"Os mais excitantes contos eróticos"

 

SAFADINHA DO BADOO


autor: rsafadobp
publicado em: 01/10/15
categoria: aventura
leituras: 4139
ver notas
Fonte: maior > menor


Meu nome é R., tenho 32 anos, 1,73m,80kg, olhos claros, casado. Vou contar um fato verídico que aconteceu comigo em junho(2015), quando eu estava em um site de relacionamento à procura de um bate papo, conforme eu tinha o costume de fazer, porém naquela noite para minha surpresa eu conheceria N. (uma morena jambo, 26 anos, de cabelos compridos e negros e uma bunda espetacular) e tudo mudaria de apenas um bate papo para umas aventuras muito excitantes e gostosas. Uma delas, segue abaixo e espero que gostem, pois quem sabe contarei as outras depois? RSS
Durante alguns dias eu e N. conversamos por este site uma conversa saudável sem putaria, e passamos a nos comunicar via whatsApp, até que em uma noite de lua cheia, surgiu a vontade de fazer o convite à ela de nos conhecermos pessoalmente, onde prontamente ela aceitou. Rapidamente me aprontei e segui até sua casa, N. estava me esperando em frente, entrou no carro e com muita vergonha,(nem olhou nos meus olhos) demos um beijo nos rostos e seguimos até uma pracinha próximo à sua casa. Ficamos conversando por um bom tempo, os dois tímidos(ela muito mais), até que rolou um beijo na boca, e depois não paramos mais, o beijo estava muito gostoso e quente. N. contou que estava sem sair com alguém a bastante tempo e eu também estava, isso fez com que o clima esquentasse um pouco mais, dava aquela sensação gostosa igual de adolescente virgem doido para perder a virgindade RS.
N. muito tímida, parecia que também queria, mas ao mesmo tempo por ser tradicional, pensava que não seria certo já no primeiro encontro “abrir as pernas” assim pra um “desconhecido”, afinal nem nos conhecíamos. Mas eu persistia com o beijo quente, com as mãos tocando seu corpo, apertando, pegando por sua nuca e cabelo, e foi esquentando ainda mais até que do beijo as minhas mãos tocaram seus seios por dentro da blusa, N. tremia de tesão, eu sentia isso, e continuava até que ela começou a sussurrar e eu não parava com as mãos e beijos, quando enfiei uma das mãos por dentro de sua calça, N. estava encharcada, morrendo de tesão, porém estávamos dentro do carro e parados em frente à várias casas, e alguns carros passando por nós, foi quando decidimos fazer nossa loucura gostosa saindo Dalí e indo até um terreno meio abandonado de uma grande empresa próximo de onde estávamos.
Chegando no local(pacato e escuro), nós dois já transbordando tesão, perdemos a timidez e nos atacamos, nos beijando forte e fui logo tirando a blusa dela, começando a chupar seus seios e ela adorando, nossa pegada era muito gostosa, forte, calorosa e perigosa pois à qualquer momento poderia aparecer uma viatura da PM, isso nos deixava receosos, mas chegou um momento em que esquecemos disso e começamos a nos despir em meio à luz da lua cheia e os matos em volta, aquilo era muito excitante, e a fome aumentava.
Coloquei N. virada de costas pra mim, quase na posição de quatro, com as mãos no banco de trás e a bunda virada pro banco da frente, eu comecei a chupar sua bucetinha(muito quente, cheirosa e totalmente depilada), fiquei um bom tempo chupando ela todinha, inclusive passei minha língua em volta de seu cuzinho(percebi que ela adorou). Mudamos de posição e N. começou a chupar meu pau, parecia gulosa, com muita vontade(que chupada gostosa), estava uma delícia sentir e assistir N. me chupando, foi quando trocamos de posição novamente, saímos de dentro do carro, N. totalmente nua, com aquela bunda gostosa na minha frente, eu não parava de admirar ela em pé com a bunda arrebitada no meio daquele mato, já estava na hora dela sentir meu pau entrando na bucetinha dela, N. encostou no carro e eu esfregava meu pau em sua bunda, passava minhas mãos em seu corpo, N. estava subindo pelas paredes, não via a hora de ser comida. Foi quando à coloquei deitada no banco de trás do carro com as pernas pra fora e virada de bruços(nossa aquela visão da bunda dela me deixava maluco), enfim, enfiei meu pau bem gostoso dentro da bucetinha quentinha e encharcada dela, tava uma delícia sentir aquela morena e ouvir seus gemidos baixos, pra finalizar mudamos novamente de posição, N. ficando deitada no banco de trás na posição frango assado, eu por cima dela enfiando meu pau bem gostoso nela, ela gemendo de tesão, eu não parava de socar, de gemer, de apertar suas pernas e coxas. N. estava quase gozando e eu falando palavras no ouvido dela, pedindo pra ela gozar no meu pau, foi quando N. começou a gozar gostoso, se contorcendo toda, morrendo de tesão, parecia estar nas nuvens, e eu adorando aquela cena, isso prontamente me extimulou a fazer o mesmo nela, foi quando disse que ia gozar e perguntei se podia ser dentro dela, ela disse que sim que tomava remédio, logo comecei a gozar bem gostoso enchendo a bucetinha dela de leitinho, a vontade era de continuar até gozar de novo, pois estava uma delícia, porém estávamos em um local arriscado e já estava de madrugada, então nos beijamos, nos recompomos, nos limpamos, nos vestimos e fomos embora felizes da vida por termos perdido a “nossa virgindade” daquele jeito gostoso e aventureiro.
Espero que tenham gostado desse conto, pois a transa eu garanto que foi uma delícia e inesquecível, tanto pra mim quanto pra N.
Em breve contarei com fotos as outras várias que tivemos e ainda estamos tendo.
Obs: A N. vai ler este conto e com certeza vai adorar saber que vocês gostaram.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.