de academia bem colada, um blusinha levemente decotada valorizando seu pequenos seios. Lais era baxinha, por volta de 1,50, bunda grande e empinada, barriguinha sequinha, e seios pequenos, mas pareciam deliciosos.

Dei um abraço de bom dia em Lais, e notei expressao de tristeza, e perguntei o que estava acontece. Entao ela disse:

"Ah, voce sabe ne. Ja estou cansada desses homens que so me veem com intençao de sexo. E o pior e que me pegam, gozam em 5 minutos e me deixam la cheia de fogo"

Mesmo com anos de amizade e várias conversa sobre sexo eu nunca tinha reparado o quanto Lais era safada. Foi ai que minha vontade de ficar com ela voltou.

Nossa primeira aula era educaçao fisica, e eu fiquei apenas a observar Lais jogar vôlei com as meninas. Sempre que ela se abaixava contra o sol, aquela calça esticava e dava pra ver claramente sua bunda e sua calcinha fio dental verde. Nao pude conter minha ereção e me afastei pra nao ser notado.

Passei a frequentar muito a casa de Lais, ja que sua mae me viu crescer e gostava muito de mim, eu fazia questao de ir enquanto a mae dela estava trabalhando e ela ficava sozinha.

Certo dia descemos juntos da escola e ela me pediu para ajuda-la na faxina, e aceitei sem problemas. Pedi pra ela ir ate minha casa pra eu trocar de roupa. Cheguei la como sempre fazia, eu ja jogava a mochila sobre a cama e tirava a camisa de uniforme. Nessa epoca eu era todo saradinho, barriga definida, braços fortes, peitos abertos. Lais me olhou com certo ar de sacanagem e disse:

"Nossa, nunca tinha te visto por esse ângulo"

Eu apenas ri, e me troquei. Fomos pra sua casa. Chegando la ela me disse que iria colocar uma roupa pra fazer faxina e fiquei no sofa vendo TV. Como se fosse sua mae no sofa, Lais saiu do quarto de calcinha e sutiã toda a vontade caminhando ate o banheiro. Foi aquela cena aonde a gente quase quebra o pescoço.

Lais voltou com um short na mão, parou perto de mim e se vestiu. Eu fiquei congelado e Lais disse:

"Que foi? Pq vc ta paralisado ai?"

E eu respondi:

"E que eu nunca te vi por esse ângulo"

Lais disse:

"Para ne. É praticamente como se eu tivesse de biquini. E você e meu amigo, nao teria outras intençoes comigo ne?"

Por um instante passou um filme em minha cabeça. Lembrei de tudo que passamos juntos, todas as conversas, as frustaçoes de Lais com outros homens, e como eu tinha dito, eu sabia de tudo que ela gostava.

Sem dizer nada, me levantei e fiquei em frente Lais, ela me olhando sem entender, dei um beijo daqueles de filmes romanticos, que a gente fica ate sem folego.

Lais em momento algum tentou se livrar, me fazendo entender que estava gostando.
Ao acabar, ela disse:

"Porquê você fez isso?  Por favor nao quero que  nossa amizade se acabe, vai embora"

Eu percebi que de qualquer forma, nossa amizade ja estava estremecida, entao so me restava terminar o que comecei. Beijei Lais novamente, desta vez me lembrando das coisas que ela gostava, dando suaves mordidas nos lábios, Fui passando pra seu pescoço, e por último sua orelha, eu sabia que depois de mordidas orelha ela nao ia resistir. Aproveitando estar mordendo sua orelha, e eu sabendo que ela adorava sussurros ao pé do ouvido eu disse bem baixinho:

"Hoje voce e minha. Nada que voce fizer pode me impedir. Eu sei todos os seus pontos fracos"

Lais que ate aquele momento ficava com as maos em meu peito na tentativa de me empurrar pra traz, agora usava suas unhas pra me puxar ao encontro dela.

Ela ainda de sutiã, com o short recem colocado mas nao abotoado. Tirei seu short, peguei Lais e encostei na parede, eu estava segurando por baixo de sua bunda e ela entrelaçava suas pernas sobre minha cintura. Era uma posiçao maravilhosa, minha rola ficava em contato direto com sua butecinha fogosa, Lais mesmo tirou seu sutiã, e eu cai de boca. Seu seios pequenos, parecem ser feito sob medida pra minha boca. Eu coloca a boca toda em seus seios dando xupadas e movimentando rapidamente a lingua, deixando Lais pulsando de tanto tesão.

