"Os mais excitantes contos eróticos"


Vontade +desejo= tentação


autor: mayaracasada
publicado em: 09/09/17
categoria: incesto
leituras: 2575
ver notas
Fonte: maior > menor


Vontade +desejo= tentação


Conto de Mayara Nascimento F

Meu nome é Elaine, sou morena clara, tenho cabelos curtos, e negros e lábios avermelhados, e minha história aconteceu quando ainda à alguns anos atrás, e nessa época já tinha um corpo bem desenvolvido como todas as adolescentes de hoje: Não era muito alta, nem muito magra, bumbum bem feito e seios médios. Minha mãe, que havia ficado viúva acabou criando sozinha, a min e ao meu irmão Fábio, que era cinco anos mais velho que eu. Ele com certeza puxou ao meu pai, pois era meio loiro, olhos verdes claros, um pouco mais alto e com um belo corpo, pois não saia da academia, enfim uma tentação, um pedaço de mau caminho para uma para uma irmã como eu, sedenta de desejos. Em minha casa morávamos apenas nós três: eu, ele e minha mãe e apesar da minha pouca idade, eu já tinha os hormônios á flor da pele, a ponto de já sentir desejos por vários homens, sobretudo meu irmão Fábio que despertava em mim um verdadeiro fascínio. Nessa época, descobri o prazer do sexo, era tão gostoso que eu adorava me tocar, acariciar meus seios, minha xaninha com poucos pelos, e tocar meu clitóris que me proporcionava um grande prazer, chegando até mesmo aos deliciosos orgasmos. Eu ainda era virgem, e com a minha pouca idade nunca havia beijado ninguém, mas ficava me imaginando como seria ter os lábios de um homem tocando os meus, e quando percebia eu já estava com minha bucetinha bem molhada, e como eu tinha um quarto só meu, com hidromassagem e uma cama de casal bem alta e grande eu acabava em cima da cama, me masturbava e viajava em minha imaginação fantasiando mil situações com os homens, mas principalmente com o Fábio. Todos os dias antes de dormir eu me trancava no quarto e ficava completamente nua de frente ao espelho, admirando meu corpo, de pele macia e sedosa, e o achava lindo, tocava com a mão em meus seios, depois descia até a minha bucetinha e sentia as mais deliciosas sensações que um corpo feminino pode nos proporcionar, e assim eu ia conhecendo melhor o meu corpo. Em minha cama, pegava meu bichinho de pelúcia e esfregava em minha bucetinha, e como isso era gostoso! me ajoelhava e esfregava minha bucetinha bem encima dele, rebolava e apertava bem forte contra minha bucetinha, até gozar mais uma vez, gozava tanto ate sentir meu corpo mole, mas ao mesmo tempo leve como pena. Meu desejo por uma bela pica era tão grande que eu queria ser penetrada, sentir uma rola bem grande e grossa me rasgando o cu e a buceta, então pegava um frasco de desodorante , passava no melzinho da minha buceta para lubrificar e enfiava inteiro em meu cuzinho, fazendo gostosos movimentos de vai e vem. Apesar da vontade de enfiar tudo na buceta, acabava ficando só na vontade pois queria perder meu cabacinho com um homem que o merecia, e eu queria que esse homem fosse meu irmão Fábio, desejava ardentemente ser arregaçada por um cassete grande e grosso, e eu achava que o dele era assim. Na banheira de hidromassagem que tinha em meu banheiro, eu sempre entrava com os frascos de desodorantes para brincar, e enterrava tudo em meu cuzinho, e acabava ficando admirada como era possível um buraquinho tão pequeno e apertado de uma adolescente, engolir um frasco de desodorante daquele tamanho e daquela grossura com tanta facilidade e sem sentir dor, e com aquele frasco todo enfiado no rabo direcionava minha bucetinha bem no jato de água e acabava gozando gostoso.
