"Os mais excitantes contos eróticos"


Comendo a compradora


autor: tiozão1
publicado em: 28/11/16
categoria: hetero
leituras: 2427
ver notas
Fonte: maior > menor


Esta história realmente aconteceu à uns dois meses, vou trocar os nomes obviamente para evitar problemas. Sou um Representante Comercial da área de Serviços de Transportes e nesta função viajo muito para visitar clientes. Em um dos vários clientes que possuo, tem uma em especial que o setor de compras tem três mulheres que exercem a função de compradoras, Marcilha, Cira e Neuma. As duas primeiras, Marcilha e Cira, sempre fecham seus pedidos comigo, porem Neuma, era uma mulher de 40 anos que vivia constantemente fechada, de difícil contato ou conversa; como em ambiente de mulheres sempre sai besteiras, Marcilha me confidênciou que Neuma estava sem namorado faziam 5 meses, ou seja, sem transar à 5 meses como ela fazia questão de enfatizar, e que ela já havia confidênciado para as duas que gostaria de sair com alguem, e de preferência casado, pois tinha tara por homens casados, e que se eu conseguisse conquistá-la, pronto !, no dia seguinte estaria se abrindo e fazendo pedidos comigo. Bom meus amigos, fui à luta. Num determinado dia, já combinado com Marcilha e Cira, as duas não puderam me atender, assim, consegui finalmente conversar com Neuma ( ela tem seus 40 anos, 1,60 m altura, bundinha arrebitada, coxas grossas, peitinhos médios e durinhos, boca com lábios grossos ... um tesão de mulher para meu gosto ). No inicio conversamos assuntos de serviços e aos poucos consegui entrar em outros assuntos descontraidos ... marcamos um chops para após a sua saída. Na hora marcada lá estava Neuma, toda arrumadinha, perfumada ( adoro perfumes suaves ) e bem descontraída. Começamos a tomar alguns chopps e nosso relacionamento esquentou ... logo ela estava colada ao meu corpo, pegando em minhas mãos e roçando suas coxas em minhas pernas. Não demorou muito, aproveitei e a convidei-a para irmos para um motel para ficarmos mais íntimos, o que ela aceitou de imediato. Rumamos para o motel mais próximo e já no caminho eu a bolinava em suas coxas e ela alisava meu pau que estava crescendo dentro das minhas calças. Chegando ao motel, já adentramos no quarto entre agarras e beijos, ela tomou a iniciativa de baixar meu ziper e colocar logo meu pau para fora e abocanhá-lo, ualll !!!, como chupava com maestria ... eu apenas gemia e fazia movimentos d e vai e vem naquela boquinha que parecia uma xaninha quente e molhada. Quando estava por gozar fiz-la parar, agora era minha vez de retribuir, deitei-a sobre a cama, iniciei com um beijo na boca, no pescoço, nos seios ( que biquinhos durinhos e gostosos !! ), na barriga, até chegar na xaninha, que a esta altura já estava molhadinha e quente. Abri suas coxas e mergulhei de boca naquela suculenta bucetinha ... lambi e chupei todo o nectar que dela exalava, e ora passava minha língua em seu cuzinho que ficava a piscar de tesão. Neste momento ela já estava em total extase, falava coisas como " me come, me fode, quero ser tua putinha, tua cadelinha ... ", enfim, estava totalmente cheia de tesão para botar pra fora. Assim, não me fiz de rogado, após deixar sua bucetinha toda molhadinha, fui pra cima daquele corpinho e já com meu pau em riste, penetrei-a em uma única estocada ... ela gemeu ... uivou ... me agarrou forte ... abriu mais suas coxas para me receber ... e pediu-me : " me fode ... fode esta cadela no cio ... apaga meu fogo com tua mangueira grossa ... come esta égua meu garanhão ... ", aquela palavras me deixavam mais louco, e assim, começei a bombar com ímpeto, com vigor, e ela gemia mais e mais apertando meu pau a cada estocada; ela começou a gozar, uma ... duas ... tres vezes ... realmente ela estava carente a muito tempo ... e assim, aproveitei para me soltar e jorrar toda minha porra quente dentro daquela gruta apertadinha ... e a cada movimento, sentir mais e mais jorrar. Mas o tesão que sentir era tão grande que meu pau não esmoreceu, ficou em riste ... ela aproveitou, lambeu e chupou até a última gotinha de nectar que saia do meu pau. Conversamos por algums minutos, onde ela já estava mais aberta e me falou que não transava faziam seis meses por não achar um homem charmoso que a conquistasse, e que eu estava a surpreendendo. Assim, conversa vai