"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Devendo as prestações da casa propria


autor: rio55
publicado em: 08/08/17
categoria: incesto
leituras: 2669
ver notas


Estou casado a mais de 6 anos com a Vanessa, uma mulata linda, cabelos alisados e um corpão de deixar muita garotinha no chinelo, sou moreno, 1,87 de altura, carioca e atualmente com 43 anos, a minha esposa é mais nova 6 anos do que eu.
Moramos em uma casa de vila, próximo a rua do catete no rio de janeiro todos os dias saímos juntos para trabalhar.Sempre no final da tarde, passo no trabalho da minha esposa para voltarmos juntos para casa. Naquela quinta feira quando chego ao prédio dela, encontro a minha sogra junto com a filha me aguardando na calçada, recebo as duas com um largo sorriso e já no carro comprimento a minha sogra Raquel, uma mulata baixinha bem bunduda, seios fartos, já chegando nas casa dos 55 anos.
Chegamos em casa por volta das 19 horas e convidamos a minha sogra para jantar com a gente e também se quisesse poderia dormir e só sair no dia seguinte, o que ela prontamente aceita, fui tomar o meu banho enquanto ela na cozinha conversava com a filha sobre os problemas que estava passando em função da pensão pequena que o meu sogro tinha deixado para ela, e principalmente confidenciou a filha sobre as prestações da casa que estavam atrasadas já há três meses com risco de perder a casa.
A noite no nosso quarto, minha esposa contou-me tudo e logo eu me prontifiquei a retirar um empréstimo no banco onde poderia saldar todo a divida atrasada da minha sogra como também iria quitar o imóvel dela. Minha esposa ficou maravilhada com a ideia e confidenciou também que tinha uma surpresa mais do que merecida agora e deitando na nossa cama mostrou a sua xoxota totalmente depilada e como um louco cai de boca na xoxota dela procurando o seu grelinho rosado chupando sem parar e mordendo a pontinha dele, fazendo ela subir pelas paredes, fui beijar a sua boca enquanto colocava as suas pernocas no meu ombro e deixava o meu caralhão bem na portinha da sua buceta e olhando nos seus olhos falei do nosso amor e logo soquei o pirocão até o fundo fazendo ela virar os olhos e com estocadas fortes fiz ela gozar sem parar sentindo o meu caralhão rasgando as suas entranhas, virei o meu corpo e coloquei ela sentada cavalgando o meu pauzão puxei ela pelos cabelos e beijei a sua boca engolindo a sua língua enquanto socava o dedo no seu cuzinho que piscava sem parar, fudemos muito até que gozamos gostoso e ela caindo ficou descansando enquanto eu fui tomar um banho gostoso e pela fresta da porta percebi que estávamos sendo observados o tempo todo.
Tomei o meu banho coloquei uma samba calção de seda que eu tenho e fui até o quarto de hospedes dar a noticia para a minha sogra, mas ela estava tomando banho na suíte do quarto aproveite e fiquei olhando pela fechadura da porta vi a minha sogra peladinha debaixo do chuveiro dentro do box de vidro tocando na sua buceta cabeludinha enquanto apertava forte os bicões dos peitões me deixando com o caralho durão mais uma vez de proposito bati na porta do banheiro dando um susto absurdo na coroa que parou o que estava fazendo enquanto do lado de fora eu informava que precisava falar com ela urgente. Ela saiu toda cheirosa e nervosa sem saber se tinha escutado algo ou ela gemendo de tesão. Sentei na cama colocando o travesseiro no meu colo que tentava em vão esconder o meu caralhão durão. Pedi que sentasse ao meu lado e falei sobre o que ela tinha contado para a sua filha, e ela toda envergonhada falava que não era para sua filha ter falado nada , tranquilizei minha sogra e falei o que iria fazer por ela, que abismada e super feliz pulou no meu colo me beijando de genro tesudo e com toda esta euforia fez o travesseiro ir longe e sentando no meu colo percebeu o estado que eu estava, ficamos nos olhando e aproveitando o momento passei a mãos nas coxas da minha sogra e subindo toquei no seu peitão beliscando o biquinho que estava todo ouriçado, e ela gemia pedindo para eu parar que não fazer aquilo, e beijando o seu pescoço e arriando uma das alças do seu vestido falei que seria o meu pagamento por ajuda-la e ela me chamando de safado filho da puta fechava os olhos e já suspirava a cada chupada e mordida que dava no seu bicão, arriei a outra alça e com os dois peitões para fora chupava hora um hora o outro enquanto abria as suas coxonas e procurava a sua buceta cabeluda e dedilhava o seu grelão que deveria dar uns dois da filha, meti o dedo bem no fundo da sua buceta que estava toda molhadinha