"Os mais excitantes contos eróticos"


A noite continuou na piscina


autor: amantesrn
publicado em: 22/10/16
categoria: hetero
leituras: 2978
ver notas
Fonte: maior > menor


[ Este conto é a continuação de ELA ME CHUPOU NO ÔNIBUS, caso não tenham lido, recomendo a leitura ]
Ao abrir o portão voltamos a nos beijar, tratei logo de tirar sua blusa para poder ter em minhas mãos aqueles lindos peitos que demonstraram tamanha excitação, não me deixando resistir a tentação e em quanto apalpava um passei a mamar no outro com leves mordidas no bico e alternando entre um e outro.
Amanda – Tá com fome neh? Tenha calma, tenho uma ideia me acompanha!
Sai feito um cachorrinho que segue o dono quando vai levando em suas mãos a vasilha da ração, enquanto observava Amanda retirando sua saia me revelando uma linda calcinha fio dental vermelha com lacinhos na lateral. Ela então me levou até a área de laser da casa, me sentando em uma espreguiçadeira e arrancando minha camisa enquanto me beijava ardentemente, descendo suas mãos lentamente enquanto arranhava meu peito e abdômen até encontrar o botão de minha calça. Depois de abrir o zíper puxou de vez levando minha calça e cueca juntos até meus pés, ficando presa pelo sapato, que tirei rapidamente pra facilitar que ela continuasse a tirar minha roupa, algo que arrancou um sorriso safado dela.
Amanda voltou beijando minha coxa até chegar com sua boca na altura do meu pau, deu um beijo gostoso e continuou subindo até colar seus lábios nos meus outra vez, sarrando com sua buceta em meu pau e me fazendo sentir o seu calor e desejo presos por um minúsculo pedaço de pano. Tentei soltar um dos laços enquanto nos beijamos e ela não deixou, colocando minhas mãos em seus peitos e em seguida, encaixando meu pau entre suas coxas macias para simular que já estávamos transando enquanto me deixava ainda mais excitado. Ela levantou-se e foi até o freezer e o abriu
Amanda – Quer cerveja?
Eu – Não, o que quero beber é outra coisa!
Amanda – Tarado.
Ela então fechou o freezer e voltando percebi que trazia algo em sua mão, que pude ver ser gelo ao aproximar-se de onde eu estava.
Amanda – Quero que relaxe, e sinta todo o prazer que este momento pode te dar!
E foi colocando sua mão fria em meu pau e punhetando lentamente enquanto colocava uma pedra de gelo em sua boca pra iniciar um delicioso boquete com sua boca fria, e aproveitando p gelo que sobrou ficou fazendo carinho em minhas bolas, me torturando lentamente alternando sua mão fria que hora me fazia carinho nas bolas para o pau, e com sua boca um pouco quente do meu pau agora para as bolas frias.
Eu – Amanda, estou quase gozando assim, não para!
Então ela parou. Ficou em pé me olhando e foi tirando sua minúscula calcinha, revelando uma buceta totalmente lisa entrando em contraste com sua pele queimada do sol me deixando ainda mais louco pra penetrar aquela mulher.
Amanda – Agora é minha vez.
Passou suas pernas por cima do meu corpo, colocou o pau direcionado na entrada de sua buceta, que estava muito quente e úmida, começou a sentar lentamente e tirou a cabeça do pau de dentro ainda mais lentamente. Repetindo esta tortura por uns cinco minutos!
Amanda – Sabe o que eu quero?
Eu – Me matar de tanto desejo?
Ela sorriu.
Amanda – Quero seu pau todo dentro de mim.
Eu – Então senta gostoso nele.
Amanda – Eu vou cavalgar seu pau, mas antes
Ela colocou suas mãos em meu peito e a cabeça do pau de vez empinando sua bunda em direção a piscina, subindo lentamente e me pegando pelas mãos.
Amanda – Deita ai.
Era uma espreguiçadeira, ela passou ao meu lado e colocou sua buceta em minha boca!
Amanda – Quero gozar na sua boca.
Chupei aquela buceta com tanto gosto que ela logo passou a rebolar em minha boca e gemer.
Cara, que gemido, que buceta!
Passei um bom tempo deitado chupando, até que ela começou a tremer, anunciando que estava próximo de gozar.
Amanda – Eu vou gozar, não para!
Então ela segurou na lateral da cadeira e imprensou a buceta contra minha cabeça, me fazendo ficar sem ar, mas aquilo fez meu pau ficar ainda mais duro e enquanto ela gozava fiquei alisando seu cusinho, arrancando gemidos mais altos dela. Quando terminou, ela levantou e me beijou com muita vontade!
Amanda – Vem, vamos nadar!
Acompanhei, ela mergulhou e saiu do outro lado ficando apoiada na escada.
Amanda – Vem bobo, a água está uma delícia.
Pulei e fui lentamente em sua direção, quando fiquei ao seu alcance ela me puxou como quem já não aguentava esperar, sentada na escada com as pernas abertas foi guiando meu pau até a entrada de sua buceta e passando suas pernas em volta do meu quadril quando encaixou a cabeça me puxou de encontro ao seu corpo fazendo com que a penetrasse de vez, fazendo ambos gemerem de tanto prazer.
Amanda – Me come bem gostoso, me como até gozar novamente!
Enquanto socava hora rápido hora devagar, ficava mordendo o pescoço dela e puxando seu cabelo de leve. Ela cravou suas unhas em minha bunda e passou a controlar a velocidade dos movimentos, e enquanto me beijava deslizou rapidamente um dedo até o meu e o alisou fazendo com que eu enfiasse tão forte em sua buceta que ela reclamou de um pouco de dor.
Eu – Essa parte está fora da brincadeira(e fui tirando seu dedo do meu cu).
Amanda – Você alisou o meu, então eu quis alisar o seu.
Eu – Então se eu comer seu cu, você vai querer comer o meu?
Amanda – Não, no máximo lamber até você gozar. Mas não para, me come vem!
Estava muito bom comer aquela mulher, sua buceta é muito apertada e enquanto eu ficava entrando e saindo, ela pressionava meu pau com os músculos de sua buceta, me fazendo delirar. Mas ai ela me empurrou e ficou de quatro, segurando na escada com a bunda pra fora da água.
Amanda – Vem, me faz gozar.
Não resisti, tinha que lamber aquele cu lindo que piscava me chamando.
Amanda – (enquanto gemia ela falava) Vem, enfia esse pau em mim e me faz gozar, quem sabe eu deixo você brincar ai também!
Enfiei, enfiei muito naquela buceta fazendo ela gemer. Vi uma oportunidade de comer um cu, já nem ligava mais se ela ia lamber o meu! Eu queria comer aquele cu.
Fui bombando enquanto a masturbava com uma mão e penetrava seu cu com o dedo.
Amanda – Eu vou gozar assim, goza comigo vai.
Eu – Vou demorar ainda.
E enquanto eu falava ela estremecia em um gozo tão intenso, que se eu não estivesse louco pra gozar naquele cu, teria gozado com ela só pra ela ter ainda mais prazer. Ao terminar de gozar, ela ficou boiando segurando em meu pau.
Amanda – Você não vai gozar não?
Eu – Vou, mas vou gozar no seu cu.
Amanda – Sabe o que é beijo grego?
Eu – Sim, mas essas coisas não rolam.
Amanda – Vamos para o meu quarto, lá vai ser melhor pra você gozar.

--

[CONTINUA]



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.