e conversa vem, fiquei acariciando aquelas lindas coxas e bundinha arrebitada; meu pau voltou a ficar maluco novamente, pedi-lhe que gostaria de comer aquela bundinha, pois estava maluco por ela. Ela então me pediu : " antes quero cavalgar este mastro, minhas amigas falaram que é uma delicia, então quero provar ", e assim o fez, fiquei deitado na cama, ela pegou meu pau chupou-o deixando molhado e ajoelhou-se ... deixando-me ver aquela bucetinha baixar e abocanhando centimetro por centímetro do meu pau ... que em pouco tempo já estava todo dentro daquela gruta quente. Esta mulher perdeu seu controle e começou a cavalgar-me como uma verdadeira amazona, subia e descia com tamanha voracidade que eu sentir meu pau batendo em algo dentro daquela gruta, e eu apertava-lhe os biquinhos das tetinhas, no que ela ficava mais alucinada ... ela me cavalgou por uns cinco minutos ... e não aguentou ... começou a gozar ... e novamente ... uma ... duas ... tres vezes ... seguidas ... ela era um poço de desejo e carência ... e a cada orgamo sempre gritava : " eu sou uma puta ... uma cadelinha ... estou adorando ser fodida ... quero ser arregaçada por você meu macho "; mas eu queria mais, me segurei e não gozei ... ela caiu de lado e ficou semi-desmaiada ... ajeitei-a sob um travesseiro, fazendo com que sua bundinha ficasse mais arrebitada para cima e a minha inteira disposição ... então, passei a cabeça do meu pau em sua bucetinha enxarcada, pincelei aquele cuzinho roseo e começei a forçar a cabeçona ... ela nada fazia ... apenas soltava um gemido ... e me pedia : " vai com calma amor, eu sou virgem no rabinho, mete todo este mastro, me arromba, mais com carinho ... ", dito isto, meu ego cresceu ... eu comendo um cuzinho virgem, então, deveria ser extremamente carinhoso, queria que ela sentisse o mesmo prazer de levar meu pau, como se fosse na bucetinha. E assim fui forçando, e entrou a cabeça ... ela gemeu e relaxou ... senti que seu cuzinho já estava piscando de tesão ... então fui penetrando centimetro por centímetro até minhas bolas baterem naquela bucetinha ... e começei a fazer um leve vai e vem ... agarrando-a em meus braços, acariciando os biquinhos dos seios com uma das mãos e com a outra acariciando seu grelinho ... ela apenas rebolava levemente aceitando meus leves movimentos. Então ela começou a jogar sua bunda macia sobre mim, ela estava ficando alucinada em ser enrrabada ... eu correspondi e começei a bombar com mais ímpeto aquele rabinho desvirginado por mim ... ela levantou-se e ficou de quatro e me pediu : " me enrrabe como se fosse uma cadelinha ... me arregaça com este mastro ... quero gozar com teu mastro todo enterrado no meu rabinho ", ... aquilo me deixou louco, logo, peguei-a em sua cintura e começei a puxá-la sobre mim, fazendo com que meu pau a penetrasse com voracidade ... arregaçando e arrombando aquele cuzinho apertado e que era virgem ... eu a sentia apertar meu pau ... e sentia meu pau latejando e ficando cada vez mais grosso com aquele rabinho ... não demoramos ... ela começou a gemer e a gozar ... e eu bombando cada vez mais com mais ímpeto ... ela gozou ... se contorcia ... gemia ... uivava ... gritava ... eu segurei ao máximo aquele prazer que estava proporcionando aquela mulher carente ... até o momento em que também gozei ... senti minha porra jorrar forte dentro daquele rabinho ... jorrou tanto que começou a escorrer por aquelas coxas macias ... ela me pediu que queria chupar meu pau ... tirei ... fiquei deitado e enquanto ela chupava e lambia todo meu nectar ... eu chupava aquela bucetinha arregaçada e molhada por minha porra ... após isso nos beijamos misturando e trocando nossos líquidos de tesão, nos vestimos e fomos embora ... Hoje ela é minha cliente fiel, e sempre que podemos fazemos algumas loucuras, inclusive fizemos em conjunto com Marcilha ... que é uma gostosura de mulher, casadinha .. e coitada, também carente ... logo mais contarei como eu e Neuma resolvemos este problema de carência da Marcilha. Se alguma mulher casada, separada, viuva, divorciada ou até casais quiserem curtir algums ótimos momentos de puro prazer, estarei a disposição. Me escrevam, sou loiro, 1,75m altura, 85 kg, 38 anos, universitário, super discreto, não sou fumante e não curto drogas.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.