"Os mais excitantes contos eróticos"

 

O homem do elevador


autor: PaulistaSafada
publicado em: 30/07/17
categoria: hetero
leituras: 2089
ver notas


Olá leitores, bom faz tempo que eu não escrevo pois Minha vida tem mudado muito ultimamente.

Meu apelido é Cah, tenho 18 anos recém completados. Morena , baixinha, peitos grandes, coxas grossas e bumbum arrebitado.

Mas vamos ao conto.

Eu mudei de casa junto com minha mãe e fui morar em um apartamento, e no começo não gostei da ideia pelo fato de não ter tanta liberdade. Enfim, nas primeiras semanas foi tudo muito normal, éramos a novidade do prédio ja que tínhamos acabados de nos mudar. Eu comecei a reparar nos outros moradores e tudo muito comum, conversava com alguns com o papo de sempre, bom dia e boa noite apenas.

Até que num dia eu entro no elevador e me deparo com um homem mega cheiroso, branquinho e com a barba bem feita, a minha primeira reação foi olhar ele de cima a baixo. Ele era aquele gordinho musculoso sabe? Com cara de marrento, de superior e principalmente dominante (o tipo que eu adoro). Bom ele estava olhando pro celular e assim ele ficou, não falou comigo apenas fingiu que eu não estava ali. Mas quando chegamos no térreo ele levantou o olhar e me olhou de um jeito que eu estremeci. Depois foi descendo o olhar e parou no meu decote, já que eu estava com um vestido curto de alça colado no corpo e ele foi abaixando até chegar nas minhas pernas grossas. Ele nem se quer disfarçou. Eu dei um sorriso irônico e sai do elevador.

Com o passar dos dias a rotina seguia a mesma coisa, alguns dias nos encontrávamos no elevador, outros na entrada e assim ia. E com esses encontros casuais comecei a retribuir os olhares ja que eu estava muito atraída por ele.

E é ai que começa o conto queridos. Sabe àqueles dias monotos que você pensa que nada vai acontecer? Então. Resolvi sair pra correr ja que estava super entediada e a noite estava agradavel, coloquei um shortinho cor de rosa e um cropped combinando, pois adoro mostrar meu corpinho hahaha

E sai pra correr, depois da corrida parei numa praça sentei e descansei. E quando olho pro lado tem um carro com vidros escuros parado, fiquei apreensiva e depois de alguns segundos sai o homem do elevador, arrumado e cheiroso como sempre. Ele se aproxima, sorri pra mim e me fala:
- Você é a mulher do elevador.
- Sou sim, a que voce nunca disse nem um "oi" e sorri ironicamente.

Ele pediu desculpa e se apresentou, o nome dele era Marcelo, por fim papo vai e papo vem, ele me ofereceu uma carona para voltar para o predio e eu já com segundas intenções aceitei.

Entramos no carro e seguimos o caminho, quando estávamos no carro era nítido que queríamos algo a mais. Nos conversavamos assuntos banais e ele aproveitou que precisava trocar marcha  para tocar na minha perna e foi fazendo isso algumas vezes. E eu ja estava ficando excitada com os toques dele. Então paramos num sinal vermelho e ele tocou minha perna e deu um leve apertão. Eu não satisfeita peguei a mão dele e levei até a minha buceta pois eu não queria so o toque eu queria era fuder com ele.

Enquanto o sinal ainda estava fechado e a mão dele na minha buceta apertando e acariciando de leve eu percebi que o pau dele estava cada vez mais duro. Sem perder tempo coloquei a mão no pau dele e cheguei bem próximo ao ouvido dele e sussurei com uma voz bem sensual : "Eu quero e você quer?". Ele pareceu ficar maluco com tais palavras e assim que o sinal abriu seguiu o caminho e eu sempre alisando, beijando o pescoço dele e provocando.

Chegamos na portaria do prédio e nos recompomos, entramos no elevador e ele me perguntou seu eu queria ir ao apartamento dele e eu logo disse sim.

No apartamento começamos a nós beijar loucamente. Ele me jogou na parede e começou a beijar meu pescoço e eu ja acariciando o pau dele com vontade. Depois me levou até a sala de jantar e me colocou em cima da mesa com as pernas abertas. Eu já estava louca de tesão querendo que ele me pegasse gostoso.

Então ele começou a tirar meu cropped e colocou meus peitoes pra fora e começou a chupar e eu gemia e pedia mais, sem pensar ele começou a tirar meu short e minha buceta ja estava molhadinha ele começou a me chupar e eu só conseguia gemer.

Issoooooo, ai que deliciiia, vai Marcelo chupa sua puta vaiiii

Quanto mais eu falava, mais tarado ele ficava e me chupava mais gostoso e eu gozei gostoso na boca dele e ele chutou todo meu mel.


Eu me abaixei pra retribuir a delícia de gozada mas ele tava interessado em me fuder.

Ele me deixou deitada na mesa e tirou aquela rola grossa e deliciosa pra fora comecou a brincar passando a rola dele na minha  buceta e ele dizia

Implora vadia, pede pra ser fudida gostoso

Vai por favor, mete com força na sua vadia


E ele colocou sem dó, me fazendo gritar e eu queria mais e ele metia com tanta força que eu só conseguia gemer igual uma cadelinha. Depois de eu gozar mais uma vez, ele me colocou de quatro e começou a me fuder mais forte enquanto me batia o que me deixava mais louca de tesão (sim eu adoro levar tapas).

Quando ele disse que ia gozar, rapidamente abaixei e abocanhei aquele pau delicioso e chupei com gosto até ele gozar muito na minha boca e eu engoli tudinho como a boa mocinha que sou.

No fim eu e o Marcelo estávamos esgotados e fomos tomar um banho e dar mais uma foda.

Depois disso, toda semana vou no andar do marcelo pedir uma xicara de acucar hahaha.


Beijos e até o próximo conto.






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.