"Os mais excitantes contos eróticos"

 

COMO TUDO COMEÇOU!-ULTIMO DIA


autor: TGRIP
publicado em: 03/06/17
categoria: outra
leituras: 353
ver notas
Fonte: maior > menor


COMO TUDO COMEÇOU!

TEMPORADA 02

Capítulo 21

00>
ULTIMO DIA


NOTA:
Aconselho a lerem desde o primeiro capítulo, para compreenderem tudo.
Espero que gostem, critiquem e opinem.
As histórias/relatos desde o capítulo 15 foram adaptados à ideia do casal soad_xxx.


-(Sónia) Anda lá, borracho.
-(Paulo) Epa, não sei, nunca fiz isso. Sei lá o que eu vou dizer.
-(Nuno) Não te preocupes com isso, diz a verdade.
-(Paulo) A verdade? O homem morre.
-(Sónia) Não morre nada, ele já está habituado a ouvir essas coisas.
-(Amílcar) Anda lá que eu quero gravar-te a ires ali. Até pago para tu ires lá.
-(Paulo) Opa, assim, a conversa já é outra, siga para bingo.

Último dia na Nazaré e agora tenho que ir ao confessionário.
Estes gajos dizem que eu preciso de limpar a alma dos meus pecados....estão a esquecer que os meus pecados são os deles também.

-(Paulo) Estou?
-(Padre) Sim, meu filho, estou aqui, isto não é uma chamada de telemóvel.
-(Paulo) Ah, sim, peço perdão. Não sei como fazer isto. É a primeira vez. Tenho que me apresentar?
-(Padre) Fica ao seu critério, meu filho.
-(Paulo) Ok. Errr...isto é complicado....
-(Padre) Não existe complicação nenhuma, meu filho. Pode ajoelhar-se e dizer "Abençoe-me, Srº Padre, pois eu pequei", fazendo o sinal da cruz ou não dizer nada e simplesmente desabafar comigo.
Já compreendi que é a primeira vez, por isso, não se preocupe, diga-me, como vai a sua fé?
-(Paulo) Se vai bem ou não, eu não sei, pois nunca a vi.
-(Padre) Meu filho, diga-me, que pecados veio falar com Deus, Nosso Senhor.
-(Paulo) Pfff...nem sei por onde começar. É que é assim, eu não vejo isto como pecado, mas sim, como uma segunda vida, para mim e os meus amigos.
-(Padre) Porque não começa pelo o princípio?
-(Paulo) Ok, eu vou dizer-lhe Como Tudo Começou!
O meu casamento com a minha esposa, estava por um fio, na direção de mais um divórcio do que outra coisa, mas de repente, vi uma luz...
-(Padre) A Luz do Senhor...
-(Paulo) Não, acho que era do candeeiro e por favor, não me interrompa, porque senão isto vai custar a falar. É que eu não o conheço de lado nenhum e estar a falar assim com um desconhecido é um pouco estranho para mim. Continuando...
-(Padre) ...
-(Paulo) A nossa segunda oportunidade de vida, foi quando eu e a minha esposa começamos a fantasiar sexualmente com o ex-namorado dela, o Jorge e com o nosso casal amigo, o Nuno e a Sónia.
E por falar desses meninos, eles é que me obrigaram a vir aqui falar com o senhor padre.
Esse casal amigo, é muito católico, mas, mais malucos que sei lá o quê...
Então não é que esse meu amigo, que o considero como um irmão, não pôs os cornos à Sónia, com a vizinha do 2º Esq.?
É verdade e a gaja é feia e gorda, comparada com a do 2º Dto, mas eu já chego lá, calma, ok.
A Sónia acabou por descobrir e querendo vingar-se do marido, encornou o marido comigo.
Nesse dia, acabamos por entrar numa orgia sexual, entre eles, eu e a minha esposa.

Até aqui tudo bem, porque como o senhor deve saber bem, qual é o homem que não gostaria de fornicar...ah, posso dizer fornicar?...a esposa do melhor amigo? Só um tótó, não é?
Só que a put...desculpe, quero dizer, a minha linda esposa, também se quis aproveitar do acontecimento e foi logo com o ex-namorado dela.
Até aí tudo bem, porque se eu pude comer...- eu agora digo comer, porque acho que fornicar é uma palavra muito forte - ...a melhor amiga dela, porque razão ela não poderia fazer com o ex dela.

