"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Uma esposa decidida!


autor: loirasexbg
publicado em: 19/01/16
categoria: hetero
leituras: 7382
ver notas


Oi! Queria agradecer pelos comentários positivos no meu relato anterior! Estou super motivada para escrever um pouco mais!

Prometi no relato anterior que contaria minhas impressões sobre a transa com o Maurício, como isso me tornou uma nova mulher e, principalmente, como ficou minha relação com meu marido Caio…

Bem, no outro dia, (quando o efeito da cerveja passou) eu fiquei impressionada com tudo o que aconteceu… Como fui capaz? (risos) Acabei percebendo que eu me conhecia muito pouco… Eu tinha muitos desejos latentes em mim e eu mal sabia... (Pensei).

E o fato do Caio tolerar qualquer desejo meu por outros homens (pelo menos era o que ele insinuava) foi fundamental para ter a coragem e a liberdade de fazer o que fiz...

Acordei no outro dia pensando sobre como foi maravilhoso o dia anterior… Foi tudo tão intenso, tão bom… Parecia um sonho.

Nos momentos de ócio, antes de dormir, no semáforo, descansando no sofá, enfim, a transa com o Maurício era o assunto que dominava meus pensamentos! Eu revivia a cena, ficava excitada e pensava: “Ai que droga!!! Eu quero mais! Quero de novo!”

Fui burra de não pegar o telefone do Maurício! Pedir ao Cleber? Jamais! Ele iria perceber tudo… E pra piorar o Maurício era comprometido! Não sabia o quão disposta a namorada dele estava em deixá-lo repetir a dose… Não queria atrapalhar a vida de ninguém, da mesma forma que não queria que atrapalhassem a minha, apesar de tudo...

Tem uma frase muito interessante que diz assim: “Uma vez puta, pra sempre puta…”

Pois é… Depois do Maurício essa frase nunca fez tanto sentido pra mim... Minha libido ficou super aguçada (risos). Continuei amando muito o Caio, de verdade! Mas eu não teria mais peninha dele… Caio insistiu em me dar asas: Voei, adorei e agora não fico mais sem elas!

Sinceramente falando, eu queria viver aquela sensação de novo, com ou sem o Maurício...

Ao me lembrar do que Maurício disse, peguei meu notebook e pesquisei na internet sobre a palavra “liberal”. Eu conhecia essa palavra em termos básicos, mas não sabia em detalhes o que fazia uma pessoa liberal!

Achei muita coisa a respeito, além de encontrar pessoas liberais em uma comunidade do Orkut. Foi inclusive nesta ocasião que conheci alguns sites de contos eróticos e adorei… Descobri também sobre o fetiche de alguns maridos em serem “cornos” de suas esposas. Fiquei boquiaberta ao saber que alguns maridos gostavam de ver suas esposas transarem na frente deles!

Acho que finalmente tinha entendido o que o Caio parecia querer de mim, quando ele agia daquele jeito… Fiquei curiosa com o assunto… Eu que sempre detestei computadores, passei a ficar horas e horas neles!

Depois de ler sobre tudo aquilo confesso que fiquei até mais aliviada! Percebi que o Caio ainda gostava de mim. Ele só tinha um fetiche. Um pouco estranho, mas era um fetiche...

Já que era assim, decidi jogar limpo e contar ao Caio sobre o Maurício! Se meu marido gostava de levar chifres então ele já tinha o primeiro, com muito gosto! Aliás, um chifre muito bem dado, diga-se de passagem! (risos)

Juro que tentei abrir o jogo com o Caio várias vezes, mas na hora H não tive coragem! Fiquei receosa se ele queria mesmo ir tão longe ou se queria viver esse fetiche apenas no plano das ideias...

Decidi dar um pouco mais de tempo! Só que, ao contrário de antes, eu prometi que a partir de agora eu iria corresponder ao fetiche dele, sempre que tivesse oportunidade!

Quando saíamos juntos, passei a vestir roupas mais curtas e provocantes: Shortinhos, minissaias, tops e afins… Sim, comecei a abusar de decotes, da barriga e das pernas de fora.

Na primeira vez que saímos ele até ficou surpreso:

_”Amor, vai sair vestida assim mesmo?”

(Eu)
_”Eu queria amor, tem problema? Se não quiser eu tiro…”

(Caio)
_”Não amor! Pode ir do jeito que você quiser!”

Foi notória a empolgação do Caio ao me ver pela rua vestida daquele jeito, atraindo a atenção dos homens que passavam! Alguns mais ousados mexiam mesmo, mesmo com meu marido de mãos dadas comigo.

Quando chegamos em casa, transamos! Percebi que o apetite sexual do Caio, daquela vez, foi acima da média (risos). Minhas atitudes realmente faziam a diferença....

