"Os mais excitantes contos eróticos"


Meu Desejo


autor: Analuz99
publicado em: 09/05/16
categoria: romance
leituras: 1614
ver notas
Fonte: maior > menor


LEIA A PARTE 1
Eu e Ana estamos juntos ja faz 3 meses, eu sou feliz com ela e ela comigo. Mas meus pais estão passando a não aprovar esse namoro, ela é filha da nossa empregada, Antonia, meus pais querem que eu namore alguma filha dos amigos deles, aquelas patricinha metidas que eu não suporto.
Era uma sexta feira, levei Ana para comer uma pizza, ela parecia triste, incomodada, então eu logo queria saber o que se passava para minha morena esta triste.
- amor o que houve?
- nada não amor, estou bem.
- me diga o que foi, vou ficar chateado
- tudo bem, estou assim pos sei que seus paia não estão mais aprovando nosso namoro eles me veem como uma pobre coitada, filha de empregada, querem que eu vá embora..
- nao amor, ohh relaxa isso tudo é doidera sua
- tudo bem então, deixa para lá
Depois disso, ela terminou comigo, voltamos para casa e cada um para o seu quarto.
No dia seguinte, meus pais estavam conversando comigo sobre o que eu iria fazer no meu aniversário de 23 anos, eu não estava muito animado mas queria festejar pos nunca passei 1 ano se quer sem meus amigos, então fiz um evento no face e chamei o pessoal da faculdade, academia, futebol, da vizinhança e ate da época da escola.
Ana me evitava e eu sentia muito sua falta, falta do seu sexo, seu carinho, sua simplicidade e de ter aquela linda mulher toda para mim, sempre.
Ana estava estudando, fazendo cursinho a noite, saía as 18h e voltava as 23h, eu quase não a via mais, já se passara um mês do nosso termino e eu ainda pensava nela, tinha as meninas da faculdade, do surf...mas não chegava aos pés dela.
Um certo dia, estava na varanda de casa jantando quando vi Ana chegar, estava de vestido verde, bolsa bege e cabelo solto, estava linda mas estava arrumada demais pra quem vai para cursinho, fui atrás dela, cheguei por trás dela, sentindo seu cheiro doce de longe...
- ei, oi Ana, tudo bem?
- sim, uhum e com você?
- estou bem, está tao bonita..estava no curso?
- não, fui dar uma volta, estou aprendendo a andar sozinha aqui..
- ah sim, sozinha? Cuidado pode ser perigoso
- não, estava com um amigo meu
- amigo? Que amigo?
- um amigo do cursinho, Matheus
Ela sorria em falar desse tal de Matheus, eu queria matar esse filha da puta.
Ela estava tomando um suco, destraida, mexendo no celular, comecei a me estressar.
- sua mae sabe que esta com amigos em cursinho?
- sim, mais ou menos, por que?
- nada não, só curiosidade.
Eu estava batucando os dedos na pia, quase furando a mármore de ódio quando ela se levantou, me olhando e pegando sua bolsa, eu pedi para ficar mais um pouco e ela se aproximou de mim me dando um beijo no rosto.
Aqueles olhos esverdeados me olhavam e eu queria dizer o quanto sinto saudades e tudo que estava passando sem ela.
Ela virou se direcionando para o quartinho de sua mae, quando eu a puxei segurando seus braços virando a para mim
- ei Ana, eu não aguento mais..
- o que foi?
- você, sempre que te vejo você é tudo que quero, eu faço tudo por você, quantas vezes for preciso..
- Gui, eu nunca terminei por falta de amor... Seus pais não me aceitam, minha mae não gosta, não tem como a gente ficar, entende? Eu não vou mentir, ainda tenho sentimentos por voce...
Ela acariciou meu rosto me olhando
- então fica comigo, por favor.. Nem que seja escondido..
Eu a puxei para meu corpo, deixando meu corpo colado com o dela..
Ela segurava meus ombros, me implorando para parar
- amor, por favor...
