"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Nos odiavamos e transamos


autor: client
publicado em: 18/02/16
categoria: romance
leituras: 4787
ver notas


A gente nunca se deu bem, desde quando nos conhecemos a algum tempo atrás. Então imagina minha frustração quando descobri que iria dividir o quarto com ele.
Um grupo de amigos resolveu alugar uma casa no litoral para passar o carnaval, eu mais que imediatamente topei. Fazia tempo que queria ir mas o orçamento nunca dava, e com mais 9 amigos iria dar para passar um feriado gostoso, não pelo carnaval mas sim pelas praias lindas que iria visitar.
Pois bem, Denner era amigo do namorado de uma amiga minha e nem se quer eu imaginei que ele iria mas infelizmente terminou o namoro bem no dia que um de nossos companheiro de viajem deu pra trás em cima da hora, e ele mais que depressa ficou com a vaga.

Antes de pegarmos a estrada fizemos uma reuniãozinha pra acertar detalhes e só pra relembrar os velhos tempo discutimos logo de cara depois no caminho outras discussões , então quando cheguei a tal casa queria mais é ficar longe dele.
Infelizmente havia apenas 4 quartos e 3 seriam ocupados pelos casais que não abriram mão de sua privacidade e o outro restante ficaria pra nos 4 o que era um problema, pois era a única menina no quarteto. Tirando Denner, o outros dois eram amigos e sabia que não fariam nada comigo, apenas não teria a liberdade que teria se o dividisse com as meninas.
Enfim, fiz de tudo para que Denner não estragasse meu feriado prolongado mas infelizmente éramos como a Arábia e os Estados unidos, sempre nos estranhando, na maioria das vezes apenas o ignorava na conversa , outras explodia e quebrávamos o pau, e como eu não sou nenhuma santa de pura raiva fiz questão de provoca lo as vezes.
No Terceiro dia, a noite estávamos no quarto nos arrumando pra irmos jantar fora e sem querer reparei quando ele saiu do banheiro apenas de bermuda, seu tanquinho bem definido a mostra, seu jeito de bagunçar o cabelo, o perfume do sabonete que seu corpo transpirava. O tempo tinha sido generoso com ele. Estávamos sozinhos no quarto, e ele percebeu que o encarava, quando dei conta tentei disfarçar.
Nunca viu homem na sua vida não?
Hum, VC deve ter gastado e muito em anabolizantes e bombas pra ficar assim - me levanto da cama e sigo até a porta - cuidado viu, isso da impotência sexual ,isso se já não deu!
Em instante me vejo entre o seu corpo e a porta, tento a abri lá mas ele impede.
Olha garota estou ficando casando de você! Já aturei muito!
É? E vai fazer o que? Me bater? - Digo o encarando nos olhos, seu rosto está perto demais do meu, dou um sorriso cínico - não é homem o suficiente não é!?
Dou um empurrão em seu peito e tento sair novamente , e mais uma vez ele me imprensa contra parede mas dessa vez seu corpo está mais perto do meu enquanto suas mão seguram o meus pulsos com força.
Já disse pra parar de me provocar!
Te provocar? Como eu te provocou cara, sendo qur o grosso aqui é você! Se tem algum problema comigo fala logo!
Sua respiração estava compassada como se tivesse segurando a raiva, seus olhos me analisavam cuidadosamente cada detalhe do meu rosto e corpo, sem dar o braço a torcer o encaro na mesma intensidade e por um minuto olhando naquelas olhos profundos vejo alguma coisa mais que raiva. Ficamos assim por algum milésimo de tempo. Esperando o que o outro ia fazer, uma parte minha extremamente irritada querendo quebrar lhe a cara, a outra aproveitando cada segundo que aquela delícia de corpo estava presso ao meu.
Minha amiga me chama me despertando do transe em seus olhos e saio ao seu encontro. Passamos a noite evitando olhar um para o outro.
No dia seguinte já estava tudo normal, mesmos estranhamentos, mesmas patas. até que quando saio do banho ( como estava sozinha na casa já que os outros já tinham ido para a praia) resolvo ficar a vontade no quarto sem preocupações de me trocar rápido antes de alguém chegar e começo a passar o creme de corpo, estava tão relaxada que só quando terminei de passar o creme percebi Denner na porta , felizmente estava de costas para ele , mas mesmo assim fiquei com muita raiva.