Em outra ocasião, estávamos namorando no sofá enquanto assistíamos TV. Caio queria apimentar nossa noite com mais um filme pornô... Achei que seria um ótimo momento para brincar com ele e corresponder ao fetiche dele...

Enquanto o filme era exibido, com um negro e uma loira em sexo explícito, falei com ousadia:

_”Nossa, que homem lindo desse filme! Adorei!”

Caio arregalou os olhos pra mim, como se tivesse levado um choque. Mostrando uma excitação instantânea ele disse:

_”Você gostou amor? Sério?”

(Eu)
_”Sim! Muito!” respondi sorrindo e com os olhos atentos na TV.

(Caio)
_”Amor, já se imaginou no lugar daquela loira ali?”

(Eu)
_”Já estou imaginando aqui… Ai, acho que eu ia adorar esse “homão” lindo!”

Meu marido quase infartou (risos)! Em questão de segundos o volume do pênis apareceu na cueca dele…

Não deu tempo de chegar no quarto (risos). Transamos ali mesmo! Gente, há anos meu marido não transava assim, com tanto desejo! Certa de que o tesão do Caio era pelos meus recentes comportamentos, decidi explorar mais a ideia. Enquanto ele me pegava de quatro ali mesmo no sofá, resolvi fazer uma travessura e comecei a gemer dizendo:

_”Ai Cleber! Me come vai! Continua! Meu marido não pode ver! Aiiii!”

O Caio não esperava tanta ousadia (risos) e acabou se entregando a um orgasmo fulminante! Meu plano era só satisfazer meu marido, mas confesso que até eu fiquei excitada em falar aquilo (risos)!

Foi inesperadamente excitante brincar, muito embora eu jamais tivesse coragem de transar com o Cleber, por ser uma pessoa muito conhecida e amiga.

Percebi que minha vida sexual com o Caio melhorou muito! Continuei agindo dessa forma, sempre provocando ele e falando aquelas coisas...

Eis que um belo dia estávamos na cama e ele olhou pra mim, solene, com muita seriedade, dizendo:

_”Amor, queria te perguntar uma coisa, não sei como irá reagir… Mas preciso perguntar… Estou querendo falar isso com você há muito tempo!”

(Eu)
_”O que? Pode perguntar amor...” (como se eu não soubesse o que era)

(Caio)
_”Tá! Vou ser direto e sem rodeios: Se eu dissesse que deixo você transar com outros homens, o que você diria?”

Ouvi aquela pergunta mostrando naturalidade. Não preciso dizer que eu já me sentia preparada para aquela conversa. Pra dizer a verdade eu já estava esperando que ele diria isso mesmo. Aí eu respondi:

_”Ai Amor… Eu diria que você tem uma fantasia e isso é normal...”

(Caio)
_”Ok. E você teria coragem na prática?”

(Eu)
_”Se você quiser, eu faço... Mas já vou logo dizendo que nunca faria com uma pessoa conhecida!” respondi já prevendo que a primeira sugestão dele era o Cleber.

(Caio)
_”Então como vamos fazer?”

Era mesmo uma boa pergunta... Nós dois éramos inexperientes nessa situação e não conhecíamos ninguém apto a entender o que o Caio queria, exceto o Maurício, mas eu não tinha mais contato com ele há meses...

De repente tive uma ideia:

_”Amor, vamos sair mais à noite... Frequentar bares, shows e boates... Se aparecer um cara interessante eu fico com ele. Mas sem pressa, ok? Só vou entrar fundo nisso quando tiver vontade...”

Ele achou a ideia ótima...

Passamos a sair para alguns bares e boate. Até cheguei a trocar alguns olhares com outros homens… Foi delicioso, principalmente porque o Caio estava do meu lado atento a tudo (risos). Mas a presença do Caio inibia qualquer aproximação...

Por isso, sexo mesmo só aconteceu no carnaval…

Na ocasião, pedi ao Caio para conhecer o famoso carnaval das cidades históricas de MG. Fomos para Ouro Preto, na esperança de que alguma coisa excitante rolasse comigo...

Como era carnaval eu caprichei na sensualidade: mini saia jeans, tamancos e uma blusinha branca de alcinha, com tecido bem leve.

Chegamos em Ouro Preto por volta de umas 10 horas da noite. Tivemos que estacionar um pouco longe e tivemos que andar um pouco. Depois de uma caminhada chegamos na praça do pelourinho, onde vi um mar de gente! Fiquei empolgadíssima porque amo carnaval!

Eu e Caio ficamos juntos bebendo um pouco, contemplando aquela festa linda. Caio parecia muito tenso, como se fosse um virgem a transar pela primeira vez (risos)... Porém eu estava super animada e disposta a ficar com alguém naquela noite! Nem que fosse para dar só uns amassos...

