"Os mais excitantes contos eróticos"


O doutor me comeu, casualmente!


autor: Fantasiadecasal
publicado em: 13/06/17
categoria: traição
leituras: 7543
ver notas
Fonte: maior > menor


Sou casada a 5 anos, vou me nomear como Val. Tenho um casamento aberto, onde eu e meu marido para não cair na rotina tivemos a ideia de abrir o jogo, falar sobre nossas vontades e fantasias, isso os proporcionou momentos memoráveis, e ainda nos uniu muito. Primeiro pensamos em fazer swing, arrumamos um casal e fizemos troca, foi maravilhoso, no começo senti ciúmes, mas enquanto via meu marido comendo outra eu tinha um cara diferente metendo de quatro em mim.
Depois pensamos em uma menina para fazermos bi feminino, já que com o casal não rolou, arrumamos uma menina bi, 18 aninhos, lindinha, mas tinha uma experiência em chupar uma bucetinha me derreti na boca dela, e via felicidade do meu marido metendo em duas.
De um tempo para cá pensamos em uma nova aventura, desta vez era comigo, pensamos em deixar acontecer um sexo casual, como eu fazia na época de faculdade. O problema que eu não tinha mais a mesma facilidade de antigamente, estou casada, acho que perdi o ritmo. Mas pensando no tesão de dar casualmente novamente mexia comigo, e meu marido incentivava, queria que eu transasse com alguém. Falei que o dia em que alguém desse em cima de mim eu deixaria acontecer, para podermos viver este tesão.
Olha tenho meus 33 anos, mas não sou de jogar fora, tenho belo par de seios e um bumbum redondinho. Sei que no trabalho alguns garotos me comem com os olhos, mas não posso ceder neste ambiente.
Certo dia devido algumas mudanças em nossa casa, fui arrastar alguns móveis e dei um mal jeito nas costas, a ponto de marcar um médico, senti dores na lombar até na perna.
No dia agendado, me arrumei, sempre que vou a médico coloco calcinha e sutiã combinando, conjunto sabe, nunca sei quando eles pedem para nos ver sem roupa, e vamos ser sinceras, não dá para tirar a roupa usando uma calcinha de onça e um sutiã verde, não combina, e mulher que se preze no mínimo usa um conjunto para uma consulta, um encontro, ou dormir com o marido a noite.
Chegando no consultório era próximo de 17:30 horas, percebi que era última paciente, a secretária me dei tchau e disse que o doutor já me atenderia. De fato ela saiu e ele me chamou. O Dr. Paulo, era magro, alto e uma barba cerrada, não reparei se era bonito, mas não gosto de barba, já foi um ponto negativo, porque minha pele fica toda vermelha onde toca.
Mas entrei sem malicia, logo me perguntou que eu tinha, expliquei a ele, ele pediu para sentar na maca, apertou nas regiões que doía, até ai tudo bem. A coisa começou a mudar quando ele pediu para tirar a camisa, para poder ver minhas costas melhor, tirei, afinal eu era a paciente e queria melhorar. Foi quando o Dr. Paulo teve a primeira visão linda de meu seios, em um sutiã de renda branco. Ele massageou minhas costas, dizendo que provavelmente era o nervo ciático que havia inflamado quando me mexi bruscamente.
Ainda sentada reparei que ele olhou para meus seios, dei uma disfarçada achando que ele mandasse eu me vestir, quando ele falou que para ter certeza precisava que eu tirasse a calça. Achei estranho, mas ele disse que o nervo ciático vai das costas até a perna e precisava examinar melhor para ter certeza. Bom suspirei fundo, tremula, e nessa hora esqueci da consulta e pensei na fantasia minha e de meu marido. O médico não era lindo, nem horrível, mas era uma grande oportunidade. Senti minha buceta melar a minha calcinha com meu pensamento.
Tirei a calça e o Dr.; Paulo pode ver meu fio dental combinando com o sutiã. O olho dele brilhou, e me elogiou dizendo que o conjunto caiu muito bem em mim. Nesta hora pensei safado, mas se ele soubesse que estou molhada já, se ele olhar no meio das minhas pernas vai reparar a calcinha molhada, o tesão e frio na barriga era incontrolável.
