"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Frentista tímido e virgem


autor: odeflor
publicado em: 12/08/17
categoria: aventura
leituras: 1443
ver notas


Aquele rapaz ficava me olhando sempre que ia abastecer meu carro, um dia chegou até a parar seu serviço para me olhar, eu estava toda produzida para um casamento e ele era o frentista de um posto perto de casa costumava a abastecer e lavar mau carro lá. Era um jovem na faixa dos seus 20 anos moreno e um corpo atlético bonito, quando era atendida por ele notava sua timidez, puxava assunto e não consegui respostas completa sempre falando pouco até um dia que uma amiga que também abastece neste posto me falou dele disse que gostava de ser atendido por ele, era atencioso e sempre olhava os itens do carro e orientava no que deveria fazer.

Fiquei impressionada e falei comigo não acontece isso, fala somente o básico e quando pergunto me da respostas curtas e me atende bem também quanto a isso não tenho a reclamar e assim mudamos de assunto. Um dia estava com o carro do meu chefe ele pediu para abastecer logo pensei neste posto e quem sabe aquele frentista com o nome de Roberto sabia devido ao crachá que usava, chegando no posto ele não estava e fui atendido por uma moça resolvi levantar a ficha desse Roberto e perguntei.

Eu - Cadê aquele rapaz que sempre me atende acho que o nome dele é Roberto

Frentista - Há o Robertinho esse e como chamamos ele aqui é um rapaz simpático meio tímido mas trabalha direitinho hoje é folga dele.

Eu – Sempre abasteço com ele parece meio tímido mesmo acho que é da idade ele e jovem ainda não é.

Frentista – Verdade é jovem mesmo aqui é o seu primeiro emprego os outros funcionários brincam com ele dizendo que ele é criado pela avó por isso é tímido e nem namorada tem, é o que dizem não sei.

Eu – Parece mesmo tadinho, eu tento conversar com ele e não sai nada a não ser umas poucas palavras, já uma amiga consegui bem mais que eu.

Frentista – Coisas de jovens vai ver a timidez aparece na sua presença, uma mulher dessas deixa ele assim.

Eu – Não entendi, “uma mulher dessa” o que tem a ver.

Frentista – Os outros meninos brincam com ele sobre as mulheres que vem abastecer seus carros aqui e dizem a ele que “ele não pode trocar o óleo delas, ele não sabe”.

Rimos paguei a conta despedi entrei no carro e fui embora e pensei na situação garoto tímido virgem e assim voltei as atividades e acabei esquecendo o relato. Passado um dias era sábado voltei ao posto agora com meu carro precisava que uma lavagem completa, quem me atendeu foi aquela frentista novamente, o Roberto estava lá só que atendendo outro carro, deixei o carro fiz questão de passar por ele e de cumprimentar ele me retribui e assim fui embora, depois do almoço fui buscar o carro então coloquei uma saia onde parecia minhas coxas e quem sabe ser percebida por aquele frentista gato.

Caminhei 10 minutos e lá cheguei ele estava sentado em um banco esperando o cliente chegar e nesse caso fui eu.

Eu – Oi Roberto como esta só descansando, já lavaram meu carro.

Roberto – Sim minha senhora esta pronto, pode me acompanhar vou pegar a chaves.

Eu – Não precisa chamar de senhora pode chamar de você, esta sozinho no posto

Roberto – Sim os outros estão em horário de almoço.

Ai pensei essa é a minha deixa vou ver qual é desse rapaz, ele foi na minha frente pegou a chave fiquei esperando perto do carro quando ele trouxe olhei fixamente para ele e perguntei.

Eu – Ficou bom lavaram trocaram o óleo direitinho, gosto de serviço bem feito e completo.

Roberto – Sim não foi eu que fiz mas ficou bom sim.

Eu – Que pena se fosse você acho que poderia ficar melhor, mas vamos ver olha que sou exigente.

E nisso chegou um carro para abastecer, pedi para ele atender o cliente que eu ei ficar olhando o serviço e depois voltasse para ver se eu tinha aprovado ou não. Nisso ele foi eu dei uma olhada no serviço na verdade queria era provocar ele e logo ele volta eu estava sentado no banco do motorista com a saia um pouco levantada deixando minhas coxas aparecer para ver qual reação dele.

Eu - Roberto vem cá de uma olhada no painel não ficou bom.

Nisso ele se aproxima e já olha fixamente na minha coxa, finjo que não percebo e falo.

Eu – Olha esse painel não gostei esta sujo.

Ele pede desculpa fala que vai limpa abaixa a cabeça e olha novamente para minhas coxas.

Eu – Roberto é para você olhar no painel e não nas minhas coxas.

Percebo que ele fica nervoso vermelho acho que fui longe demais e tento consertar.

Eu - Não esquenta sei que não foi você, com você isso não tinha acontecido, me desculpe posso te dar um beijinho pelo seu atendimento e pedindo desculpa, vem aqui perto de min vou dar um beijinho, vem abaixa aqui.