Não acredito que VC tava me espionando seu tarado !
Eu acabei de chegar, não sou pervertido!
Peguei meu roupão enquanto ele estava virado de costa.
Escuta Samanta, temos apenas 3 dias pra curtir o resto da semana aqui,... Vamo fazer uma trégua?
O olho seria não esquecendo do acontecido de 1 minuto atrás. Porém não queria que esses últimos dias fossem marcados por estar estressada por um FDP ( q a mãe me perdoe) . Então acabei aceitando a trégua. O resto do dia foi tranquilo, fomos a muitas praias diferentes, todos juntos, e os dois mantendo a trégua, os dois fazendo o máximo para não proferir nada grosseiro e pode acreditar foi um esforço enorme. Pois bem, inevitavelmente comecei a olha lo -de novo- o sorriso era o mesmo, os olhos fortes e penetrantes como antes mas o corpo havia ficado melhor e como tinham ficado melhor.
A noite , no caso já de madrugada, alguns mais bêbados q os outros acabaram dormindo em lugares indesejáveis, e fedidos. Resultado, não aguentei e fui dormir na sala; na escada para a a sala eu descendo e quem subindo? SIM, ele, apenas de samba canção, por despeito ( ou vergonha mesmo) viro o rosto e mais uma vez sou colocada na parede.
Fizemos uma trégua! Eu odeio quando você faz essa cara de desdém e revira os olhos para mim - Sem querer faço a mesma ação de novo e sua mão envolve minha garganta, um leve arrepio sobe pelas minhas costa.Ele chega mais perto de mim e sussurra para não acordar os outros - Tenha pelo menos o respeito de me olhar nos olhos quando me desrespeita!
Minha respiração ficou acelerada, não sabia se era de medo de ele me jogar da escada ou por sentir aquele corpo no meu, aquele abdômen e entradas bem definidas que dava para sentir através da malha do meu pijama, sua perna entre as minhas me impossibilitando de sair e me fazendo ficar quase da sua altura , seu rosto a centímetros do meu, o cheiro de whisky.
A intensidade do olhar sobre mim era tanta que me esqueci de o por que estávamos ali e pelo jeito não fui a única, sua mão que ora está em minha garganta se segurando para fazer a força certa agora estava em minha face com uma delicadeza que diria que era mão de outro homem. Sua outra mão desceu pelo meu corpo lentamente até chegar em minha coxa que estava um pouco mais elevada por causa do degrau da escada, a sua sutileza parecia de outro homem. meus olhos estavam estáticos assim como meu corpo que cada vez mais era imprensado contra o dele, seu membro começou a surgir.
Inevitavelmente, vencida pelo cansaço e desejo , sentindo o seu hálito de whisky e menta Fechei meus olhos, sua boca roçou contra a minha, não era um beijo nem se quer um selinho , era apenas um jeito de nossas respiração se misturarem. Foi então que uma luz fora acessa e o ruído de alguém passando mal por causa de bebida.
No dia seguinte ainda me lembrava da sensação que meu corpo ficou antes de dormir , meu corpo faiscava e só de lembrar das mãos me arrepiava .
Restavam apenas dois dias, era o quarto dia de carnaval, todos saíram e eu combinei de encontra los no trio mais tarde , queria descansar um pouco. Já era noite quando decide me arrumar , tomei banho coloquei um biquíni e um short , comecei a passar o creme novamente.
quer que eu te ajude? - Sem mesmo responder Denner já estava atrás de mim passando o creme em minhas costas, só de sentir sua mão pelo simples toque meu corpo reagiu em um pequeno sobressalto - Calma eu não vou te machucar.
Sem conseguir falar nada apenas o encarava do espelho e ele fazia o mesmo enquanto deslizava sua mão por mim.
Eram macias e cuidadosas, me causavam arrepios por todos os lados. Elas dançavam por minhas costas até que ele sussurrou em meu ouvido.