Sabe, ela é a minha alma gémea e por isso se eu tive direito, ela também tinha que ter.
E vou ser sincero, eu nem me importei, até foi giro. Só não gostei, foi da segunda vez, que o pai, trouxe o filho.
Esse caral....desculpe, esse gajo, é que me lixou bem.
Foi a primeira e a última vez de pretos lá em casa. Não sou racista, compreenda, porque eu tenho um sofá preto lá na sala que foi os olhos da cara e gosto muito dele, é muito confortável.
Mas o filho do Jorge, é um abusador, fazendo lembrar o Amílcar, mas eu já chego lá.
Agora, a minha linda esposa, lembrou-se de fazer o impensável. Tirar o preservativo no ato.
Eu sei que a igreja não é apologista do uso das galochas, mas, senhor padre, tem que ver uma coisa, o problema não é o engravidar, mas sim, as doenças. OK, engravidar também o é, mas...
E foram três meses de espera, sem fazer amor, nada. As coisas que passaram pela aquela cabecinha vermelha, como SIDA e não só.

Três meses e umas pinguinhas de sofrimento em todo o aspeto e que depois da vacaria, desculpe o termo, em casa dos meus amigos, tinha que voltar a acontecer na minha casa.
Sabe, se existe pessoas a quem se possa chamar amigos, são eles os dois.
Sempre em cima do acontecimento, sempre nos dando suporte e força.
Tanta força e suporte, que a minha esposa acabou-se por enrolar com o Nuno e eu a voltar a enrolar-me com a esposa dele e que ia me matando de susto, quando disse que estava grávida de mim.
Ô senhor padre, só faltava essa, não é? A mulher do meu melhor amigo, grávida do marido da melhor amiga dela.
Por incrível, eles os dois queriam ser pais de um filho meu, mas, para minha sorte, aquilo foi tudo maluqueira da cabeça dela.

E se o senhor acha que estes gajos são malucos, então se conseguir ver os outros dois que estão ali ao lado deles, esses, são de estremecer o céu e o inferno.
Posso dizer inferno aqui na igreja? Bem, penso que sim.
A Marta, é aquela dos olhos lindos, baixinha e gordinha, muito querida e com ideias parvas, mas já lá chegamos.
Este casalinho, é muito liberal, muito mesmo.
Ela fazia "trabalhinhos" por encomenda a clientela de dinheiro e com uns gostos muito dúbios, a que o marido a levava.
As ideias deles são do outro mundo, tanto que nos levou para debaixo de uma ponte, lá ao pé de onde moramos e aquilo que se viu, acho que até o senhor tinha vergonha de ouvir.
Mas, por causa das ideias daquele casalinho de pombinhos, o vizinho do Nuno, que mora no 2º Dto, não confundir com a vizinha do 2º Esq., apanhou-nos em flagrante e começou a chantagem.

E vou dizer-lhe uma coisa, não consigo compreender é porque, os católicos ferrenhos são os piores?!
Pois os vizinhos deles, do 2º Dto, são uns devotos fanáticos, mas naquele dia esqueceram-se da devoção, voltando ela para nós dois.
O vizinho do Nuno, obrigou-nos a ter relações sexuais com a esposa dele.
Que, vou lhe ser muito sincero, foi um sacrifício descomunal, quase como os 12 trabalhos de Hércules.
E para ajudar ao nosso sofrimento, pois, não queríamos fazer nada daquilo, ainda fomos obrigados a satisfazer sexualmente o marido, já não chegava a esposa.
E para piorar, a esposa dele é amiga de longa data da minha esposa.

