"Os mais excitantes contos eróticos"


AOS 16 INICIADA PELO TIO (1)


autor: julialemos
publicado em: 01/08/16
categoria: incesto
leituras: 30556
ver notas
Fonte: maior > menor


Meu nome é Júlia, tenho 19 anos e sou uma ninfomaníaca que desde os 16 anos que me entrego aos prazeres do sexo, na verdade com 16 foi minha primeira transa, pois praticamente perdi minha virgindade quando eu ainda tinha 12 anos e comecei a me masturbar, vou explicar melhor: lá em casa moramos eu, minha vó, minha mãe e meu tio e acho que a putaria é uma coisa hereditária que vem no sangue, minha vó hoje com 56 anos foi mãe solteira aos 20 anos de minha mãe e 5 anos mais tarde de meu tio já de outro homem, nunca casou e ainda hoje tem vida sexual ativa, minha mãe aos 16 anos engravidou do meu pai quando estudavam juntos, nunca se casaram, ela é secretária e amante do seu chefe a mais de 10 anos, um senhor de mais de 60 anos e casado, meu tio um boa vida que faz todo tipo de viração inclusive agenciar programas para garotas, porém mesmo assim mantemos ordem e respeito e é proibido levar namorados para dormir aqui em casa, meu tio que algumas vezes quebra esta regra e é pego de surpresa com alguém em seu quarto.
Sou loura, cabelos lisos e longos, olhos castanhos e 1,75 de altura e embora eu seja viciada em sexo, mas faço o tipo sonsa, moça de família, não ando, não falo e nem me visto com vulgaridade, só quando estou transando que me solto e com orgulho viro uma cachorra.
Por eu ser alta, desde 12 anos que já tinha meu corpo formado chamando atenção dos homens e sempre gostei disso, com essa idade foi quando me descobri sexualmente, certa vez mexendo nas coisas no quarto do meu tio achei uns DVD’s pornô, corri para meu quarto coloquei no computador e desde então me viciei em assistir vídeos e a me masturbar, por ser apenas 10 anos mais nova que meu tio, sempre tivemos uma relação aberta tipo de irmãos e uma vez quando ele me pegou mexendo em suas coisas, eu tive que contar o motivo, ele então me ensinou como acessar sites de vídeos e quando tinha algum DVD novo sempre me emprestava, só me pediu para nunca comentar com minha vó e minha mãe, então levava uma vida normal namorava muito mas nunca passava de amasso e alisados, apesar do meu tio ser um gato e mesmo com nossa cumplicidade até então nunca tivemos nenhuma atração um pelo o outro até que certo dia isso mudou, eu tinha um compromisso e só iria chegar a noite junto com minha vó e minha mãe, meu tio aproveitando-se disso levou uma namorada pra casa, meu compromisso foi cancelado e fui para casa mais cedo e quando cheguei ouvi um barulho estranho tipo uns gemidos vindo do quarto meu tio, fui devagar para não ser notada e verificar o que era, ele por achar que não chegaria ninguém estava com porta aberta, nu sentado na beira da cama, sua namorada também nua ajoelhada entre suas pernas lhe fazendo um delicioso boquete, era a primeira vez que eu assistia um sexo ao vivo, me posicionei de modo que não me vissem e fiquei assistindo a cena, ela mamava deliciosamente em sua rola, eu já tinha visto meu tio de cuecas várias vezes mas nunca o tinha visto com o pau duro, e fiquei admirando o tamanho e o volume, parecia com as rolas dos filmes que eu assistia, grande e grossa, ela chupava o pau dele, deixava todo babado, esfregava no rosto e abocanhava novamente, depois ele deitou ela de bruços na cama e enfiou o pau na buceta dela e socava com rapidez, eu excitadíssima com a cena, abri os botões da minha blusa e comecei a massagear meus seios, levantei minha saia e com a outra mão acariciava minha bucetinha por baixo da calcinha, eles transavam em várias posições e eu escondida assistindo tudo, depois ela se ajoelhou, ele ficou em pé, bateu uma punheta, ela abriu a boca e ele soltou jatos de porra na sua língua, eu já estava nas alturas e com os dedos enfiados na minha bucetinha dei um gemido alto, só sai do estase quando ouvi meu tio perguntando:
- Que porra é essa Julinha?
Abri os olhos assustada, pedi desculpa ao meu tio e corri para meu quarto, depois de um tempo meu tio bate na porta dizendo que está de saída para levar a garota embora, fiquei ali pensando em tudo que tinha acontecido, liguei o computador, entrei num site pornô e novamente fui me masturbar. A noite quando ele voltou minha mãe e minha vó já estavam em casa e agimos com naturalidade, depois quando estávamos sozinhos ele tocou no assunto:
- Julinha, julinha você é doida mesmo né menina.
- Doido é você tio que trás essas putinhas aqui pra casa e ainda fode com a porta aberta
- É mas você gostou do que viu, tanto é que estava na maior siririca, você é muito saidinha pra quem tem 16 anos