O rapaz veio e essa foi minha deixa, como estava sentada ele tinha que colocar a cabeça para dentro do carro para receber o beijo sem querer deixei minha saia subir um pouco mais, peguei na sua mão e deixei ele ver minhas coxas, abracei ele e dei um beijo próximo a orelha e falei baixinho.

Eu- O serviço ficou bom meu gato, fica tranquilo olha minhas coxas, não são lindas.

Senti ele ficar paralisado acho que era virgem mesmo, mas não soltei mexi mais minhas pernas acho que apareceu até minha calcinha que por sinal era “vermelha” fiquei agarrada nele e votei a falar no ouvido.

Eu – Pode colocar a mão para verificar só que eu quero sinceridade sua, vai coloca a mão nelas e alisa que eu gosto.

Nisso ele meio tímido coloca a mão e aperta do jeito que eu gosto, fiquei com tesão solto ele para continuar a me alisar uma vez que estávamos sozinho no fundo do posto e ninguém nos via devido a porta do carro atrapalhar a visão dos outros. Ele alisou deu uns beijos nelas não aguentei abri mais minha perna para ele ter acesso fácil e apertei sua cabeça contra elas, mas tudo que é bom acaba e chegou um de seus companheiros de serviço, vi de longe e tive que interromper a sessão de alisamento.

Eu – Chega para seu amigo chegou, já aproveitou bastante, levanta sai dai e não fala para ninguém do que aconteceu.

Roberto – Que pena agora que estava sentindo o calor dessa suas coxas dessa buceta meu pau esta duro.

E assim ele saiu e foi m direção a frente do posto seu amigo já estava lá fiquei um pouco no carro me recompondo do tesão que estava sentindo. Liguei o carro e sai dali, passei na frente dele e chamei para perto do carro e falei.

Eu - O que você vai fazer hoje a noite, podemos conversar melhor sem ninguém para atrapalhar.

Ele meio tímido gaguejou mas saiu algumas coisa que me interessou, disse que ia pedir para sua avó se podia sair mas tinha que voltar cedo outro dia ia trabalhar. Ai a ficha caiu de vez o rapaz era virgem mesmo naquela idade pedindo para sua avó para sair ai fiquei com mais tesão ainda. Marcamos de sair a noite peguei ele uma quadra da sua casa não queria ser visto aceitei o acordo não é todo dia que se saio com um garotos desses.

Coloquei um vestido não usei calcinha e nem sutiã, estava uma noite maravilhosa um calor e eu estava com um fogo danado queria mesmo e pegar aquele garoto e tirar a sua virgindade, mas resolvi ir com calma para não assustar minha presa “risos”.

Passei no lugar combinado lá estava ele, todo elegante parecia que ia a um casamento todo perfumado uma delicia adoro homem cheiroso. Parei o carro ele entrou dei um beijinho ele já ficou meio sem jeito senti que ia ter que fazer um trabalho completo para destravar aquele garoto, assim fomos conversamos bastante ele falou da sua vida que não conheceu sua mãe foi criado pela avó tinha 20 anos e nunca teve uma namoradas eu era a primeira mulher que ele teve contato estava nervoso afinal ele sempre me olhava no posto e achava uma maravilha de mulher impossível de chegar e varias vezes pensou em min no banheiro com varias fantasias, quando eu ia no posto de shorts ele ficava louco e pensava em min uma semana.

Falei calma tudo tem sua hora conversamos bastante deixei ele bem relaxado, fomos em uma pizzaria ele não quis beber só eu bebi uma cerveja para relaxar ele estava preocupado sempre olhando no relógio, acho que estava pensando no outro dia ou com medo receio de ir ao motel, peguei na mão dele senti suada gelada.

Assim terminamos a pizza foi um papo agradável entramos no carro dei um beijo nele e ele me retribuiu a assim ficamos uns 15 minutos no carro nos beijando passei a mão pelo seu corpo peguei no seu pinto notei já duro, ele não avançou a sinal se comportou até demais não apertou meu seios não alisou minhas coxas, então cheguei bem perto do seu ouvido e falei.

Eu- Estou sem calcinha e sem sutiã para você, coloca a mão e sente que estou querendo um carinho, hoje estou fácil facil .

Ele foi passando mão levantou meu vestido com tudo pedi calma e ele chegou na minha buceta meio sem jeito acariciou ela com seu dedo e eu querendo mais.

Eu- Calma Roberto vamos para um lugar calmo que ela é todinha sua hoje.

Roberto – Vamos então que meu pau já esta doendo dentro da cueca.

E assim me arrumei e fomos para um motel próximo, notei que ele ficou todo alegre e com um sorriso no rosto.

Roberto – Não estou acreditando eu estou dentro do carro com uma mulher gostosa gata indo para um motel isso não é verdade não esta acontecendo comigo.

Eu- Fica tranquilo é verdade e você é um gato e muito gostoso também.