Certo dia, acordei no meio da madrugada, me levantei completamente nua e fui até a cozinha , quando eu passava de frente ao quarto do Fábio a porta estava entreaberta e a luz acesa, de relance eu vi o Fabio se masturbando, voltei rapidamente e fiquei espiando e pude ver seu enorme cassete, e que cassete! era grande, do jeito que eu imaginava, minha buceta doía de tanto tesão, e eu ali espiando completamente nua imaginando aquele cacete bem duro arregaçando minha buceta, quase empurrei a porta pra pedir que o Fabio me fodesse naquele instante, mas me contive e voltei ao meu quarto onde acabei me masturbando e pensando naquele cacete e acabei gozando loucamente. A partir de então, a atração que já sentia polo meu irmão Fabio aumentou ainda mais, eu dormia e acordava imaginando aquela vara do meu irmão entrando em meu rabinho e em minha bucetinha e me arregaçando toda, e isso me deixava louca pra dar pra ele!
Comecei lentamente a ficar mais ousada ao ponto de despertar o desejo do meu irmão por mim, e pra que isso acontecesse comecei a desfilar de top e shortinho bem curtinho na frente dele e a noite quando estávamos sozinhos em casa andava pela casa sem sutiã e com uma camisolinha transparente e bem curtinha favorecendo aos seus olhos ter uma visão privilegiada dos meus seios sob o fino tecido da camisola. Eu notava logo que ele reparava em meu corpo, mas disfarçava quando meus olhos cruzavam com os dele, e para deixa-lo ainda mais com tesão passei a andar também sem calcinha por baixo da camisolinha deixando minha bundinha gostosa a mercê dos seus olhos. Meu corpo arrepiava de tanto tesão quando me imaginava na cama com meu irmão, meus seios ficavam com seus mamilos durinhos e minha bucetinha logo ficava melada e eu acabava numa siririca gozando varias vezes, ate que surgiu a oportunidade que eu precisava. Minha mãe precisou se ausentar numa noite e só voltaria no outro dia era a oportunidade perfeita pra eu por em prática minha sedução e ter aquela tora do Fabio invadindo minha bucetinha e estourando meu cabacinho. Assim que ela se ausentou, fui pro meu quarto, tomei meu banho e fiquei na cama, e quando percebi que meu irmão estava na sala vendo tv sai do meu quarto de camisolinha curta e sem nada por baixo, passando por ele e me dirigindo ate a cozinha, tomei refrigerante e voltei, ao passar de novo pela sala olhei pra ele com um leve sorriso e entrei no meu quarto e fiquei a sua espera. Como nada aconteceu resolvi investir de novo e dessa vez tinha que dar certo, molhei meu frasco de desodorante com meu melzinho que já estava escorrendo e enfiei tudo no meu cuzinho e despudoradamente, andei pela casa completamente nua me exibindo pro meu irmão Fábio, que ao me ver nua e com aquele negocio enfiado no cu, me olhou assustado e admirado, mal acreditava na cena que via. E quando notei seu espanto, olhei em seus olhos e dei um sorrisinho malicioso e passei ainda mais perto dele pra ele ter certeza do que eu queria e voltei pro meu quarto e ele veio logo atrás. Oi, mana, posso entrar, dei-lhe um sorriso malicioso e disse: É tudo que eu quero!!!
Deixa eu dormir com você? Claro, se você fizer tudo que eu quero!!!
Ele, ainda boquiaberto, fez com a cabeça que sim. Ele se sentou em minha cama e eu me sentei bem ao seu lado, deitei-me de lado com abunda virada pra ele, por alguns instantes, fiquei em silêncio, apenas observando a sua reação em olhar minha bunda e vendo aquele frasco enterrado em meu delicioso cuzinho. Depois me virei para ele, e disse: é apenas um treino pra aguentar sua rola aqui dentro. Ele sorriu e ficou em silêncio, mas era visível sua excitação pelo volume em sua calça.
-deixa eu sentar no seu pau?