Agora, diga-me Srº Padre, o que iríamos fazer em relação a isto? Dizer a verdade, éramos comidos vivos. Mentíamos a elas, aumentava o pecado sobre nós, preferimos fazer de políticos, não dissemos nada e continuámos a nossa vidinha a sofrer de arrependimento.
E por falar em arrependimento, o namorado da minha filha, que já não é namorado, arrependeu-se do que tentou fazer com ela, o abusado.
Ele tem um fetiche marado de se vestir de mulher à noite e coitadinho, veio chorar para a minha porta, no dia que as meninas foram fazer uma ladies night, está a ver o que é, não é, Srº Padre.
Todas as mulheres gostam de estar com as amigas, sem os maridos e tenho quase a certeza que a do senhor, deve ter um dia assim.
Bem, sem querer fugir muito ao assunto, o ex da minha filha, estava faminto de atenção e arrependimento e "caiu", literalmente falando em cima de nós.
Nós, eu e o Nuno, que como bons anfitriões, demos-lhe a melhor atenção possível, pois ele estava carente.
Eu acho que temos que ser uns para os outros e depois da atenção dedicada que lhe demos e ele mais contente, lá foi à vidinha dele.
O pior foi depois quando elas chegaram.
A vizinha do 2ºDto, também foi à ladies night e mostrou o que se passou naquele dia de sofrimento pecaminoso

Srº Padre, o senhor nem imagina, a gritaria que foi com nós os dois.
Sem cabimento e sem razão. Nós não tínhamos a culpa, como o senhor já deve ter compreendido.
E quem pagou a fava? Fomos nós.
Nós nisto tudo, é que somos as vítimas, mas elas não quiseram saber e com isso...vingaram-se.
Combinando com aqueles dois meninos ali, que são estroviados da cabeça, fizeram-nos coisas, que, até o senhor padre se benzia aqui o dia todo e não chegava.
Fomos humilhados de tal maneira, que ainda hoje nos dói o vasilhame.
É que existe coisas, que um homem, não se deveria submeter e elas e ele, abusaram da nossas confiança e humildade.
Custa-me, mas, custa-me imenso, informar o senhor padre, que fomos violados por mulheres.
Quero dizer, eu fui uma e às vezes um, isto até é estranho e complicado tentar explicar, mas o Nuno, foi mais que uma e não só. Coitado, mas, como eu lhe disse, só conta a primeira, porque o resto já fica habituado.

E ainda por cima, homens de bem que somos, as levámos à praia no dia seguinte.
Não mereciam, mas, nós amamos elas e fazemos tudo por elas.
Foi uma viagem de mais de 200 klms, para uma praia no cu de judas...
Ái, desculpe, senhor padre. Às vezes, falo mais do que deveria e sai-me a verdade.
Mas, nem tudo foi mau nesse dia e acabamos por conhecer um casalinho amoroso.
Eu sinceramente, dou-me melhor com as mulheres do que com os homens, não sei porquê, acho que é aquela química, que eu tenho com elas e elas comigo.
E com esta menina, que coitadinha, tem um história tão triste, pois numa viagem que fez aqueles países esquecidos do 3º mundo, apanhou um doença gravíssima, que pode não safar-se desta.
Eu, com pena dela, dei-lhe todo o meu amor e carinho possível, como se desse aos meus amigos.
O marido dela, também teve uma atenção especial, que adorou.
Esse casalinho que vive em Inglaterra, foi com o moral em alta, em todos os aspetos.
Só espero que todo os mimos que lhes demos, sirvam para o grande desafio que ela tem pela frente.

Agora, à coisa de uns dias que chegámos aqui à Nazaré que comecei a ouvir vozes e a viver realidades alteradas e as dores de cabeça e não só e para meu grande azar, a minha linda prima e não só ela, pois teve ajuda, agarrou-me pelos colh....agarrou-me pelas mãos e Srº Padre, eu tenho que lhe dizer, que ricas mãozinhas que ela tem e o resto não é nada de mandar fora, só que a mãe dela, que é a minha tia, é muito ciumenta e os nossos vizinhos....
-(Padre) Calma.
-(Paulo) Calma? Mas ainda falta tanto...
-(Padre) Meu filho, porque não começa do princípio, desde o dia em que chegou à Nazaré.
-(Paulo) Do princípio? Isto vai demorar, ainda são 165 páginas e só até à Mid-Season.
Ok, então foi assim...



CONTINUA....

PRÓXIMO CAPÍTULO - NAZARÉ CAPÍTULO 22



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.