Eu segurei em sua nuca, olhando a nos olhos, rosquei meu nariz no dela, deixando nossos lábios em comunhão um com o outro, sentindo sua respiração quente em meu lábio quando a puxei para encostar na parede, era eu e ela, fui dando beijos em seu rosto ate chegar em seu pescoço, seu cheiro me deixava com mais desejo, seus carinhos em mim, ela me desejava também.
Eu chupei seu lábio, sussurando em sua boca como ela era gostosa
Ela me beijou sem censura, me mostrando todo o desejo que estava por mim, brincava com minha lingua e a chupava, me deixando de pau duro, me deixando louco por ela, eu apertava aquela bumbum macio, sarrava meu pau nela mostrando como eu a queria p mim
- Gui, preciso ir para o quarto..
- não amor, por favor, fica aqui comigo..
Eu abri meu botao e meu zíper, abaixei a barra da cueca e saquei meu pau molhado e rígido de tesão por ela, botando sua mao em mim
- amor não faz isso, por favor
- faço..faço sim, safada
Ela masturbou meu pau que estava todo melado de tesão por ela, apertava minha cabeça para me enlouquecer, eu puxei seu vestido para cima, apertando sua bunda com raiva, puxava sua calcinha, fazendo precionar em sua buceta com forca, ela me olhava enquanto agitava meu pau, ela dava gemidos baixos, dizia que me ama e que queria aquele pau em sua buceta.
Estávamos na cozinha, meu pai trabalhando e minha mae dormindo, dona Antônia a essa hora, dormindo de tao cansada.
Eu a virei, deixando sua bunda coladinha em meu quadril, segurava sua cintura pressionando seu corpo contra o meu, desligando a luz da cozinha fui caminhando ate a sala, onde só tínhamos a luz do corredor ligada, eu a encostei na parede, com a bunda arrebitada eu me abaixei descendo sua calcinha, dando beijos naquele bumbum tao meu que me deixava com saudades, abria sua bunda delirando naquela buceta tao melada, meti minha lingua nela, fazendo minha boca entrar em sua buceta totalmente, minha lingua subia e descia naquele grelinho, ela gemia baixo, quase rasgando seu vestido, eu queria dar tapas e tapas naquele bumbum, mas alguem podia ouvir.
Ana tirou seus seios morenos para fora do vestido, com aqueles biquinhos duros que eu queria chupar ate ficar roxo, aquela sala era muito grande um gemido era um grito em tanto silencio que se habitava ali.
Puxei uma perna de Ana para cima prendendo em minha cintura, deixando caminho livre para meu pau entrar naquela buceta, Ana gemia em meio aos beijos que me dava, me arranhava e mordia meus ombros, soquei meu pau naquela bct ate a perna bambear, não podíamos fazer barulho, ela me deixava louco com seus gemidos em meu ouvido, meu desejo por ela era insaciável..
Eu não demorei muito para gozar naquela bct..
Ela olhou no relógio e já eram 02:00 da manha, se assustou como o tempo que passou rápido, desesperada arrumando seu vestido quando eu queria muito mais, não tinha matado a saudade da minha morena...
Puxei a para o sofá, mas ela estava preocupada com a chegada do meu pai, quando eu segurei meu pau e comecei a me masturbar olhando para ela, com cara de pidão, implorando para ela ficar, quando fui surpreendido com minha gostosa tirando a calcinha e sentando se de costas no meu pau, rebolando gostoso demais me fazendo eu puxar seus cabelos de tanto tesão, ela me olhou sobre os ombros com aquele olhar, gemendo totalmente ofegando, quando pus a mao em sua cintura ela parou, ordenando para que eu não a tocasse..
Eu claro não a obdeci, deixando a com raiva, descendo e subindo no meu pau com aquela buceta aberta virada para mim, ver meu pau aparecer e sumir ali estava me deixando doido, eu abri aquela bunda, deixando ruidos ficarem altos, o barulho da penetração do meu pau na buceta dela me fazia querer deixar aquela bct roxa de tanto pau, ela não se controlou e soltou gemidos altos que tive que tapar sua boca, acabava de sentir seu gozo escorrer sobre meu pau, ela tremia, gemia e me olhava.
