"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A filha da minha namorada


autor: VadinhoSantos
publicado em: 20/07/17
categoria: traição
leituras: 5414
ver notas


Amigos e amigas, tenho um relacionamento com uma coroa linda e gostosa há mais de um ano, ela tem uma filha de 19 anos e um filho de 21. O carinha é tipo boyzinho, adora rolê e está sempre com a turma dele. A filha, Ana Maria é toda recatada e mais caseira. Ana Clara, a minha namorada é uma adorável maluquinha, é a festa aonde vá.

Nós moramos a cerca de 1 hora e meia um do outro e praticamento só nos vemos nos finais de semana. Ela não quer largar o emprego dela e eu não posso largar o meu e assim vamos vivendo.

Num certo dia, cheguei na casa da Clara, todo mundo a chama de Clara e raros de Ana Clara, e ela não estava, a porta estava destrancada entrei e chamei por ela, Ana Maria logo respondeu dizendo que a mãe ainda não havia chegado do trabalho, estava bem atrasada. Liguei no celular dela e caiu na caixa postal. Bem, fiquei tranquilo, subi para o nosso quarto e me troquei.

Quando sai do quarto percebi que a Ana Maria estava no banho e tinha largado a porta meio aberta e não pude resistir a dar uma espiadinha. A parede do box é transparente e pude vê-la linda e gostosa como é, meu pau respondeu na hora. Fiquei ali apreciando e quando ela desligou o chuveiro sai rapidinho e desci para a sala.

Liguei novamente para a Clara e depois da terceira tentativa ela respondeu. Perguntei o que estava acontecendo para ela se atrasar tanto e ela me falou de um serviço urgente que tinha que fazer e que não ligou pois o celular tinha descarregado e demorou para ela achar alguém que tinha um carregador compatível. Ela ainda falou que iria demorar bem umas duas horas para terminar o serviço. Não pude fazer nada, liguei a tv e procurei um filme para assistir.

Nisso Ana Maria desce e está com um shortinho e uma blusinha mal cobrindo o corpo. Senta-se ao meu lado e pergunta se gostei do que vi, eu gaguejo e ela me diz que me viu espiando-a no banheiro. Eu me faço de desentendido e ela novamente pergunta se gostei. Olho bem nos olhos dela e digo que adorei e queria ver mais. Ela levanta a blusinha e me mostra aqueles peitinhos lindos, eu pego neles e começo a alisá-los.

Logo estou chupando-os com tara e gula.

Minha boca vai de um seio a outro enquanto minhas mãos descem pelo corpo dela chegando ao shortinho. Toco a bucetinha por cima do shortinho e procuro alcançar a calcinha dela. Aliso a bucetinha por cima da calcinha e percebo que já está bem molhadinha.

Ela então me afasta e tira a minha camisa e me beija gulosamente, vai descendo a boca pelo meu peito até chegar na minha barriguinha de chopp. Ela tira a minha bermuda e passa a morder o meu pau por cima da cueca. Ele está duríssimo. Tiro a cueca e ela passa a mamar gulosamente, primeiro passando a língua na cabecinha, depois deslizando a língua por toda a extensão do meu pau chegando no saco e enfiá-o todo na boca. Volta à cabeça do pau e começa a enfiar todo na boca.

Como meu pau é tamanho normal ela coloca-o todo na boca e sobe sugando-o, fica assim enfiando na boca e tirando até eu pedir para parar para não gozar. Ela não obedece e acelera o movimento, não consigo segurar e gozo naquela boca sedenta enchendo-a de leite, ela não desperdiça nem uma gota e ainda lambe os beiços.

Deito-a no sofá, tiro a calcinha dela melada de tesão e passo a chupar a bucetinha que já havia me inspirado a tocar algumas punhetas. Brinco com a língua no grelinho e ela geme e me deixa com mais tesão ainda, sugo aquela bucetinha como se fosse a última do mundo, ela então tem um orgasmo que quase me sufoca pois prendeu minha cabeça entre as pernas e enfiada na buceta.

Ela então volta para o meu pau e em pouco tempo deixá-o em riste de novo e pede para eu deitar no sofá, deito e ela senta por cima engolindo com a buceta o meu cacete. Brinca um pouquinho com ele e começa me cavalgar feito uma égua no cio.

Aquilo me fez ver estrelas de tanto tesão. Aquela buceta mordendo o meu pau e os peitos que voltei a chupar logo deram resultado e explodi novamente num gozo que não achava ser possível. Ela gozou novamente e queria mais mas eu precisava de tempo afinal não sou mais um garotinho.

Nisso escutamos a garagem abrir. Peguei minhas coisas e corri para o banheiro social e ela subiu correndo para o quarto dela. Limpei-me como puder para tentar esconder o que tinha acontecido. Felizmente Clara não percebeu pois visivelmente tinha bebido - no trabalho? - e pediu desculpas, me disse que estava muito cansada e que no dia seguinte a gente se falava.

Fiquei com a pulga atrás da orelha. Depois de uma meia hora mais ou menos Ana Maria desceu e perguntou se estava tudo bem, disse-lhe o que tinha acontecido e a mãe dela já tinha ido dormir. Ela disse que Clara tinha tomado banho e que já estava na cama roncando. Fui até lá e vi que era verdade.

Ana Maria me esperou na porta do quarto e naquela noite ainda comi o cuzinho dela.
Fui dormir tarde da noite e Clara nem se mexeu quando deitei mas fiquei com uma pulga atrás da orelha, será?



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.