Empolgadíssima e com alguma influência da caipifruta que bebia, olhei pro meu marido, aproximei minha boca no ouvido dele por causa do som alto e falei alto, sem dó nem piedade (risos):

_”Amor, fica aqui bebendo, bonitinho, bem comportado, que eu vou à caça! Quero pegar um gatinho pra dar uns amassos hoje!”

Caio quase infartou na hora que eu falei isso (risos)! Sai de perto dele e fiquei há uns 10 metros dali sozinha dançando em meio à multidão, curtindo, livre, leve e solta, sem perdê-lo de vista…

Caio olhava pra mim de longe, acenava e sorria. Ele parecia adorar! Eu simplesmente esqueci dele... Ele aproveitava do jeito dele e eu aproveitava do meu!

Depois de alguns minutos ali curtindo a música, senti um tumulto de uns 7 jovens perto de mim… em seguida eles deram as mãos formando uma roda comigo dentro! Ai meu Deus, levei um susto! De repente ouvi eles gritarem pra mim:

_”Beija! Beija! Beija!”

Nesse momento um dos garotos da roda me agarrou e tentou me dar um beijo! Recuei o rosto de susto, mas não tinha como fugir, cedi e ele conseguiu me dar um beijo de língua... Foi aí que os demais rapazes da roda gritaram ensandecidos:

_”Aeeeee!!!!!”

Percebi então que era uma brincadeira de carnaval! Depois desfizeram a roda e seguiram adiante, enquanto fiquei em beijos com o garoto…

Nossa, aquilo foi muito, muito louco (risos)! Mas o susto havia passado e me dei conta de que garoto me beijava já com as mãos na minha cintura. Correspondi abraçando ele por cima dos ombros, beijando intensamente…

Quando finalizamos e abri os olhos é que pude ver melhor o ladrão de beijo! Não era negro como meu marido queria, mas pra mim estava ótimo! Para minha sorte era bem gatinho (risos)! Branquinho, cabelo preto liso e curto, estatura mediana, de corpo magro e atraente.

Ainda agarradinhos, Diego (nome que descobri mais tarde) olhou pra mim e disse:

_”Por que está sozinha aqui linda?”

(Eu)
_”É que eu perdi das minhas amigas!” respondi escondendo a real intenção de estar ali...

(Diego)
_”Hoje é meu dia de sorte então!”

Dei um sorriso e ele me beijo de novo! Nossa, ele beijava muito gostoso! Abri os olhos e tentei achar meu marido ao fundo… Quando o vi ele olhando pra mim fiquei super excitada! Era uma sensação maravilhosa, inexplicável...

Saímos do meio da multidão, no interior da praça, e fomos para o passeio lateral, muito perto de onde meu marido estava! Ficamos ali agarradinhos e nos beijando muito...

As coisas foram esquentando entre nós e de repente Diego olhou pra mim com cara de safado e foi bem direto:

_”Vamos pra outro lugar melhor gata! Conheço um! Vem!”

Sem dar tempo para minha resposta ele já saiu me levando, de mãos dadas… Fiquei excitadíssima pois já imaginava o que estava por vir! Me senti mais segura quando percebi que o Caio nos seguia discretamente…

Já era por volta de meia noite! Enquanto descíamos uma ladeira, Diego me contava que tinha 21 anos, era universitário, cursava educação física e vivia em uma república da cidade...

Nosso tesão era tão intenso que a cada esquina a gente parava pra dar uns amassos e nos beijar! Nas esquinas menos movimentadas ele ousava até segurar meu bumbum… Aquilo tudo me deixava louca! Principalmente porque eu conseguia ver ao longe o meu marido nos seguindo...

Depois de cada amasso, Diego tornava a me levar de mãos dadas com os dedos da minha mão entrecruzados com os deles. Parecíamos um casal de namorados!

Ansioso pra chegar onde queria, Diego dava passos rápidos e eu tentava acompanhar com dificuldade, buscando me equilibrar naqueles tamancos pelas estreitas vielas de pedras irregulares...

Viramos em algumas esquinas até chegar em um beco estreito demais para carros passarem e escuro também. Naquele beco eu via ao fundo a silhueta de dois casais namorando, cada qual no seu cantinho, encostados na parede.

Percebi que o local tinha virado um “sexódromo”. Sem pessoas por perto, sem carros e pouca luz… O lugar reunia todas as condições para os foliões mais acesos, dispostos a uma pegada mais “caliente” e ao sexual casual…

Diego me colocou de costas na parede, me agarrou pela cintura e pressionou seu corpo contra o meu, me beijando com intensidade... Minha calcinha estava super molhada!

Era um tesão inexplicável! Decidir aproveitar ao máximo o momento... Acabei apertando o bumbum durinho do Diego!

