"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Assistindo um filme com a amiga


autor: UmPoetaVagabund
publicado em: 11/01/17
categoria: hetero
leituras: 4283
ver notas


Que clima pesado... Estávamos ali, um do lado do outro, olhando para a televisão, com as taças de vinho na mesa, banhados por uma fria vasilha vermelha com gelo. Eu não estava aguentando aquela tranquilidade, queria deixar as coisas intensas, então comecei a toca-la, aguardei respostas, mas você não me dava alguma comunicação de que queria algo, então continuei... Passando as minhas mãos quentes e ásperas em suas orelhas, enquanto meus braços estavam entrelaçados em teus ombros, massageava em círculos, suavemente. Enquanto a direita massageava a orelha, a esquerda passava na cintura, arranhando suavemente, deixando rastros vermelhos, até chegar próxima a virilha, escutei um murmuro, um gemido que flutuou pelo ambiente... e uma mão que começava a me tocar na nuca, logo as minhas caminhavam até a sua virilha, passando suavemente nas coxas, reconhecendo cada centímetro, arrepiando cada pelo, excitando cada nervo. Até que elas chegam no ápice, um lugar macio, áspero, molhado e ao mesmo tempo profundo. Em círculos ela massageava a parte mais alta e sensível, deixando baixos gemidos... Até ali, tudo para você parecia embaçado, seus olhos se fechavam e sua boca se abria, em ritmos até que o desejo me tomou conta, parei e te peguei no colo, levei-te até a cama,
a joguei e fui buscar a vasilha com vinho. Enquanto estava deitada vim com a vasilha na mão, a deixei perto de nós, enquanto tirava sua roupa levemente, peça por peça... com beijos intensos e lentos, aquele local era o nosso centro, que conexão... Quando você já estava totalmente nua, peguei um cubo de gelo, coloquei-o na boca e passei nas suas principais regiões... Na orelha, pescoço... devagar até chegar nos doce mamilos, eu os girava enquanto tocava sua cavidade, as pontas dos dedos entravam, circulando dentro. Após girar o gelo nos dois pontos, desci com ele flutuando pela barriga, até chegar na virilha... passando-o pelos lábios maiores, apenas reconhecendo a região e indo até a ponta de seu calcanhar direito,
massageando as duas pernas, que excitação você sentiu, perdia a conta de quantos múrmuros e gemidos você tinha dado. Enfim, cheguei a cavidade, não havia mais gelo, porém minha língua estava fria e deslizava pelos grandes lábios, esbarrando no clitóris... Ela passava entre os grandes, pequenos, lambuzando cada lábio e as vezes enfiando-a dentro. Lambuzando os lábios, descendo até o anus , tudo...Lambendo circularmente o clitóris e com os indicador e médio, tocava seu ponto G, em um ritmo... devagar, rápido, devagar, Mais rápido a mão e a língua se moviam, mais rápido, rápido... até que...


Aceito sugestões para continuação se desejarem e opiniões são bem vindas...




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.