"Os mais excitantes contos eróticos"

 

INICIANDO A CASADA SUBMISSA


autor: domrenatosc
publicado em: 16/11/16
categoria: bdsm
leituras: 3890
ver notas


Sou Dom Renato moro no litoral de SC e aqui está mais um relato de uma casada que iniciei. Se você deseja ser iniciada também me envia um e-mail para domrenatosc@hotmail.com – pode ser casada, noiva, namorada, solteira.
O que vou relatar aconteceu comigo no verão de 2014/2105. Sou uma mulher casada, mãe de família, tenho uma pequena empresa com meu marido e vivo bem. Porém tenho alguns gostos que até então achava estranho e meu marido nunca correspondeu, sempre tive vontade de apanhar durante o sexo, ser xingada amarrada, etc, mas quando eu pedia o máximo que ganhava era uns tapinhas e se dissesse “ai” ele parava no mesmo instante, me ama muito para me ver sofrer diz ele.
Estávamos trabalhando a mais de 5 anos sem tirar férias, até porque a empresa exigiu muito de nós nos primeiros anos, mas em 2014 estávamos decididos, vamos ficar um mês na praia em SC, mais precisamente em Balneário Camboriú. Como moramos em Curitiba não queríamos nos afastar muito de nossa cidade e o litoral de SC é perfeito.
Tudo preparado, descemos no dia 27 de dezembro, passamos o natal com os parentes e fomos em família para praia eu ele e nossos dois filhos adolescentes. Foi perfeito, final de ano descansando, muita praia, muito sol, muitos passeios, passagem de ano com os fogos na praia. Porém como imprevistos acontecem no dia 05 de janeiro os funcionários que ficaram responsável pela empresa voltaram mas o gerente sofreu um acidente no dia 06. Ligaram para nós e meu marido ficou muito preocupado e no dia 07 ele voltou até Curitiba para ver como o gerente estava e deixar algumas instruções para os funcionários.
Ele me ligou a noite mesmo e disse que teria q ficar ate fim de semana e capaz que outra semana tivesse que ficar em Curitiba também, ficaria alternando entre a praia e o trabalho até porque tínhamos alugado e pago uma casa de veraneio até dia 26/01. Fiquei muito triste, mas entendi que era necessário. Naquela madrugada não consegui dormir e eram 5hs da manhã estava acordada e sem nada pra fazer entrei em um chat de bate papo. Entrei com o nick casadaCtba.
Quando se esta em um bate papo destes a hora voa, e quando me dei conta já eram 7:30h e meus filhos estavam acordando, queriam ir cedo para praia. Preparei um café da manhã dei algumas instruções e deixei eles irem à praia, voltei para o bate papo, foi aí que tudo começou. Até ali tinha conversado com muitos homens, todos querendo sair, me pegar, eu entrava na onda mas sabia que não ia dar em nada, realmente queria apenas bater papo. Mas quando voltei teve um nick que me chamou atenção, era DOMINADOR-SC, eu disse oi, e depois das apresentações normais, perguntei o porque daquele nick, foi então que conheci o BDSM. Trocamos skype e ele foi muito paciente comigo e me explicou tudo, me explicou os termos, as praticas, e quanto mais ele explicava mais curiosa eu ficava e fazia cada vez mais perguntas. Cheguei em alguns momentos ficar molhada, tamanha era a excitação. Quando me dei conta já eram quase meio dia e meus filhos estavam chegando, desliguei rápido e fiz uma cara de sono como quem tivesse levantado aquela hora.
Como não tinha nada pronto, dei dinheiro para eles e mandei ir ao shopping comer alguma coisa. Depois deles saírem voltei ao skype mas meu “dominador” da tinha saído. Deixei ligado e fui dar uma arrumada na casa porque estava uma bagunça, depois de uma hora ouvi um sinal, era ele dando um oi. Voltamos nossa conversa mas agora ele não estava querendo me explicar muita coisa, estava perguntando se eu queria experimentar tudo aquilo. Por um momento fiquei receosa, mas disse que sim. Foi quando ele propôs um encontro, e eu disse que não. Não seria bom, apesar de já ter traído meu marido não estava disposta a fazer novamente, não naquelas condições. Então ele propôs apenas nos conhecer, sem compromisso, poderia ser no shopping, no mercado ou na rua, como se dois amigos tivessem se encontrado por acaso. Achei aquilo interessante ate porque estava curiosa em conhecê-lo. Até então não tínhamos trocado fotos.