a coroa transpirava sexo, transpirava tesão debaixo daquele vestido longo, fui deitando o seu corpo na cama levantei o seu vestido e mergulhei a boca na sua xoxota lambi muito todos os seus lábios e depois procurei o grelão tocando forte ele com a ponta da língua fazendo a coroa suspirar e gemer gostoso me chamando de louco de maluco mais que estava muito gostoso, chupei forte a ponta do seu grelo enquanto ela lambuzava toda a cama com o seu gozo que escorria sem parar, molhei o meu dedo na sua calda e procurei o seu cuzinho que piscou se fechando enquanto ela quase gozando pedia para tirar o dedo da bunda dela, que nunca foi tocada assim, e que nunca o meu sogro chupou a sua buceta muito menos tocou no seu cuzinho, virei as coxonas dela deixando ela de ladinho e alternei chupadas no grelo, e lambidas em toda extensão da xoxota da coroa e ainda meti fundo a língua no cuzinho dela deixando ela louca e sem aguentar mais ela gozou enchendo minha boca com todo o seu gozo, deixei ela de ladinho toda ofegante e fui ate o seu rosto e fiquei passando a ponta do meu caralhão na boquinha da coroa que com os olhos arregalados agarrava a minha piroca com tanta força que chegava a machucar. Desci pelo seu corpo mordendo forte os seus seios deixando chupões roxos nela e mais uma vez busquei o seu cuzinho até chega a sua xoxota que lambi e mordi o seu grelão sem parar, a coroa louca esfregava as coxas dizendo que estava passando mal que eu tinha que parar senão ela teria um troço, fiquei de joelhos atrás dele e fiquei passando aponta do caralhão na porta da sua buceta e outras vez na portinha do seu cuzinho e ela louca me pedia para meter com cuidado que há muito tempo ela não sentia uma pica na sua xoxota, e sem perder mais tempo fui empurrando a jamanta dentro da coroa que revirava os olhos agarrando os lençóis e socava a cara no travesseiro, me posicionei gostoso atrás dela e meti no fundo daquela xoxota suculenta enquanto puxava os seus cabelos, e ela me chamando de gostoso pedia para fazer tudo que eu fazia com a filha dela, segurei na sua cintura e mandei a vara nela bem forte e bem rápido fazendo ela apertar as coxas e gozar mais vez, e sem folego ela gemia e pedia para eu parar que ela não aguentava mais fazer nada, e com o caralhão todo lambuzado coloquei na portinha do cuzinho da coroa e fui forçando e ela chorando pedia para eu tirar que estava rasgando ela no meio, e rapidamente tirei do seu cuzinho e soquei fundo na sua xoxota fazendo ela esticar todo o corpo enquanto agarrava o travesseiro e tentava esconder o seus gemidos, meti muito nela e esticando o meu corpo para o alto gozei forte e gostoso dentro da coroa que sem folego buscava o ar enquanto recebia o meu gozo nas suas entranhas, deitei exausto perto dela beijei muito a sua boca fui no banheiro tomei um banho gostoso enquanto ela como a filha ficou estirada na cama com os peitões de fora e com a bunda empinada. Sai do banheiro meti a língua no seu cuzinho mordi a sua bunda e fui subindo pela suas costas mordendo e lambendo ela toda e chegando na sua boca beijei ela mais uma vez e fui para o meu quarto.
No dia seguinte no café da manhã minha esposa comentou se ela tinha gostado da surpresa, e logo a minha sogra não só agradeceu tudo que tinha acontecido como também falou para filha que arrumaria um jeito de me pagar por tudo que estava fazendo por ela e quando a sua filha foi para a sala olhei para a coroa e disse que estava pago, mas ela safadamente me falou que iria pagar muito mais e em varias prestações.
tivemos uma noite de amor e sexo absurdo onde chupei muito a xoxota dela e meti muito naquele rabão dela e pela freta da porta do nosso quarto pude percebe que alguém nos olhava pela fechadura. Logo depois que transamos, fomos tomar banho e no chuveiro falei com a minha esposa que queria falar esta noticia para a sua mãe o que ela prontamente aceitou, saímos do banho e logo depois minha esposa estava dormindo um sono pesado depois de toda a nossa farra.
Fui ao quarto de hospedes e entrei pegando a minha sogra secando o seu corpo ao sair do banheiro, nos desculpamos um com o outro e pedi que sentasse na sua cama e ela querendo sair pedia para eu esperar que iria colocar uma roupa e eu pegando forte no seu braço pedi que ficasse que precisava falar algo muito serio com ela. Falei o que iria fazer com as suas prestações atrasadas e que iria quitar o seu imóvel já que só faltavam seis prestações e ela maravilhada me abraçou segurando a toalha amarrada somente na frente



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.