"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Outra vez transei com minha filha


autor: cmcisneiro
publicado em: 14/04/16
categoria: incesto
leituras: 22237
ver notas


Já havia passado alguns meses desde que transei com minha filha pela ultima vez, ela me apresentou o seu namorado apesar de tudo gostei dele, é um cara gente boa muito carinhoso com ela e que a deixava muito feliz, notava-se no semblante dela o quanto ela se sentia bem ao lado dele, aquilo me causava um pouco de ciúmes como amante mas me deixava feliz como pai, certa vez dormiram na minha casa e contra a vontade deles cedi minha cama e dormi no sofá, na verdade não dormi passei a noite em claro imaginando o que estariam fazendo na minha cama, até colei meus ouvidos na porta para tentar ouvir algum gemido, já que minha filha quando transava gostava de gemer alto, mas não ouvi nada. Quando estávamos sós não tocávamos no assunto de quando éramos amantes, apenas uma vez estávamos conversando no telefone e por algum motivo falamos da nossa época de amantes e eu perguntei se ela estava feliz sexualmente, ela disse que sim, mas sentia muita falta de mim, disse que o namorado além de ser muito bom pra ela em todos os aspectos transava muito bem e a fazia gozar muito, e usou uma citação muito conhecida: “Transar com ele é como chupar o sorvete preferido, transar com você é chupar esse mesmo sorvete com caldas” aquilo fez bem ao meu ego e fiquei muito feliz, em seguida ela me perguntou se eu estava com alguém, eu lhe respondi que depois que tive uma mulher como ela não seria fácil me realizar com outra, ela deu uma risadinha e disse:

_ Papai eu lhe amo, mas siga a sua vida, pois você ainda é jovem e muito gostoso e com certeza vai achar alguém que possa a aproveitar essa rola

Rimos bastante mudamos de assunto e os dias se passaram, até que por motivos profissionais tive que viajar até a cidade deles, a principio passaria só um dia mas eles insistiram para que dormisse lá, quando resolvi o que tinha que fazer liguei para seu namorado conforme ela tinha combinado comigo, ele me pegou e levou para o apartamento deles, chegando lá ele me levou até o quarto que eu iria dormir disse que eu ficasse a vontade e me mostrou uma toalha que estava dobrada sobre a cama para eu usar e saiu para resolver umas coisas e depois pegar minha filha no trabalho e mais tarde nos encontraríamos, quando ele saiu eu me despi e me dirigi ao banheiro para tomar banho, mas quando peguei a toalha caiu algo de dentro dela, era uma calcinha da minha filha, levei até o nariz e me deliciei com aquele cheirinho doce que me fascinava, e como nos velhos tempos depois de cheira-la muito enrolei no meu pau e bati uma deliciosa punheta, depois que gozei diferente do que fazia antes não lavei, peguei a calcinha cheia de porra, fui até o quarto dela, procurei onde ela guardava as suas calcinhas e coloquei junto com as outras, se ela queria me provocar eu daria o troco a ela.

Mais tarde quando chegaram, nós saímos para um barzinho para beber e comer, ela pendurada no pescoço dele demonstrava está muito feliz, tanto ele fazia declarações para ela como ela fazia para ele, e notava-se que eram verdadeiras, eles realmente se curtiam e isso me deixava com mais duvida ainda, por que ela deixou sua calcinha usada para mim? Seria apenas uma brincadeira? Resolvi não pensar nisso e aproveitei aquela noite agradável com minha filha e meu genro. Voltamos para casa e depois de um tempo fui para meu quarto dormir, me embolava na cama, me virava e revirava e o sono não vinha, já tarde da noite me levantei e fui beber agua, e fui com o copo para a varanda do apartamento e me sentei numa cadeira e estava com o pensamento longe quando sinto a presença de alguém, olho do lado e vejo minha filha

_ Está sem sono pai? O que foi o quarto não é confortável?

_ Não filha, não é isso, apenas estou sem sono, e seu namorado?

