"Os mais excitantes contos eróticos"


prima puta do primo


autor: hoggeryo
publicado em: 18/04/16
categoria: hetero
leituras: 5633
ver notas
Fonte: maior > menor


Olá, boa noite.
Sei que estes contos são sempre lidos a noite, pois esta hora e aquela que o tesão está a flor da pele e sempre sobra uma punheta ou uma deliciosa siririca.
Meu conto começa bem antes de poder ter minha primeira transa, porque este conto relata todo meu tesão de anos pela minha deliciosa prima, quando criança ,nas férias sempre estava ela na minha casa, e como sempre fui safado e tarado, então dava um jeito de dormir perto dela, ou melhor fingir está dormindo e assim que todos estavam realmente dormindo era minha hora de atacar, na ponta do pé com a luz apagada adrenalina a flor da pele e de pica dura como pedra ia eu a cama dela...começava a passar a mão em sua perna, apertava sua bunda e acariciava seus peitos ,ela bem safada não retribuía, mas minha mão não parava e por cima de sua calcinha sentia sua buceta molhada onde denunciava seu tesão e aquele cheiro de buceta me deixava louco onde terminava sempre em uma punheta sozinho no banheiro.
O tempo passa e depois de adultos nosso tesão de criança não acabou, volta e meia batia uma punheta querendo ela que se transformou em uma mulher muito gostosa com peitos grandes e macios, pernas grossas, uma bunda grande e dura de deixar qualquer homem de pica dura, e sempre que dormíamos perto um do outro sempre rolava beijos ardentes e caricias malucas, ela dona de uma boca grande e molhada sempre me deixou louco pra gozar naquela boca,( mas ainda não realizei esta fantasia) minha mão corria seu corpo todo sentindo sua respiração ofegante e o medo de sermos flagrados aumentava nosso tesão, sempre em busca de dedilhar aquela buceta que ficava molhada muito rápido, adorávamos o beijo, mas aquele tesão despertava meus pensamentos mais safados.
Depois de muitas tentativas de transa tivemos a primeira oportunidade de transar e gozar bem gostoso, ela estava lá em casa, pronta para dormir no meu quarto e como era de rotina eu sempre saia para beber e farrear e quando chegava estava ela deitada esperando um toque, um beijo uma chupada naqueles peitos.....mas vacilei cheguei muito alcoolizado e muito rápido, depois de uma bela roçada naquela buceta dei poucas metidas e gozei rápido . Deixando ela furiosa. tudo que ensaiei em fazer: chupar aquela buceta e dedilhar aquele cu,,


,gozar naquela boca. Tudo ficou no pensamento. No outro dia nem tocamos no assunto e fiquei devendo.
O tempo não foi nosso aliado e separou nos dois levando ela a trabalhar em outra cidade, mantivemos o contato via e como ironia do destino, minha empresa transferiu-me para uma filial próximo a cidade dela, marcamos de se encontrar e depois de muita expectativa ela apareceu como sempre deliciosa e safada, saímos e bebemos pra ela relaxar, pois agora estávamos os dois comprometidos e a adrenalina aumentava com aquele desejo sempre escondido e agora proibido...e depois de algumas cervejas seguimos para o hotel onde estava hospedado.
Ao chegar no quarto não me controlava de tesão nos beijamos e minhas mãos corria naquela corpo e foi interrompido pela falta de camisinha, me vestir e sair para comprar, sair de pica dura no comercio inteiro procurando, assim que achei voltei correndo e ela depois de um banho mais relaxada estava ela lá pelada com aquela enorme buceta depilada implorando uma linguáda a qual não me contive e metir a boca naquela buceta molhada delirando com aquele cheiro de mulher cachorra, puta ,safada do primo. ela sempre querendo a pica naquela buceta, e eu louco pra que ela chupasse minha pica ,querendo sentir aquela boca gostosa engolindo meu pau, e em movimento gostoso ela passando a língua na minha barriga deitado na cama foi descendo até chegar na minha pica que neste momentos estava toda melada de tesão ,sentir sua respiração quente na cabecinha da rola e sua boca molhada escorregando toda num movimento alucinante até sentir a pica toda naquela boca macia da minha prima puta. que chupou pouco ,mas o suficiente para que adorasse cada pedacinho daquela boca desejando sempre mais.
Nesta hora o tesão não podia ser contido e eu estava devendo uma metida naquela buceta, desejava lhe foder como uma cadela no cio e coloquei ela de quatro tendo a visão total daquele rabo enorme, aquele cú piscava, mas tinha receio de quebrar o clima e com a camisinha a posto enfiei a pica naquela buceta que parecia mais um vulcão de quente e húmida, queria comer aquele cú, mas tinha receio que ela não gostasse pois não tínhamos afinidade ainda na cama apesar de muita cumplicidade e safadeza.
Ela queria muito ficar em cima de minha pica e deixei ela cavalgar um pouco segurando nos peitos dela e olhando para aquela cara de satisfeita por esta com a buceta toda preenchida por minha pica, a gozada estava quase chegando e resolvemos gozar no tradicional papai e mamãe ...e em movimentos rápidos naquela buceta que me engolia ,sentir as penas estremecerem e gozei....haaaaaaaa uma gozada que esperou anos pra acontecer....tomamos banho e dormimos até pela manhã ,quando acordamos e ela tarada pra outra foda ...
Mas meu desejo de comer aquele cú foi realizado outro dia fato que contarei no próximo conto.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.