Decidi que iria no mercado e se ele quisesse passar la, poderíamos nos falar por entre as gôndolas, ele disse que sim, e marcou para as 15h. Passei meu numero de celular para ele e desliguei porque precisava me arrumar, coloquei uma bermudinha jeans, uma camiseta e uma rasteirinha. Já que estava na praia não precisava me arrumar tanto pensei. Saí do apto e fui em direção ao mercado que era bem perto por sinal. Estava muito nervosa, ansiosa e uma mistura de sentimentos que me dava dor no estomago. Como precisava comprar algumas coisas peguei um carrinho e fui direto para o açougue, peguei uma senha e fiquei aguardando quando de repente toca o telefone e se eu não tivessse encostada em um balcão com certeza iria cair, porque amoleceu as pernas quando ouvi a sua voz, era grave, macia, e forte. Ele me disse olá, tudo bem? Falei oi.. e não consegui falar mais nada, ele perguntou.. você esta no mercado já? Falei que sim.. não conseguir compor uma frase sequer, a voz dele me hipnotizou. Perto de onde vc esta? Ele pergunta. No açougue, pode vir aqui estou com uma camiseta branca, uma bermuda jeans e uma rasteirinha, ate que enfim consegui falar.
Minha senha chamou, não conseguia pensar no que comprar, disse para o moço que voltaria depois. Foi quando me afastei e ele chega próximo e diz oi, tudo bem? Vem para me dar dois beijos como se fossem realmente dois amigos se encontrando. Minha vontade naquele momento era me esconder, fugir, correr, não só a voz dele era bonita, ele todo era perfeito. Alto, devia ter mais de 1,80 de altura, moreno claro, estava bem arrumado calça jeans camisa por dentro da calça e apesar de estar quente demais era de manga comprida dobrada ate metade do braço. Me explicou que estava trabalhando por isso estava vestido daquela maneira. Conversamos um pouco, não conseguia falar muito, me senti como uma criança na frente dele, sua presença era realmente dominante, acho que ele percebeu e despediu-se me prometendo chamar logo no skype. Não via a hora de chegar em casa, liguei o skype e fiquei aguardando, como prometido ele entrou, fui logo pedindo perdão, disse q estava muito nervosa, não sabia o que ele ia pensar de mim. Ele disse para eu não se preocupar pq era natural para ele uma reação daquela. Foi quando perguntou se estava disposta a encontrar ele no dia seguinte pela manhã. Disse que sim, queria mostrar que não era uma criança assustada.
Passei o endereço e ele me pegou 9:00h da manhã do outro dia. Entrei no carro disposta a ser mulher desta vez, mas me senti como uma menina, ele estava cheiroso, de óculos escuros disse apenas um bom dia seco e andou com o carro falando poucas palavras. Agora um medo e insegurança brotaram, porque ele estava tão diferente? Será que não gostou de algo? Tinha me arrumado para ele, seguindo suas ordens uma mini saia, uma calcinha minúscula, totalmente depilada.. será que ele não gostou?
Entramos em um motel, ele desceu pegou uma sacola no banco de trás, e entramos na suíte. Era uma suíte temática, como um X na parede, grades em volta da cama, algemas, quando vi tudo aquilo meu coração disparou, se não fosse pelas pernas bambas eu teria saído correndo. Ele sentou, me chamou para perto dele, mandou eu me ajoelhar e disse:
- Você sabe que este não é um encontro sexual né?
- ahan – eu disse com duvidas
- A partir de agora é sim Senhor ou não Senhor – ele disse
- Sim Senhor
- Ok, você não esta aqui para ter relação sexual, você esta aqui para servir – ele já tinha me explicado isso pelo skype mas achei bom ele estar falando aquilo novamente, parecia um cuidado comigo –
- Sim Senhor
- Você pode levantar e ir embora, porém se ficar não tomará decisões, apenas obedecerá minhas ordens.
- Sim Senhor, não quero ir embora.
- Boa menina, deixa ver se obedeceu o dono – disse isso me empurrando para o chão forçando eu ficar de 4 e levantando minha saia – muito bem cadelinha que calcinha bonita, linda mesmo. Tirou minha saia e disse: agora vem aqui, me puxando pelos cabelos, fiquei em pé e me levou ate o X. Algemou minhas mãos e meus pés. Estava de costa para ele com o rosto colado na parece totalmente presa.
Percebi que ele sentou, ficou me observando. Não sou uma miss, mas tbem tenho meus atributos, apesar de estar um pouco acima do peso, coisa que ele disse não se importar, tenho uma bunda empinada bem bonita, seios fartos, sou loira cabelos compridos. Mas estava me sentindo incomodada por ele estar me observando por tanto tempo, foi quando me percebi que estava muito molhada, tanto que sentia escorrer um pouco pelas pernas, tentei controlar mas a excitação era grande demais. Senti ele perto de mim, alisou minha bunda, deu um tapa leve, dois, três, do outro lado tbem, e começou aumentar a força, perdi as contas de tantos tapas q ganhei cada vez mais forte.
