"Os mais excitantes contos eróticos"

 

meu sonho com A.


autor: boavida
publicado em: 24/05/16
categoria: aventura
leituras: 3105
ver notas
Fonte: maior > menor


Sonhei com uma viagem no elevador que só desce, deve ser o único elevador no mundo que desce para o paraíso. Entraste acompanhada com um rapaz e depois de o beijares ele levou a tua cabeça ate ao seu pau já fora das calças e o teu rabo ficou encostado ao meu pinto, ia dar mais espaço para vocês mas o rapaz disse que já não aguentava mais e o soltaste da tua boca e viraste rapidamente aquele pau para a porta. Ele sentou-se no chão e adormeceu.

Ele é rápido em tudo, disseste. Sorri e tu disseste "Olá!" piscando o olho, começamos a falar e ao fim de dois minutos as nossas mãos tocaram-se por acaso, tu ainda reclamavas com o teu companheiro e disseste que tinhas de arranjar um homem mais velho. Eu perguntei se podia me inscrever. Rimos. Voltaste a aproximar o teu rabo do meu pau. Não sei como, já estávamos nus e acariciávamos os nossos corpos, beijavamo-nos, eu disse para levantares a perna mas tu disseste que preferias no cuzinho.

- Vira-te ! - disse eu e entrei muito devagar depois de passar os dedos pela minha boca e molhar a cabeça do meu pau, e fui entrando muito devagar.

- Adoro isso, bem devagar... aguentas? – Perguntaste.

Perdi a conta das vezes que entrei e saí. Tu, por vezes, gritavas baixinho. Eu continuava a afastar as tuas nádegas, até dizer que não aguentava mais e o meu pau cada vez mais latejava dentro de ti e explodi.

- Quero repetir, pode ser? – Ouvi-te dizer com uns olhos sorridentes.

- Outra? Já? – Respondi um pouco assustado. - Não pode ser amanhã?!

- Ai!... agora deu uma vontade!...

Agarrei no teu sexo, abriste a boca e fechaste os olhos, encostei os meus lábios nos teus um segundo e afastei-me dois milímetros, molhaste os lábios à espera de algo.

Entrei em ti com dois dedos, suspiras, perguntei se gostavas e respondeste que não, pois na verdade adoravas! Rimos. Pus uma mão no teu seio e continuava o movimento de vai e vem com os dedos no teu sexo. Abriste as pernas e procuravas a minha boca com os teus lábios, eu fugia. Sorrias e não abrias os olhos.

- Fodasse! Dá-me esse pau! - Ordenaste. Entrei rápido e de uma vez, parando no talo. Saí muito devagar e voltei a entrar muito rápido.

- Fodasse não pares com essa merda, ai fodasse! Continuei até me vir dentro de ti, já depois de dizeres que tinhas as pernas a tremer.

Separamo-nos e ficamos encostados nas paredes do elevador. Eu acariciava o teu pescoço e tu brincavas com o meu mamilo. Baixinho perguntaste se eu queria que chupasses o meu pau.

- A que horas? - Perguntei.

Rimos mas não respondeste.

Saímos do elevador diretamente para a ducha, e quando estávamos a sentir a água ficaste de joelhos em frente ao meu pau e eu fiquei a ver as tuas bochechas a ganharem um buraquinho sempre que chupavas. Sem mãos, só com a boca puxaste até eu dizer que não aguentava mais e deixei o meu liquido quente bem lá no fundo da tua garganta. Nem deu para sentir o prazer, o relógio começou pipipi e tive que levantar a correr, com o pau bem duro.

Na ducha ainda a sonhar contigo, os meus dedos foram os teus lábios e bati uma punheta imaginando os teus mamilos, a tua bunda, as tuas coxas, a tua pele, tu!

Baixinho pergunto se podemos repetir este encontro.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.