Chegamos passamos pela portaria estacionei no quarto ele fechou a porta da garagem fui até ele e ali já começamos os beijos apertos passadas de mãos ele tímido começou a se soltar já me chamou de cachorra no meu ouvido fingi que não ouvi mas gostei.

Entramos no quarto tirei sua camisa depois sua calça deixei ele só de cueca subi na cama e comecei a fazer um strip tease, falei para ele pedir uma champanhe que a ocasião pedia, ele prontamente atendeu e ficou sentado em uma cadeira de cueca me observando eu dançar para ele, que delicia seus olhos brilhavam via seu pinto duro na cueca, a champanhe chegou pedi a ele abrir fizemos um brinde a primeira vez dele bebemos nos beijamos e falei.

Eu- Vem e tira minha roupa e se delicia com o que esta dentro deste vestido vem meu gato quero você todinho dentro de min essa noite.

Ele largou a taça subiu na cama e aos poucos com minha ajuda tirou meu vestido e ficou olhando para meu corpo admirando uma mulher acredito que nunca tinha visto uma ao vivo e a cores na frente dele assim pelada e querendo sexo. Apertou meus seios pedi para ele beijar fazer carinho neles depois pedi para ir descendo a língua até chegar na buceta e assim o fez que língua gostosa, virei de bunda pedi para ele me beijar apertar e assim foi aprendendo a fazer carinho numa mulher.

Beijou minha bunda minhas coxas depois que ele me deixou louca foi a minha vez, pedi para ele deitar na cama peguei a garrafa de champanhe derramei no seu corpo e fui beijar chupar, tirei a cueca e jóquei champanhe no seu pinto a cai de boca quase não coube na minha boca mas consegui engolir tudo fiz uma chupeta e junto batia uma punheta ele ficou louco só me olhando e apertando minha cabeça e falando assim.

Roberto – Vai morena gulosa assim vou encher sua boca com minha porra, não para não, vai vai ai que tesão de mulher.

Quando notei que ele estava quase lá parei e falei

Eu- Agora é a sua vez vem beber champanhe na minha buceta.

Deitei e derramei champanhe no meu corpo no seios ele beijou lambeu, depois na minha barriga e assim foi até jogar na minha buceta e de deliciar com sua língua quente.

Eu- Vai chupa a buceta dessa vagabunda enfia a língua lá dentro quero gozar na sua língua hoje vai vai.

Eu estava sentindo um tesão louco e não aguentei aquela língua beijando chupando a buceta meu grelo minha coxa cheguei no primeiro orgasmos da noite que homem maravilhoso que língua.

Eu – Vai Robertinho chupa minha buceta vai gostoso cupa assim assim estou gozaaaaandoooooo.

Assim estremeci contorci sentido uma descarga de energia pelo meu corpo, não podia deixar ele sem nada então era a minha vez pedi para ele colocar a camisinha como não tinha experiência ficou perdido acabei ajudando mas no final tirei de uma vez queria sentir aquele membro virgem dentro de min, coloquei ele sentado na cadeira e sentei no colo de frente para ele que delicia já estava toda lubrificada não teve dificuldades de entrar senti ele todo dentro de min e a carinha dele de felicidade estar transando me beijou e assim começamos um vai e vem frenético falei no seu ouvido.

Eu- Quando for gozar me avisa e tira de dentro você esta sem camisinha e não quero ser mãe agora.

Ficamos nessa posição e depois fomos para cama sempre dando dicas a ele uma mulher gosta disso daquilo, me pegou de quatro em pé na parede de papai e mamãe e quando estávamos no bem bom ele avisou que o gozo estava chegando tirou rapidinho de dentro da minha buceta e gozou no meu seios que delicia aquele esperma quente caindo no meu seios, espalhei com a mão e pedi para ele lamber meus seios sujo com seu esperma e assim ele o fez que delicia fiquei com mais tesão ainda, comecei a chupar seu pinto mole para limpar e deixar ele duro novamente, não demorou partimos para o segundo round, ele sempre me perguntando não estou te machucando gata, esta gostando do meu pau.

Eu- Vou te adotar você é gostoso demais, sua avó vai te perder quero você lá em casa.

Ele não falou nada só socava aquele pinto dentro de min que delicia e assim ficamos no motel até 1h da manha, ele gozou 4 vezes no meu seios barriga bunda costas, eu também gozei umas quatro saímos cansados daquele motel deixei ele na sua casa e fui dormir acordei o outro dias quase 11 h com o telefone tocando era ele.

Roberto – Fala gata bom dia gostou da noite.

Eu – Bom dia estou acordando agora não foi um sonho então risos, brincadeira estava uma delicia quando vamos repetir a dose.

Roberto – Sonho foi meu sair com uma mulher dessas, quando você quiser estou de pinto duro só de conversar com você.

E assim termina essa aventura, eu toda dolorida da noite anterior mas feliz e querendo a próxima.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.