Diego era muito direto no que queria! Enquanto beijava meu pescoço ele enfiava a mão no meu bumbum por baixo da mini saia. Percebendo a minha excitação, Diego enfiou a mão pela frente massageando minha bucetinha sob a calcinha. Depois arredou minha calcinha e começou a me comer com o dedo! Aquilo me deixou louca… Simplesmente deixei ele fazer o que queria! Comecei a gemer baixinho...

Depois ele abaixou as alças da minha blusinha e queria meus seios! Meu sutiã era de abertura frontal então Diego abriu ele rapidinho, fazendo meus seios pularem com mamilos super inchados de excitação! Ele não pensou duas vezes e veio abocanhá-los. Parecia um louco!

Maluca de tesão, acabei segurando forte os cabelos dele com as mãos, empurrando a cabeça dele contra os meus seios...

Em seguida Diego se encostou na parede e me mandou chupar! Não podia me ajoelhar naquele chão grosso. Então fiquei agachada mesmo, na frente dele. Depois levei a mão na sua bermuda e abaixei o zíper. Em seguida enfiei a mão e puxei o pênis dele pra fora…

Era um pênis lindo! Duro, longo e não muito grosso, com a cabeça semicoberta. Ao sentir aquele cheiro característico de pênis fiquei louca e comecei a chupá-lo intensamente! A posição era muito desconfortável! Mas continuei ali por vários minutos...

Depois Diego me segurou pelas mãos, me colocando de pé. Com o pênis em riste fora da bermuda ele me deu um beijo e me colocou de costas na parede… Levantou minha mini saia que ficou pelo avesso na minha barriga, depois arredou minha calcinha e começou a me penetrar!

Com pênis todo dentro de mim, Diego começou a me comer lentamente enquanto me beijava… Nossa, minhas pernas estavam bambas de tanta excitação!

Mas a posição não favorecia! Então Diego segurou minhas pernas abaixo do bumbum e me sustentou no ar, enquanto eu apoiava minhas costas na parede! Abracei ele acima dos ombros pra me equilibrar melhor... De repente ele acelerou as estocadas esbanjando energia física… Eu delirei de tesão, gemia, mordia a orelha dele… Aquilo era tudo! Daria tudo pra ver meu marido naquele momento!

Depois de alguns minutos assim ele me soltou, me colocando de pé novamente! Depois sentou-se no meio-fio e mandou eu vir pro colo dele…

Obediente, eu fui. Mas antes tirei minha calcinha sem tirar a mini saia e joguei ali em algum canto, pra facilitar as coisas pra nós… Depois sentei devagar no colo dele, enquanto ele encaixava o pênis dele em mim…

Com as minhas pernas sobre as pernas dele e as mãos dele na minha cintura, comecei a me chacoalhar no colo do Diego em um pula-pula alucinante! Nossa, era muito bom! Alguns minutos depois eu olhei de relance para a entrada do beco e vi a silhueta de uma homem parado olhando ao longe… Não dava pra ver direito, mas pelo jeito só podia ser meu marido olhando tudo…

Aquilo triplicou meu tesão e comecei a gozar no pênis do Diego, saltando como uma louca, segurando meus seios com as mãos...

Depois eu saí do colo do Diego e pedi para ele gozar nos meus seios! Mas ele queria gozar no meu rosto então eu deixei. Fiquei sentada no meio fio enquanto ele masturbava o pênis dele a 2cm do meu rosto… De repente vários jatos de esperma inundaram meu rosto e sujaram meus cabelos enquanto Diego gemia de tesão...

Fiz questão de não limpa muito o meu rosto. Em seguida eu me recompus e ajeitei minha mini saia e minha blusa. Acabei perdendo minha calcinha e tive que ir embora assim mesmo…

Ao sair do beco de mãos dadas com o Diego eu dei de cara com o Caio (risos). Fiz questão de olhar pra ele e mostrar meu rosto úmido de esperma… Meu marido ficou mudo e eu também passei sem dizer nada, para não deixar o Diego confuso...

Voltei para a praça do pelourinho com o Diego e ficamos ali namorando e aproveitando um pouco mais!

Mais tarde despedi do Diego, trocamos telefones e depois fui com o “rabinho entre as pernas” atrás do meu marido (risos). Encontrei ele e fomos embora. Caio estava eufórico no carro, exigindo que eu contasse todos os detalhes pois naquela penumbra não viu nada direito…

Contei todos os detalhes. Meu marido dizia em ecstasy enquanto dirigia:

_”Viu? Falei que você ia gostar! Eu Falei!

Acabamos transando no motel mais próximo (risos).

Depois eu conto a reação do Caio mais tarde, como decidimos pela vida liberal que levamos hoje e como foi minha próxima aventura!

Beijos a todos! E curtam a vida que a vida é curta!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.