Ainda sentada ele esticou a minha perna esquerda que doía e foi dando apertos na panturrilha até a coxa, conforme ele mexia em minha perna, eu ficava pensando, será que ele viu minha calcinha molhada, será que é hoje, pois bem, ele ousadamente me pediu para ficar de costas e encostar as mão na maca, literalmente com a bunda arrebitada, exposta ele veio mexer em minha perna, agora não tinha como ele não repara na minha calcinha molhada, sua mão foi subindo, nesta hora na minha cabeça só ficava pensando se ele tinha o pau grande e se pegava gostoso, foi quando senti sua mão perto de minha buceta, ele se levantou, chegou perto de mim, sem falar nada enfiou a mão em minha bunda, descendo até minha buceta, tirou a calcinha de lado e passou a mão, falou que buceta melada, tá com tesão safada, só balancei a cabeça dizendo que sim, estou! Não cheguei a ouvir o zíper de sua calça abrir, só senti um pau gostoso e grosso entrando facilmente em mim, de costas e sem ver a reação dele só sentia aquele macho me socando, e me chamando de puta safada. Ele beijava meu pescoço eu estava entregue, o tesão tomava conta de mim, até eu que não gostava de barba, sentia tesão da dele roçando em minha nuca. Aquele médico socava forte, me puxava contra ele, deitei na maca oferecendo minha bucetinha mais arrebitada, só sentia um pau gostoso fazendo vai e vem em mim, ele me virou de frente, como se mandasse na situação, deitei na maca, posição de frango assado, nesta hora vi o pau dele, não era tão grande, mas era grosso, já tinha feito o estrago em minha buceta. Outra ves senti aquele membro duro entrar em mim, era socada atrás de socada, não em aguentei e gozei no pau daquele macho, como sabia comer gostoso, ele chupando meus peitos vi que estava toda vermelha de sua barba, aquilo estava me excitando.
Era gostoso sentir um pau diferente novamente, e sabia comer bem, era a prova que nós mulheres não precisamos de homens bonitos mas sim que comam bem. Aquele pau me invadia, esqueci da dor, até que ele aumentou os movimentos e socando mais forte, mais forte, sentias suas bolas baterem em minha bunda, de tanta socada, ele gemeu e encheu minha buceta de porra, senti lá dentro um leite quente.
Ele me olhou e sorriu dizendo que eu era uma delicia, a melhor paciente que ele já teve. Só coloquei a calcinha no lugar, pois, não tinha nem tirado, e me vesti. O Dr.Paulo todo suado e pelado ainda, me passou uma receita de medicamentos e me explicou a dosagem a tomar, disse que eu iria melhorar. Dei tchau como se não tivesse acontecido nada, afinal sou casada nada de romantismo. Depois me toquei que havia dado para o doutor e nem um beijo na boca não rolou, só sexo mesmo.
Cheguei em casa, na hora meu marido viu os vermelhões no meu pescoço, falei aconteceu nossa terceira fantasia, o doutor me comeu. Ele duvidou, mostrei os peitos cheios de chupões e vermelhos da barba, ele estava começando a acreditar, até eu tirar a calcinha e ele ver porra escorrendo. Meu marido falou não acredito que deu sem camisinha, falei que foi tão casual, que quando vi o pau estava dentro, e estava tão bom que não queria tirar ele dali para colocar uma camisinha.
Neste dia transamos umas três vezes a noite e de madrugada, assim como fizemos quando transamos com o casal e com a menina.
Estamos pensando em uma suruba agora, nunca dei para três, ou mais homens juntos, seria legal, mas se for para viver feliz com meu marido e apimentar nosso casamento faremos qualquer coisa nova, beijos a todos e espero que tenham gostado, afinal a vida é uma só , vamos aproveitar!




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.