Como eu sabia que Lais odiava um boquete nao tentei, mas nada me impedia de fazer nela. Ainda segurando ela contra a parede a carreguei ate a mesa de jantar que estava proxima, me ajoelhei no chao e mandei a ver. Eu chupava, lambia, mordia, enfiava minha lingua até o limite. Lais ali sobre a mesa, pronta pra ser meu almoço, nao demorou e eu senti seu doce mel.

Lais com cara de quem queria ser fodida ate inchar, me levou ate seu quarto, me deitou em sua cama, e subiu em meu mastro. Ela ficou a cavalgar por varios e varios minutos, parecia nao se cansar, eu estava a ponto de gozar e anuncei.

Lais entao rebolava mais rápido, me levando a gozar de uma forma sensacional, minhas pernas se afrouxaram e eu estava sem forças e Lais vendo isso disse:

"Nem adianta. Nao me provocou? Agora vai ate o fim".

E então ela volta aumentar os ritmos, dando reboladas incriveis em minha rola, minha disposiçao voltou e entao me sentei, eu sentado na beira da cama apertando e levantando Lais sobre meu pau, novamente agarrei ela por baixo da bunda e segurando no alto, eu sabia que ela adorava essa posiçao, entao ela se deleciava toda. Eu olhava pra Lais, seus olhos fechados, com um sorriso de quem queria muito fazer um sexo daquele jeito.
Ela anunciou seu gozo e rapidamente vi seu mel escorrer sobre meu pau.

Eu queria gozar de novo, entao me deitei, coloquei Lais de costas em cima de mim (que posiçao incrivel), eu podia ver pelo espelho a nossa frente meu pau entrando e saindo, dei fortes socadas e Lais começou a ajudar, cada vez que eu tirava o pau ela vinha com tudo fazendo aquele barulho como se fosse um tapa, e a cada tapa desses eu sentia o limite da sua bucetinha.

Eu estava muito perto de gozar, entao disse pra Lais:

"Vou gozar, quer que goze aonde?"

Lais resondeu:

"Goza nos meus peitos, seu puto. Me deixa sentir essa porra quente"

Tirei meu pau, Lais se ajoelhou em direçao a ele, eu com intençao de gozar em seus peitos, acabou que os jatos eram tao fortes que algumas cuspidas foram em sua boca queixo e bochecha. Então comecei esfregar meu pau em seus peitinhos melados, ela apenas olhava, e como ultimo ato, Lais pegou meu pau com a mão, olhou bem nos meus olhos e deu uma chupada bem na cabeça. Fiquei louco.


Entramos no banho, eu ainda tava cheio de tesão e nao conseguir impedir minha ereçao no banho com ela. Ela disse para encerrar por ali, mas como quem nao quer nada, ela jogou o sabonete e se abaixou pra pegar. Eu apenas enfiei e dei algumas bombadas rápidas, mas ela disse pra continuarmos outro dia.


Bom, saimos do banho, fizemos a faxina, depois de tudo exaustos, fizemos uma pipoca pra ver um filme e sem perceber adormecemos juntos em um colchao de solteiro. Ao acordar ja com sua mae em casa, Lais entao me olhou e disse:

"Eu pensei em uma coisa. Somos muitos amigos, e sempre sabemos como um ajudar o outro. Entao voce aceita namorar comigo?".

Eu meio bobo com as palavras respondi que sim.

Nosso namoro durou cerca de 5 meses, e terminamos porquê vimos que nossa sinergia era apenas na amizade e no sexo. Somos amigos ate hoje, e as vezes com minha esposa do meu lado, Lais vem me cumprimentar com um abraço e sempre que me abraça diz:

"Nao fica de pau de duro. Sua mulher pode desconfiar que voce ainda tem tesao em mim"

Claro que é tudo uma brincadeira, mas sempre fico de pau duro.


Obrigado mais uma vez por lerem.

Quem puder escolher o proximo conto eu agradeço.

O proximo conto pode ser sobre minha vizinha de prédio, ou sobre minha prima.

Espero a escolha de vocês.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.