"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Titio gostoso: a festa de família


autor: GostosudaPE
publicado em: 09/01/17
categoria: incesto
leituras: 8314
ver notas


Oi, gente. Vim contar pra vocês mais uma das minhas trepadas com meu titio gostoso.
Sou negra, baixinha, gordinha, com seios e bunda grandes. Já o meu titio tem 35 anos, negro, alto, forte, lindo e com um pau delicioso.

Já falei pra vocês que ele começou a me comer depois da minha festa de 18 anos e também do dia do meu primeiro anal. Procura pelos contos “Titio Gostoso” e “Titio Gostoso: o cuzinho”.

Era o mês de maio e a minha vozinha linda estava completando 70 anos. A família organizou uma grande festa de comemoração. Titio estava viajando a trabalho e fazia uma semana que a gente não metia gostoso. Eu estava pegando fogo! Nos falávamos o tempo todo pelo WhatsApp e até sexo virtual a gente fez. Era minha primeira vez nessa modalidade de sexo, mas titio Joel me ensinou tudinho. Mandei fotos da minha bucetinha molhada pra ele e ele me mandou as do seu pau duro, babando por mim. Nas vídeo-chamadas, a gente se masturbava até gozar, gritando o nome um do outro. Mas titio me acostumou a trepar quase todo dia e essa semana sem o pau nem a boca dele, estava me deixando louca. Ele volta hoje! Vai direto pra festa de voinha.

Me preparando para o evento, resolvi colocar o vestido que titio me deu de presente. Aquele curto, sexy e decotado. Ao sair de casa, meus pais me olharam de cima a baixo e Mainha disse:
---Minha Mari está crescendo. Linda!
Ela nem imaginava pra quem eu estava me vestindo...

Chegamos na casa de vovó e a família toda já estava lá, inclusive o meu titio gostoso. Trocamos olhares. Ele me comeu com os olhos. Passei por ele e fui abraçar minha vó. Depois cumprimentei o resto da família. Primos, primas, tios e tias do meu pai, fora os amigos íntimos. Eu sempre fui muito sociável. Depois de um tempo de conversa com as tias, Titio Joel me chama, me abraça como todo titio amoroso faz e, quando ninguém está prestando atenção em nós, diz no meu ouvido, :
---Vá no banheiro e tire a calcinha. Depois, entregue ela a mim.
Estremeci de tesão. Fui no banheiro, tirei a calcinha, que estava ensopada, e coloquei na minha bolsinha de festa. Voltei pra sala e entreguei discretamente a ele, que colocou no bolso. Sem dizer uma palavra.

Todo mundo se revezou em falar maravilhas sobre a minha vó e o jantar foi servido. Titio sentou ao meu lado numa das mesas. Conversamos sobre amenidades. Estávamos em seis na mesa e a conversa corria sem entraves. De repente sinto a mão de titio em minha coxa, por baixo da mesa. Me sobressaltei, mas o safado continuava com o rosto impassível, conversando com sua tia Dora. Tentei manter meu rosto inalterado e acho que consegui.
A mão de Joel subiu e alcançou minha bucetinha molhada. Sem calcinha, o acesso daqueles dedinhos gostosos era totalmente livre. Achou meu grelinho e começou a dedilhar. Que delícia!!! Me remexi um pouco na mesa, mas me mantive firme. Acho. O dedinho de titio fazia movimentos circulares no meu grelo e minha bucetinha babava. Eu olhava pra ele enquanto o safado conversava com as pessoas da mesa. Queria pedir pra ele parar. Não consigo gozar sem gritar e ia ser o escândalo da festa de família: sobrinha gozando aos gritos com o dedinho do titio.

O prazer foi crescendo mais e mais. Fechei as pernas e Joel as abriu de novo, com força. O dedinho seguia ligeiro. Senti meu melzinho escorrendo perna abaixo. O gozo se aproximava. Olhei pra ele. Continuava conversando e me deu um risinho pelo canto da boca, enquanto intensificava os movimentos do dedo. Peguei o copo de água e bebi. O gozo chegou forte. Me engasguei com a água, enquanto os espasmos de prazer sacudiam meu corpo. Foi o disfarce perfeito.
---Eita, Marina! Vai com calma. ---Falou o safado, enquanto dava tapinhas inocentes em minhas costas.
Ele levou a mão ao rosto e cheirou, discretamente, o dedinho que me bolinou. Quase gozo de novo.

A festa seguia. O som aumentou e um samba de gafieira tocou alto. Titio me tirou pra dançar. Fazíamos os passos de maneira faceira. A dança sempre foi parte da nossa família. Dançar era como andar, pra gente. Numa parte mais lenta da música, Joel diz no meu ouvido.
---Gostou de gozar em publico? Hahaha. Sei que sim. Dá um tempo e vai pro quintal. Te espero lá.

A música acabou e titio saiu da sala. Esperei um pouco e fui atrás dele. Ninguém percebeu muita coisa. A festa estava no auge. A música alta e todo mundo dançando. Painho e Mainha faziam passos mirabolantes no salão.

Cheguei no quintal. Estava escuro. Fui agarrada por trás e soltei um gritinho.
---Marina. Que saudade de você!
A mão de titio foi direto pros meus seios, por cima da roupa.
---Eu também, titio. Que ideia foi essa de me fazer gozar na mesa? Alguém podia ver!
Beijando minha boca com força, titio diz:
---Te fazer gozar é minha sina! Não aguentei esperar mais.

As mãos de Joel descem pra minha bunda e levantam o meu vestido. Já sinto seu pau duro me roçando. Ele me vira de encontro a parede com violência, abre o zíper da calça e mete na minha buceta por trás, enquanto agarra meus seios. Grito. Aquela rola dura me penetrava com força. O prazer logo chegou.

---Não faz zoada, putinha. Alguém pode nos ouvir.
Falou isso enquanto metia mais forte em mim. Aquele pau gostoso ia me fazer gozar rápido.
---Senti sua falta, Marina. Toquei punheta todo dia pra você, mas nada se compara à essa bucetinha carnuda e molhada. Vou gozar logo!

Aquela tora me arrombava. Gozei em uma explosão, mordendo os lábios pra não gritar.
---Titioooooooo. Quero sentir seu gozo na minha boca.
---Ah, Marina. Assim você me mata!

Ele tirou o pau de dentro de mim e eu ajoelhei na sua frente. Chupei aquela rola como o pirulito mais gostoso do mundo. Punhetei, babei, mordi de leve. Me concentrava na cabeça por um tempo e depois descia a língua por toda aquela tora. O homem segurava minha cabeça com força e urrava baixinho. Senti o primeiro jato quente direto na minha garganta. Titio gozou litros na minha boca e eu engoli tudinho. Ainda lambi aquele pau inteiro. Ficou limpinho, limpinho.
Titio me abraça e diz no meu ouvido:
---A putinha do titio... nunca vou me cansar de comer você.

Espero que tenham gostado. Bjks.
gostosudape@yahoo.com







ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.