Vc tem um cabelo lindo , deveria deixa lo mais vezes soltos - puxou minha presilha soltando meus longos cachos louros , os colocou de lado e sussurrou novamente - Gosto deles soltos -
e mordeu a ponta de minha orelha descendo para a curvatura de meu pescoço alternando entre beijos e mordidas enquanto suas mãos agora paravam de apertar minha cintura e passeavam por minha barriga.
Gosto do seu cheiro - já não sentia mais meus corpo a não ser onde suas mãos estavam.
Só isso que você gosta? - Me surpreendo não com as palavras que Digo mas como as Digo.
Gosto dos seus seios - Suas mãos vão para de baixo de meu biquíni e começa a massagea los e aperta los - São macios e firmes ! Quero vê los !
Ele desfaz os nós da peça facilmente e quando tento me virar ele me impede e me puxa para mais perto de si.
Não, fique assim! Gosto da sua Bunda também! - Denner roça seu membro em minha Bunda me fazendo empina lá - Gosto ainda mais assim!
Enquanto suas mãos se divertem em meus seios, minha Bunda faz amizade com seu pau duro que está pulando da bermuda. Meu corpo faz de tudo para se aguentar o máximo mas Denner é esperto e sabe onde tocar.
Tem mais uma coisa que quero saber se gosto - suas mãos começam a descer por uma trilha lenta e torturante por meu corpo fazendo círculos, andando de dois dedos , as vezes parando, subindo e descendo - Sabe qual?
Qual? - Digo quase sem voz e com a respiração falha, uma de suas mãos segura firme minha cintura enquanto a outra desce e abre meu short lentamente, enquanto as minhas, uma segura a penteadeira a minha frente e a outra vai para seus cabelos enquanto nos encaramos ainda pelo espelho, seus olhos transbordam desejos e luxúria assim como os meus
Aqui … - Sua mão chega a minha intimidade e seus dedos começam a brincar com o meu clitóris me fazendo arquear e ficar nas portas do pé, o êxtase era tanto que minha cabeça pende em seu ombro com os olhos fechados sentindo cada toque enquanto ele ainda me observa me desmanchar em suas mãos.
E aqui… - Seus dedos brincam de hominho a caminho até a minha entrada e começa a invadi lá , sua outra mão acaba de tirar o meu short me dando mais liberdade, ainda de costa para ele , segura meu rosto e me beija em beijo selvagem como se sugasse minha alma , suas mãos brincam com meus seios e buceta, qnd estou perto de gozar ele para a brincadeira
Ainda não querida , falta ainda muito - e volta a me tortura lentamente , sinto seus membro vibrar por dentro da bermuda dissendo que já está preparado - Ainda tenho q saber se gosto daqui …
Lentamente enquanto o seu dedão se enfiar com tudo em mim o outro circula meu anus me preparando para a investida , assustada por nunca ter explorado essa are recuo um pouco.
Calma, eu só quero saber se gosto… não vou te machucar… - Ele tira o dedo da minha entrada e começa a coloca lo de vagar na minha outra entrada ou saída, suas mãos e dedos são tão boas que acabo relaxando novamente e curtindo a invasão - Nossa como eu gosto de você toda , você é muito gostosa!
Sua mão que brincava com meu mamilo , para e sem aviso prévio me penetra , agora suas duas mãos me invadem, uma delicada e cuidadosa explorando cada canto a outra já tomando pose do que é dela. Sua boca mordendo , chupando e beijando meu pescoço e boca.
Meu corpo começa a sentir novamente o gozo chegar e mais que depressa começo a tirar a sua bermuda , ele me ajuda com a cueca e calcinha apenas com uma mão , a outra não se moveu nenhum centímetro fora da minha vagina.
Apenas tirou era para me colocar na posição certa, de costa para ele segurando na penteadeira, olho para trás e visualizo seu membro, mediano grosso roçar entre minhas nádegas, Denner posiciona seu pau entre elas e tenta forçar pelo minha entrada recém descoberta e recuo , ele olha para min pelo espelho e entende que aquele local tem que ser explorado mais antes de ser invadido.
