"Os mais excitantes contos eróticos"


Eu, Carol e o Corninho I


autor: amantesrn
publicado em: 10/10/16
categoria: traição
leituras: 4106
ver notas
Fonte: maior > menor



Carol estava de quatro empinada em seu nível máximo, vindo de encontro ao pau enterrando até o fim, fazendo aquele barulho gostoso quando nossos corpos se encontravam, me arrancando gemidos e suspiros que se misturavam com os dela, ao ver suas unhas cravadas no colchão e aquele cuzinho lindo piscando pedindo pra ser preenchido. Não resisti e coloquei meu dedo, arrancando ainda mais gemidos da minha putinha ali entregue ao prazer fazendo seu corpo estremecer e sua respiração ficar ofegante. Ela estava gritando que estava prestes a gozar quando seu telefone tocou, mas ignorou me pedindo pra esquecer e fazer ela gozar, porém nem havia parado de tocar ainda e começou novamente, não teve jeito, ela disse que ia atender mas me pediu pra não parar.
Carol – Oi amor!
Carol – Estou bem [ neste momento ela soltou um gritinho ]
Carol – Foi nada não, só senti algo aqui.
Ela passou alguns minutos em silêncio, apenas concordando e então explodiu em um orgasmo gemendo alto e soltando o telefone, esquecendo que o corninho estava na linha.
Carol – Vai seu puto! Eu tô gozando, isso, aaah! Delicia. Não para, vai, enfia tudo...
O telefone voltou a tocar, e entre gemidos ela me disse que esqueceu que seu corninho estava na linha quando começou a gozar, diminuiu o ritmo e atendeu o telefone, meu pau estava duro feito então fui tirando lentamente e posicionando na entrada de seu cuzinho.
Carol – Não, estou em casa! É que estava batendo uma, faz uns dias que não te vejo e acordei muito excitada hoje.
Ela percebeu minha intenção e se sentou, conversou um pouco pelo telefone e se despediu com beijos e frases carinhosas. Chupou meu pau e me jogou na cama, ficando agachada e colocando meu pau dentro de sua buceta super molhada e começou a cavalgar.
Carol – Ai gostoso, me fez gozar enquanto falava com ele!
Eu – Achou ruim ter gozado?
Carol – Não, adorei, me excitei ainda mais depois que lembrei que ele estava no telefone.
Eu – O que ele queria ?
Carol – Saber como estou, mas ao me ouvir gemendo ficou me perguntando se o estava traindo e disse que não, que estava excitada e pensando nele quando ligou.
Eu – Você é muito safada! Ele acreditou?
Carol – Não sei, mas a princípio sim, vamos esquecer dele e continuar que estou muito excitada. E pra te mostrar o quanto!
Ela tirou meu pau de sua buceta e enfiou em seu cu, apertado e gostoso.
Carol – Não era isso que queria? Vou te fazer gozar.
E foi descendo lentamente até entrar tudo, e depois se debruçando pra me dar um beijo gostoso, então passou a morder meu pescoço e orelha e falou baixinho;
É a primeira vez que estou dando meu cuzinho e se quiser, ele é só seu!
Eu – Quero sim!
Carol – O que você quer?
Eu – Seu cuzinho só pra mim, me dá!
Carol – Dou, sempre que você quiser, goza nele e jamais darei ele ao corninho.
Então ela cravou suas unhas em meu peito e aumentou o ritmo de sua cavalgada, me fazendo gemer e em pouco tempo explodir em uma gozada extraordinária. Mesmo cheirando a sexo e com seu cu cheio de esperma, ela se vestiu!
Eu – Qual a pressa?
Carol – Vou sair com ele, mas vou te levar dentro de mim!
Nos beijamos ardentemente, e meu pau ficou duro novamente, Carol chupou uns dez minutos ainda e disse que realmente tinha que ir tomei um banho rápido e saímos com a promessa de uma nova aventura em breve.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.