Antes que ele pudesse responder, baixei sua calça e tirei seu pau pra fora, que delicia pegar aquele instrumento do prazer em minhas mãos, acaricia-lo e depois senti-lo em minha boca, punhetando-o lentamente e depois aumentando os movimentos enquanto acariciava meus seios, meu irmão tomou o controle e pegou minha cabeça, e começou a fazer movimentos de vai e vem com ela, quase enfiando seu cassete em minha garganta. Senti seu cassete aumentar de tamanho em minha boca e ficar mais duro ainda anunciando que seu gozo estava próximo ele gemia alto e dizia:
-isso! chupa gostoso, minha pica irmãzinha ,que boquinha deliciosa , quentinha, eu me arrepiei toda e meu gozo foi instantâneo e Fábio ao mesmo tempo soltou uma enorme quantidade de porra em minha boca, e eu prazerosamente engoli tudo, sentindo em minha boca pela primeira vez o gosto de uma pica e do leitinho masculino.
Deitamos na minha cama, e ficamos em silêncio por alguns instantes, eu estava maravilhada de ter meu irmão em minha cama e na minha vida e precisava aproveitar aquela noite a sós pra matar meu prazer e realizar minhas fantasias com ele. Meu irmão depois de algum tempo, hipnotizado pelo meu corpinho de adolescente diante dos seus olhos fez seu pau ressurgir com mais virilidade ainda, mandei ele ficar sentado me virei de frente pra ele, posicionando minha bucetinha bem encima de seu cassete, encostei meu seios em sua cara, e ele mamou deliciosamente neles, enquanto chupava meus seios, peguei sua mão e levei ate meu cuzinho para tirar o frasco de desodorante, assim que ele tirou sentei no seu pau já bem duro que só foi escorregando pra dentro sem nenhuma dificuldade, e eu passei a cavalga-lo ate senti-lo crescer e engrossar dentro do meu rabo, era mais um prenuncio de gozo, uma onda de choque também percorreu minha espinha e eu beijei meu irmão freneticamente enquanto gozava e sentia seus jatos de porra inundando meu rabinho, fui me deitando na cama e Fábio em cima de mim, com sua vara cravada no meu rabo e ainda procurando meus seios pra se deliciar neles mais uma vez. Acabamos adormecendo agarradinhos por umas três horas e depois de acordarmos, Fábio começou a chupar deliciosamente minha buceta, eu nunca havia sentido uma sensação tão maravilhosa quanto aquela, sensação que naquela hora me fazia perder os sentidos, perder a consciência de tudo, já que o juízo eu já tinha perdido mesmo. Eu gemia alto: vai! chupa minha buceta! hum... que delícia...Vai irmão tira meu cabacinho, me fode gostoso, me faz mulher!!!
Fábio, parou de chupar minha buceta e finalmente, posicionou sua rola na entradinha da min há gruta me dizendo: - sua putinha!, safada! você quer meu cassete, não é? pois agora vai ter! vou romper seu cabacinho, e foi introduzindo seu cassete em minha buceta que já estava bem lubrificada, mas fazia isso com carinho pra não me machucar, e foi empurrando pra dentro ate a cabeça do seu pau romper meu hímen e deixar o caminho livre pra sua pica entrar e sair com mais rapidez. Quando já tinha enfiado tudinho, começo a fazer deliciosos e violentos movimentos de vai e vem, como era gostosa a sensação de ter uma pica de verdade enterrada na minha buceta me fodendo loucamente como se fosse a última buceta do mundo. Quando senti seu pau ficar mais duro, e mais grosso eu já sabia que vinha mais porra, eu gozei com o louca e com meus orgasmos em serie, Fabio nessa hora tirou seu cassete de minha buceta e despejou toda sua porra em minha barriga e em meus seios. Nós estávamos cansados mas felizes, e depois de mais um descanso fomos pra minha banheira de hidro, e depois de muitos beijos nos secamos e fomos dormir juntinhos com a promessa de repetirmos tudo na primeira oportunidade. Eu sabia que teria outras oportunidade de deixar meu irmão me foder, e ele sabia que teria outras oportunidades de comer sua irmãzinha puta e sedenta per pela sua pica grande e grossa. Mayara Nascimento F



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.