"Os mais excitantes contos eróticos"


A CALCINHA MELADA JOGADA NA CARA


autor: luah
publicado em: 08/11/16
categoria: hetero
leituras: 4607
ver notas
Fonte: maior > menor


Oi , precisava descrever minha aventura essa manhã , espero que você possa comentar e me estimular a escrever cada vez mais .
O dia amanheceu friozinho e peguei aquela calça jeans que tem cós baixo... que acentua a bunda e exalta as coxas e fica perfeita no corpo... lembro bem o quanto foi cara essa aquisição.
Acabava de acordar com um shortinho nu e uma camisa de algodão que ficava enorme mais uso poos parece que estou dentro dos braços de um homem grande e quente.
Assim começa a minha aventura de hoje ... abrindo a gaveta e tendo que escolher uma calcinha pra colocar por baixo da minha amada calça que não se adapta fácil a nada pois ama ser a dona solitária de cada pedacinho do tornozelo ... panturrilha... joelhos ... coxas ... até a virilha sozinha.
Na gaveta tem peças para várias ocasiões ... shortinho sem costura para vestidos longos ... calças maiores e confortáveis para as saias soltas e as pequenas do dia a dia ...essas são mais ousadas todavia nem chegam aos pés das de renda do final da gaveta que só de olhar parecem que gritam para serem tiradas nos dentes de um homem devorador .
Como a calça é de grande personalidade pego uma pequena e coloco ... ela é branquinha com pequenas rosinhas rosas ... lembrando nostalgias de uma adolescente que esta começando a conhecer seu corpo.
Olho o relógio e tenho que acelerar pois o dia já está em movimento... um café quente ... chego ao ponto e logo entro naquele ônibus que me trás tantas lembranças de um desconhecido que por tempos não vejo e sinto o molhar entre as pernas que se acentua com o enrolar da calcinha dentro da calça levado pelas nádegas que roçam uma na outra a cada movimento do corpo por estar em pé... a pequena vai se molhando e vai roçando gostoso na bunda suculenta que a devora e os pensamentos naquele faceiro homem aumentam o desejo e fazem cada vez mais o delicioso encomodo crescer ... o trajeto vai passando e a calça clama por liberdade ... ela não aceita a estranha pequena até que chego ao destino ... o escritório que me aguarda e logo vou ao banheiro tiro a pequena secando tudinho que a ronda... coloco dobradinha úmida no cantinho da bolsa e fico no roçar da calça dominando porém agora concentrada no trabalho ...
A primeira hora de trabalho se passa e meu chefe chega com um péssimo humor. .. um jovem maduro ... que sempre é sério mesmo tendo um peitoral maravilhoso e um olhar devorador ... sempre na ética do seu posto mas muito carrasco ...o que fazia esse emprego ser cansativo demais ...
Me chamou na sua sala e veio questionando as minhas planilhas com tom alto e do nada olhou minha calça que estava convidativa a mãos fortes ... se concentrou novamente e continuou a falar e pediu as outras pastas me segurei pra não dá na cara dele e sai da sala ... peguei minha bolsa e sabia que de sangue quente poderia me arrepender ao tomar uma decisão sem pensar ... o impulso me fez entrar na sala fechar a porta e colocar o dedo na cara dele e despejar tudo que engasgava a poucos Meses de trabalho ali e quando ele debochou insensível e irônico ... Não aguentei e abri a bolsa e taquei a calcinha na cara dele junto com vários palavrões que aliviam a alma e ele pegou a calcinha sentiu um leve molhar e sorriu ... o filho da puta sorriu safado e cheirou ...levantou devagar vindo ao encontro e enquanto eu aumentava o tom e o maltratava com palavras de baixo escalão ... ele sorria ... que me irritava profundamente até que me pegou forte pela nuca segurando no meu cabelo e a outra mão travando minha cintura e eu tentei afastar ele batendo naquele corpo enorme que me dominou num beijo devorador e me aquetou apertando minha bunda forte enquanto enfiava a língua na minha boca e por vezes na orelha me fazendo gemer e me entregar por inteiro enquanto ele abria a minha calça safada e a tirava me apoiando na sua mesa e descendo e chupando gostoso meu grelinho e minha bucetinha quente até não se conter e tirar aquela tora de dentro da calça e cravar sem piedade sem nada dizer além do olhar fixo no meus olhos ... entrava e saia sem pudor saciando desejos reprimidos até que fez gozar gostoso entres gritos e gemidos na sintonia dos corpos ...quando aquela calça voltou para o corpo que era dona enquanto ele se arrumava e limpava o suor do rosto e cheirava a pequena calcinha sorrindo saciado e fala:
-Bom dia Luah ...
Ela composta pegando a bolsa e totalmente relaxada olha sério e diz:
- Senhor irei refazer a última planilha . E sai da sala em direção ao seu escritório.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.