Ele perguntou se estava doendo, eu disse que sim, ele colocou a mão na minha boceta, percebeu o quanto ela estava molhada, perguntou se estava doendo porque ela estava daquele jeito, eu disse que não sabia, então ele continuou os tapas tão fortes que eu me contorcia toda foi quando aconteceu algo que eu nunca imaginei, cheguei ao orgasmo com ele me batendo. Nunca pensei q iria gozar desta maneira, mas estava tão intenso que não sei se ele percebeu gozei quando ele segurou nos meus cabelos e me chamou de vadia, puta, cadela, sem vergonha, eqto me xingava me batia, acho q a mistura da sensação da dor com a humilhação me fizeram gozar.
Ele me desamarrou, mandou eu ficar de 4, e fez eu andar por todo o quarto como uma cadela. Estar ali, obedecendo a ordem de um estranho, fazendo coisas que para mim era apenas fantasia, me deixava muito excitada. Por um momento pensei no meu marido, a se ele fizesse aquilo comigo, mas pensei em curtir o momento e deixar os pensamentos para depois. Ele mandou eu tirar os sapatos, depois as meias, depois sua camisa, sua calça, ele só de cueca sentou, e mandou eu beijar seus pés. Descobri o quanto eu gosto de estar aos pés de um homem, me excitou muito, beijar, lamber, adorar os seus pés, realmente ele era um senhor para mim e eu estava ali para servi-lo. Entendi ali o significado da palavra servir e que não estava ali para fazer sexo, mas para fazer a vontade do meu senhor.
Ele mandou eu subir.. fui beijando sua perna suas coxas ate chegar no seu pau, ele tira a cueca, e mandou eu chupar, coisa que faço com maestria, chupei, lambi, chupei as bolas, lambi cada parte daquele membro duro eqto chupava ele me xingava, deixava cada vez mais excitada, começou a bater com o pau na minha cara, me chamando de puta, vadia, cadela, casada sem vergonha, puta do macho dela, chamou meu marido de corno, de broxa, mandou eu abrir a boca e colocou o pau todo na minha boca, engasguei na hora, ele disse abra a boca, meu pau nem é tão grande assim, realmente já vi maiores, mas estava tão duro que não agüentava ele socar na minha garganta. Ainda bem que ele parou e me levou para cama.
Ele tirou toda minha roupa e calcinha, amarrou minhas mãos e amarrou minhas pernas abertas para cima. Toda exposta ali amarrada, indefesa para um estranho, era uma mistura de vergonha de tesao, de dor que me deixava cada vez mais excitada. Ele começou a estimular meu clitóris oras com os dedos oras com a língua, eu estava ficando cada vez mais molhada, então ele começou a brincar com o dedo no meu cuzinho.. eu disse não... (nunca havia dado meu cu, meu marido por muitas vezes tinha pedido, mas por causa de uma experiência ruim do passado nunca cedi) foi quando ele me deu um tapa forte, muito forte, percebi q ele tinha ficado bravo, eu comecei a chorar e disse por favor.. ele não deu atenção e introduziu um dedo no meu anus... parecia q eu tinha visto estrelas.. mas ao mesmo tempo ele voltou a estimular meu clitóris, e a sensação de dor no cu com o estimulo que ele fazia, me fizeram ficar muito, mas muito excitada, foi quando percebi que estava rebolando na mão dele, ele riu e me chamou de puta dizendo que eu gostava de dar o cu, eu não sabia se era o estimulo que ele me fazia no clitóris ou se era por estar amarrada, ou se realmente eu estava gostando de dar o cu.
A sensação era tão grande que meu corpo todo tremia, eu não conseguia falar, e me contorcia toda. O que aquele homem estava fazendo, eu já tinha lido sobre orgasmos múltiplos, era isso que estava acontecendo comigo? Era maior que eu, pedi para ele parar pq pensei que meu corpo não ia agüentar... ele parou... pegou um preservativo.. me desamarrou e me colocou de 4... cuspiu no meu cu.. pensei em disser que não queria mas não me atrevi a falar isso, apenas fechei meus olhos e relaxei, ele colcou então seu pau no meu cu apertado, foi me rasgando toda, a dor era muito grande, mas ele merecia meu cu, fez eu sentir o que ninguém conseguiu ate hoje. Bombou forte segurando em minha cintura e mandando eu dizer que meu cu era dele ate explodir dentro de mim. Gozou gostoso gemendo alto e forte, enfim meu Senhor satisfeito. Deitou, eu deitei no seu peito ele estava satisfeito e eu realizada. Foi quando olhei para o espelho q tinha no teto e me assustei, minha bunda estava toda vermelha, como eu ia explicar isso para meu marido? Pois bem, quando ele chegou na sexta, tive q fingir que tinha pegado um resfriado, e fiquei em casa, sempre bem agasalhada apesar do calor. Ele não desconfiou de nada. Meu dono queria me usar mais vezes, mas não tinha como esconder as marcas e resfriado passa rápido tbem, rsrsrssr.. mas voltarei em sua cidade outras vezes. Gostei demais.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.