"Os mais excitantes contos eróticos"

 

O CONTO PROIBIDO.


autor: thecoach
publicado em: 12/05/16
categoria: outra
leituras: 7032
ver notas
Fonte: maior > menor



Quando passamos pela portaria do motel percebo que não tem mais volta, está acontecendo e meu sonho já está se realizando. Agradeço ao meu anjinho da guarda porque o porteiro não pediu minha identidade, na verdade o cara sonolento não estava nem aí mesmo...
Entramos na suite 324, eu nunca estive antes em um motel e tudo me parece vulgar e barato tentando dar uma aparência de sofisticação, a decoração é de um mal gosto atroz mas isso tudo é o que menos importa agora. Hoje vou aprender muito com um mestre querido.Não sei bem o que fazer, estou nervosa e claro um pouco envergonhada e quando ele começa a tirar minha roupa eu até me sinto tremer um pouquinho. Fico só com a calcinha e o sutiã, ele dobra com carinho meu uniforme e coloca na mesinha no canto do quarto.
Ele me oferece um refrigerante e eu aceito, Pergunta se quero comer alguma coisa mas eu não sei se conseguiria comer agora, pelo telefone ele pede meu refri e um whiskey com gelo. Ficamos meio sem assunto então ele me abraça e me beija com carinho, é muito gentil e pergunta se tenho certeza de que quero fazer isso mesmo, desde o início da noite ele já me fez essa pergunta mais de vinte vezes...O serviço de quarto chega e eu posso me distrair um pouco com o refri, minha boca está muito seca, eu estou nervosa e apesar de concordar com o que vamos fazer minha cabeça está um turbilhão, enquanto bebo devagar meu guaraná vou ficando mais calma.
Ele está bem a vontade, bebe seu drink brincando com o gelo, está só de cueca e exibe mesmo sem querer um pau enorme e visivelmente duro forçando a cueca e me deixando muito excitada. Eu quero aquilo para mim!
Não chegamos a terminar nossas bebidas e ele pede que eu deite de bruços na cama, eu obedeço e quero ser uma boa aluna, mas de novo me vem uma sensação estranha, um misto de nervosismo, vergonha e excitação, tudo junto. Percebo que ele me observa, elogia minha bundinha e diz que sou maravilhosa, logo está sentado na beira da cama alisando minhas coxas e minha bundinha, sua mão é áspera e pesada, eu me arrepio toda. Devagar ele abaixa um pouco minha calcinha e minha bundinha fica quase totalmente exposta...ouço sua respiração mais forte agora e sinto seus beijos molhados nas minhas nádegas. Eu ajudo e ele tira de vez minha calcinha atirando-a no chão mesmo, a visão da minha calcinha atirada no chão naquele ambiente e acompanhada me perturba um pouco, parece que estou fazendo algo errado...depois ele abre minhas pernas e eu sinto sua língua morna explorar minha intimidade, fico muito envergonhada ao sentir sua língua no meu cúzinho, devo estar muito vermelha mas estou com o rosto no travesseiro, então aproveito o momento. Não sabia que os homens fazem isso, nunca imaginei uma língua naquele lugar mas a sensação é muito boa, estou gostando e aprendendo nas mãos de um bom professor...Quando ele me vira com carinho aproveita e tira meu sutiã, beija um pouco meus seios e lambe os mamilos devagar deixando-os durinhos, eu me sinto mais mulher agora e quero muito ser dele. Logo está com o rosto entre minhas pernas, a sensação que começo a sentir afasta por completo meu nervosismo e qualquer restinho de vergonha que eu ainda sentia.
Sinto aquela língua percorrer minha xaninha, separar os lábios e atiçar meu grelinho como mil siriricas juntas, a lingua dele parece ser enorme, sinto quando ela me penetra fundo, passeia por toda minha bucetinha e cada vez que meu botãozinho é tocado eu me descontrolo toda, é uma loucura e não sei quanto tempo fiquei como que suspensa no ar pelas sensações que senti com aquilo. Gozei de uma maneira que nunca pensei ser possível, escutei meus próprios gemidos e gritos muito altos, cheguei a ficar assustada. Percebi um sorriso satisfeito no rosto dele, notei amor verdadeiro e o abracei com lágrimas nos olhos agradecendo e beijando-o muito.
Ele se deita e empurra devagar minha cabeça em direção ao seu enorme cacete, agora duro e pulsando de tesão, sei o que ele quer e agarro aquilo com vontade, durante muito tempo imaginei como seria e agora alí estava, na minha frente e pronto para mim! É grande e grosso, muito mais do que pensei, uso minhas mãozinhas para segurá-lo de maneira firme e levo aquele monstro para minha boquinha. É difícil abocanhar tudo, praticamente só a cabeça já preenche minha boca mas eu faço o possível para engolir tudo aquilo. Ouço a respiração dele demonstrando prazer e passo a lamber o pintão até a base, pego nas bolas enormes e aperto para sentir melhor, no ato ele reclama:
-Assim não menina! Aí tem que ser com carinho se não vai doer...
Fico brincando com as bolas agora com mais cuidado, mas não deixo de chupar e lamber aquele pauzão que tantas vezes esteve nos meus sonhos, noto que o bicho solta um licor cristalino e gosto do sabor mas logo ele pede que eu pare, diz que não quer gozar ainda. Depois me deita de costas na cama e ergue minhas pernas colocando-as nos seus ombros, acho estranho a posição mas percebo que assim minha bucetinha está bem exposta e disponível...vai ser agora...quase não acredito!