Nós nos vestimos e fomos dormir, levei ela ate o quarto de sua mae, onde beijei minha morena e me senti completo novamente.
Fui para meu quarto com um sorriso ao ouvir um eu te amo da mulher mais linda do mundo
De manha cedo, tomei café e fui para a praia, voltei na hora do almoço, Ana estava no banho, Antônia lavando louça e o celular de Ana em cima da mesa da cozinha, tinha 5 mensagens...
Esperei Antonia se destrair para ver mas quando abri, era esse tal de Matheus dando em cima da minha morena, eu me vi preenchido de ciúme, imaginei esse moleque beijando ela, levando para sair, botando a mao naquele corpo que é todo meu, transando com ela.
A Mensagem era a seguinte
"Oi Ana, tudo bem? Hoje vai rolar cinema? Ontem você estava linda, gostou dos desenhos? Quero te ver hoje"
Eu queria matar aquele filho da puta.
Ana saiu do banho, cabelos molhados e cara de sono. Me deu um sorriso e um boa tarde, pegou o celular e foi para o quarto, eu tinha perdido a fome, peguei meu celular e mandei uma mensagem para Ana : Amor, hoje podemos nos ver de novo?
E ela me deu a desculpa de ter curso e de ter muitos trabalhos para fazer...
Ela ia sair com aquele merda, com certeza.
Eu já não sabia mais o que fazer, se desistir era a melhor escolha.
Então fui tentar esquecer disso um pouco e foi quando me vi bebendo choppe e fumando um maço de cigarro. Voltei para casa de taxi e vi Ana saindo de calça Jeans clara colada, um casaco preto e branco curto, sapatilha e argolas, minha mulher estava linda para outro...
Então resolvi esquecer de Ana mesmo tendo a tentação de vê lá quase todos os dias...
Ela chegou em casa por volta de 01h30 da manhã, estava sorridente, eu estava vendo TV na sala só para ver que horas ela iria chegar..
Fingiu que nao me viu, constrangida
- por que esta fazendo isso comigo?
- isso oque?
- ontem ficou comigo, disse que me amava e hoje sai com outro?
Coloquei as maos em meu bolso
- o matheus só é um amigo eu já disse, nos só falamos em matemática e física, ele me ajuda
- seu professorzinho agora?
- não, apenas meu amigo!
Ela se aproximou de mim brava, tentando explicar que não tinha nada com ele
- esse cara não quer ser só seu amigo Ana, nenhum homem quer, você é linda, inteligente, simpática, tem um corpo lindo esses caras são cheios de ma intenção!
- Guilherme, não somos mais namorados! Para de tomar conta da minha vida
Foi tudo que eu precisava ouvir...
Desviei o olhar e fui me deitar, não queria mais saber de Ana, eu iria sentir saudade mas ela já não era mais minha...
Eram 04:30 da manhã, alguem abrira a porta do meu quarto, eu liguei o abajur e vi Ana, com um shortinho cinza e uma blusa branca, veio em minha direção
- ei gui posso falar com você?
- você não acha que esta tarde?
- desculpa, eu fui muito grossa com você, eu fui muito estupida
- ta, beleza, já passou
- ei, por favor olha para mim, eu estou arrependida
Eu a olhava, me segurando para não dizer que a queria, que ela era tudo que eu sempre quis.
- tudo bem Ana, eu te desculpo, esta tarde amanhã nos falamos!
Ela sentou em minha cama me olhando
- posso dormir aqui?
Eu já estava aguniado de ver aquela mulher com aquele shortinho na minha cama, tao longe de mim... Mas eu n podia cometer o mesmo erro
- não Ana melhor não..sua mae e meus pais não vão gostar
Ela abaixou a cabeça e concordou, respirou fundo desfarçando o ar de choro, me olhou com um sorriso forçado e me deu boa noite
Meu coração estava partido, queria Ana só para mim, mas ela não era mais minha.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.