_ Tá dormindo, ele não é de beber muito e hoje exagerou vai dormir feito uma pedra

Se aproximou e sentou no meu colo me abraçando pelo pescoço como fazia quando era criança, eu abraçava e alisava seus cabelos carinhosamente, mas depois de tudo que nós passamos era impossível um sentimento inocente, ela vestia uma camisola curta de cor preta e transparente, de calcinha na mesma cor e sem sutiã, depois de um tempo ela ficou em pé na minha frente, olhei para ela admirando-a e lhe disse:

_ Você está linda e cada vez mais gostosa, sinto muito sua falta, é melhor eu ir para meu quarto é muito difícil te olhar e não te pegar como eu quero

Ela me olhou, deu um beijo no meu rosto, eu olhei mais uma vez para seu corpo e fui para meu quarto, me sentei na cama com os pensamentos fervilhando, de repente vejo a maçaneta se mexer, minha filha entra no quarto fecha a porta e fica em pé diante de mim, solta as alças da camisola que cai aos seus pés ficando só de calcinha na minha frente, eu puxei ela para mais perto de mim e meti meu rosto em seus seios, beijava, mamava, mordia os mamilos enquanto ela alisava meus cabelos, depois fui beijando sua barriga, retirei sua calcinha e cai de boca na sua bucetinha, que loucura, que delicia, que saudades eu estava daquele gostinho em minha boca, depois fiquei em pé e nos beijamos apaixonadamente, nos soltamos ela foi beijando meu pescoço, meu peito, ficou de joelhos pegou meu pau ficou olhando admirando ele, que pulsava em suas mãos e começou a beija-lo e depois enfiou em sua boca, chupava lambia, beijava, babava se deliciava com minha rola, eu segurava em seus cabelos e me tremia todo com aquele boquete, depois ela deitou-se na cama e fui para cima dela, minha rola automaticamente já foi procurando sua bucetinha e enquanto eu enchia minhas mãos com seus seios, ela cruzou as pernas nas minhas costas puxando meu corpo para ela enquanto minha rola entrava e saia de dentro dela, eu lhe beijava na boca, chupava seus seios e ia socando com força minha vara dentro dela, ela começou a gemer alto, eu me preocupei que o namorado pudesse ouvir do outro quarto mas ela disse que ele tinha sono pesado e quando fodia comigo não conseguia segurar, eu lhe apertava e enfiava cada vez mais rápido na sua bucetinha macia, ela gritava que estava gozando e mandava eu enfiar com mais força, saí de dentro dela fui beijando sua barriga e novamente fui lamber sua deliciosa buceta, depois a coloquei de quatro e fiquei lambendo seu cuzinho e massageava sua buceta, depois segurei em seus quadris e enfiei meu pau na sua buceta, ela rebolava, gemia pedia mais, enquanto meu pau entrava e saía da sua bucetinha eu enfiava os dedos em seu cuzinho, ela jogava os longos cabelos de um lado para o outro e empinava cada vez mais a bunda, retirei minha pica de sua buceta, cuspi em seu anelzinho, lubrifiquei bem, apontei minha pica e fui fodendo o seu cuzinho bem devagar, me deliciando e aproveitando enquanto ia lhe arrombando, depois acelerei os movimentos e fodi com a máxima força que podia, meu pau se encaixava perfeitamente naquele cuzinho, parecia que havia sido feito por encomenda, ela gemia, chorava, dizia que estava com saudades da minha pica, que adorava ser arrombada por mim, mandava eu rasgar ela com força, eu com as duas mãos arreganhava sua bunda e ficava admirando o entra e sai de minha rola em seu cuzinho, peguei seus cabelos enrolei em uma das mãos a outra apoiei em suas costas e gozei, depois ainda com pau duro retirei de seu cuzinho e enfiei em sua boca como sempre faço, ela lambeu, chupou, esfregou no rosto e chupou novamente até limpar toda porra que havia nele, depois deitou-se ao meu lado fazendo carinho nos pelos do meu peito, ficamos abraçados por um bom tempo e depois lhe perguntei:

_ E agora filha, como ficamos? E o seu namorado?

_ Pai você se preocupa muito, eu queria e você queria, eu estava precisando e você também, fizemos o que queríamos e o que gostamos, vou para meu quarto deitar ao lado do meu namorado e seguir minha vida, eu não gostaria de ficar traindo ele, amo muito ele, mas não consigo ficar sem você, então não quero pensar em nada, amanhã quando ele acordar vou transar muito pra ele, me acabar na rola dele e gozar pra valer, porque é disso que eu gosto, de ser fodida por quem me ama.

Me deu mais um beijo, levantou-se e foi embora e eu dormi feito um bebê





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.