Ele coloca aquela cabeça inchada e roxa na entrada da minha xaninha, eu fico arrepiada e sinto o pauzão lindo começar a entrar. Minha bucetinha vai se abrindo e me sinto alargar e vou recebendo o cacete tão desejado com dificuldade. Dói e até arde um pouquinho, parece que não vai dar e não chegou nem na metade ainda quando sinto uma dor mais forte. Grito para parar e imploro para ele tirar, ele recua um pouco e fica imóvel por alguns segundos, mas parece que não vai ter perdão, logo ele volta a forçar, devagar e firme até que com uma dor que me faz gritar muito alto aquilo entra tudo, sinto quando o pauzão toca fundo em minhas entranhas e penso que não vou aguentar...Começo a chorar baixinho, onde eu estava com a cabeça? Sou uma menina boba e maluca mesmo por querer isso...está doendo muito!
Ele fica mais uma vez imóvel e procura me tranquilizar, é um bom professor da matéria, tem calma e ensina com carinho, diz com voz amorosa que a dor vai passar logo e depois vai ser só prazer, enquanto fala eu realmente percebo que a dor está virando um calorzinho gostoso e quando me dou conta que tenho um pauzão enterrado na minha bucetinha já sinto uma alegria reconfortante, eu venci! Consegui o que queria, não sou mais virgem e estou transando com o homem da minha vida! Minhas amigas vão morrer de inveja!
Quando ele começa a bombar eu não sinto mais dor alguma, a tesão me domina e tudo aquilo dentro de mim me arregaçando é uma sensação louca, é um prazer que se espalha pelo meu corpo todo, minhas pernas formigam e choques elétricos percorrem minha espinha. Minha cabeça está tentando pensar, ordenar as sensações misturadas mas eu só sinto meu corpo diferente, possuido e dominado pelo prazer. Eu grito alto e longos gemidos são ouvidos pelo quarto, estou tremendo mas tenho minhas pernas bem seguras pelo macho forte que me domina...e ele bomba, rápido e forte! Mete com vigor, enterra até bater no fundo e as paredes de minha bucetinha muito bem lubrificada procuram resistir mas sem sucesso, aquela estaca entra e sai sem dó...eu estou gostando muito e quero mais:
-AIHHIIIII! FODE TUA PUTINHA! Vai...fode mais forte...assiiiiiimmmmm...aiiiii!!
Em pouco tempo estou gozando feito uma louca descontrolada mas ele continua a bombar, parece que vou desmaiar, sinto tonturas e vertigens, meu corpo treme todo...minha buceta está muito quente e um tesão enorme se espalha da minha vulva e das entranhas por todo meu corpo, minhas pernas se libertam ao ponto de eu acertar um chute nele mas quando percebo ele já está ajoelhado por cima de mim e dou de cara com o pauzão esporrando no meu rosto, ele me surpreende e mete o cacete na minha boca, força pela primeira vez usando um pouco de brutalidade e termina de gozar praticamente na minha garganta. Eu engasgo e sinto o gosto salgado do leitinho morno mas engulo tudo e ainda limpo bem o pau todo babado. Percebo a felicidade em seus olhos e o prazer dele é minha recompensa!
Exaustos praticamente desmaiamos lado a lado na cama. Depois de meia hora conseguimos falar um com outro. Digo como eu estou feliz e agradeço a realização do meu desejo. Ele parece estranho, quieto e até um pouco preocupado diz que talvez o que fizemos vai lhe dar problemas. Eu sorrio e beijo ele com amor, falo que é bobagem e que tudo está bem, prometo que ninguém vai saber... e para sacanear pergunto porque o pau dele já está duro de novo. Ele desconversa e vamos para o chuveiro, lá as coisas esquentam novamente e eu agora muito mais resolvida e confiante me sentindo bastante mulher começo a esfregar minha bundinha no pau dele que naturalmente fica em ponto de aço. Estou alegre e meu lado sacana está a mil novamente não me contenho:
-Quando o senhor vai comer meu cúzinho? Que tal agora mesmo...
Digo isso enquanto me encosto na parede do box e empino meu rabinho de maneira bem provocante...
Ele manda eu parar:
-Pare com isso menina! Olhe meu pau e imagine se teu cúzinho vai aguentar, quer que eu te rasgue toda?
Eu dou risada e agarro o pauzão dele, começo a chupá-lo e percebo como é fácil agora dominar meu homem. Chupo até ele gozar e engulo tudo, olho nos olhos dele e disparo:
-O senhor vai ter que comer meu rabinho, não vou desistir...
Ele diz que hoje não:
-Tudo bem sua maluquinha, mas fica para outro dia. Depois não quero ver você chorando arrependida...agora vamos embora porque sua mãe já deve estar preocupada.
Vestimos nossas roupas e eu sequei muito bem meus cabelos para que a mamãe nada desconfie. Me olho no espelho e percebo como fico bem elegante em meu uniforme da clínica onde trabalho. Aos dezenove anos já tenho um cargo de responsabilidade e sou muito respeitada no serviço. Meu segredo e minha maior preocupação, minha estranha virgindade até esta idade foram resolvidos e bem resolvidos nesta inesquecível noite. Papai meu professor de sexo foi maravilhoso, um gostoso que eu amo muito e de agora em diante estaremos bem mais próximos. Levou muito tempo mas eu consegui convencê-lo de que só perderia minha virgindade com ele, tinha que ser com o papai e ele só acreditou quando percebeu que eu dispensava namorados direto por não querer perder o selinho com outro. Tinha que ser com o papai!




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.