Sem se deixar desaminar ele se posiciona na minha porta e sem bater ou avisar entra com tudo, me rasgando com seus pau grosso e estocando cada vez mais forte e fundo me arrancando alguns gemidos de dor e prazer que eram abafados pela euforia que vinha da rua.
puta que pariu como VC é apertada! - sua mão enrolou o meu cabelo fazendo um rabo de cavalo a outra ora apertava minha cintura ora transferia tapas em minha Bunda - Como eu estava com vontade de bater nessa Bunda Gostosa… Goza pra mim Samantha! Goza minha puta gostosa!
Nunca gostei que me xingasse nem na cama, mas naquela hora ao ouvir aquelas palavras saindo da boca dele foi como se ele dominasse meu corpo e eu gozei , minhas pernas bambiaram e ele mesmo assim continuou as estocadas só que mais rápido avizando que também estava no ápice e sem rodeio tirou rápido seu membro de dentro de mim gozando ao lado .
Minhas pernas de tao mole cederam e eu lentamente descia ao chão enquanto ele se esvaziava ao meu lado no lixo.
Pensa que acabou? Acabou não! - Disse se deitando em cima de mim no chão e começando a me acariciar e me beijar novamente do jeito que só ele faz - Você me provocou Agora vai ter que aguentar!
Ele vai descendo os seus beijos, fazendo todos os caminhos e brincadeiras que havia feito com as moas em meu corpo até chegar em minha intimidade novamente e bocanha la com vontade. Senti minhas forças sendo restaurada a cada movimento dele e não demorou muito para que novamente ao seu pedido eu gozasse e dessa vez em sua boca não apenas uma mais duas vezes.
Já sem forças para levantar , ele me olha de cima já de pé, seus olhos analisam cada detalhe do meu corpo. O tempo não foi só justo com ele, mas comigo também, era bem distribuía nos meus 1,69m, tinha passado muito tempo em academia e apostado em alguns tratamentos estéticos que só deixaram meu corpo melhor ainda com o bronze que havia ganhado na praia.
Cada vez que ele me olhava de cima a embaixo, mais seu membro crescia a minha frente.
Ele me pega do chão e me deita na cama com todo o cuidado do mundo e se deita ao meu lado em forma de conchinha sinto seu membro completamente duro tocar as minhas costa e sei que não será o fim.
Denner … Digo com voz de alerta qnd ele acaricia minha Bunda e indica penetrando o dedo de vagar em meu anus que agora ele queria ali.
Não vai doer, eu te prometo! Não vou te machucar … - ele diz sedutoramente e carinhosamente em meu ouvido me fazendo arrepiar mas estava casada e meu desejo não estava tão grande assim para experimentar.
Em outra vez … - Digo
Tudo bem, mas vou cobrar - Ele sorri e beija meu pescoço , mas percebendo minha sensibilidade ao seu beijo ele não para por ai.
Suas mãos começam a trabalhar novamente e meu desejo se reacendendo lentamente, ainda de lado sobre a cama ele pega uma perna minha e a coloca para cima me penetrando novamente mas dessa vez com cuidado, me preenchendo de vagar até chegar ao fundo, Denner passa sua outra mãos por debaixo de mim e me segura começando a dar as estocadas fundas mas lentas e aumentando gradativamente. Sinto o calor subir por mim a cada estocada e em questão de minutos Já estamos em sintonia batendo a cama na parede em puro êxtase do momento, dessa vez gozamos juntos.
Adoro cada parte do seu corpo Samanta ! Sempre adorei!
E no meio da brisa da noite q a janela entre aberta nos oferecia e o suor do nosso corpo Dener me disse que sempre foi afim de mim mas eu nunca o dei bola , apenas quando ele começou a namorar q foi quando eu havia terminado um relacionamento, então um com raiva e com medo de ser infiel, começou a ser grosso comigo pq sabia q se gostasse de mim novamente acabaria traindo a garota. Dormimos juntos aquela noite e só acordamos qnd nossos amigos chegaram buzinando no portão já de dia e depois do almoço, decidimos deixar em segredo nosso “relacionamento’” por enquanto pois ele havia acabado de sair de um relacionamento , relacionamento pois nos encontramos várias vezes depois disso e cobrando o que eu nem sabia que tinha prometido . mas isso é em outra história ! ;)



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.