Eu fiz carinha de ingênua e disse que não tinha como resistir ao meu primeiro pornô ao vivo, dei uma risadinha, ele também sorriu, minha mãe se aproximou perguntou de que estávamos rindo, demos uma desculpa tola e morreu o assunto e nunca mais falamos sobre isso, mais depois era frequente eu me masturbar pensando na rola do meu tio, assistia os filmes e imaginava que o ator era ele.
Nesses anos todos que ele me emprestava seus DVD’s nunca tínhamos assistidos filmes juntos, mas numa tarde estávamos sozinhos, meu tio estava deitado em sua cama com o notbook no colo, eu lhe perguntei o que estava vendo e ele disse que nada demais e perguntei se era algum site pornô e me deitei ao lado dele para verificar, ele realmente estava vendo um site com vídeos de musicais e brincou dizendo que eu tinha mente muito poluída e sorriu, não sei porque mais pedi pra ele colocar alguma coisa mais interessante pra a gente ver, ele acessou um site colocou uma cena em que tinha uma garota com três homens, ficamos calados lado a lado assistindo a cena, quando olhei de lado vi que meu tio estava de pau duro e o acariciava discretamente por cima do calção, quando ele percebeu que eu tinha visto deu um salto da cama e disse que já estava bom que eu fosse embora, eu disse pra ele deixar de besteira que não tinha nada demais, ele disse que ia precisar de privacidade que o filme tinha lhe excitado muito e ele tinha algo a fazer, foi quando num impulso lhe pedi
- Deixa eu ver
Ele com cara de espanto me perguntou
- Ver o quê menina você tá doida?
- Deixa eu ver você bater uma punheta, quero só ver, vai deixa?
- Julia Para com isso, não brinque com fogo
- deixe eu ver que deixo você em paz, vai por favor deixa de besteira
E depois de muito insistir, as vezes fazendo voz e carinha de ingênua e outra hora de menina sapeca ele não resistiu:
- Tá bom, não sei onde estamos com a cabeça, vai se afasta
E ficou em pé batendo punheta com a mão dentro do calção, então reclamei:
_ Ah não, coloca pra fora assim não vale, eu quero ver
Então ele baixou o calção deixando a mostra um lindo, enorme e grosso cacete duro e começou punhetar e o pau parecia aumentar ainda mais, depois me pediu para virar a tela do computador pra ele mostrando ss cenas para que pudesse ficar mais excitado, eu disse que tinha uma ideia melhor, fiquei sentada na cama com o notbook no meu colo virado para ele e tirei minha blusa, deixando meus seios amostra enquanto massageava e brincava com os mamilos, ele acelerou a punheta e ficou ofegando entre gemidos e começou a dizer coisas comigo tipo “sua cadelinha, você quer ver a porra saindo do meu pau, pois já já eu vou explodir” eu continuava a massagear meus seios e olhando fixamente para aquele caralho, ele me perguntou se eu queria que ele gozasse em minhas mãos, e sem pensar duas vezes disse que queria, soltei meus seios e fiz uma conchinha com as duas mãos e me aproximei do seu cacete, ele colocou uma mão em minha cabeça me apertando com força, e começou a espirrar porra dentro de minhas mãos, eu olhava fixo em seus olhos enquanto enchia minhas mãos com sua porra, depois que ele gozou tudo ainda balançou o cacete para extrair o restinho de porra, depois ele se afastou e ficou me olhando, eu abri as mãos fiquei admirada com a quantidade de porra que tinha em minhas mãos e iam escorrendo pelos dedos, fiquei passando uma mão pela a outra, ele me perguntou se estava com nojo, eu disse que não, o cheiro era forte mas mesmo assim aproximei do meu nariz e dei uma cheirada mais forte, ele disse para eu provar, olhei para ele, olhei para minhas mãos, melei um dedo e coloquei na ponta da língua timidamente, ele disse que assim não teria como sentir o gosto, então melei o dedo novamente e dei uma chupada, fiquei por alguns instantes analisando o sabor e ele me perguntou o que tinha achado, eu lhe disse que era gostoso então ele disse pra eu lamber minha mão, de imediato fiz o que ele disse, lambi com gosto como se estivesse com a mão melada de massa de bolo, ele se aproximou me deu beijo na cabeça e disse:
_ É melhor a gente parar por aqui senão vai dá merda, vai veste tua blusa e vai lavar essa mão que eu vou limpar essa porra que tá no chão antes que as mulheres cheguem
Eu me levantei e sai ainda lambendo minhas mãos, naquele dia resolvi que já estava na hora de ser uma mulher completa, me entregaria de vez ao sexo e comecei a planejar como seria, decidi que não seria ninguém da escola, pois não queria ninguém imaturo, teria que ser com alguém experiente que além de me dá prazer me ensinaria tudo sobre sexo, e para isso não tinha pessoa melhor que meu tio e depois do que tinha acontecido não seria difícil.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.