"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Dando a namorada para um desconhecido


autor: Katita
publicado em: 17/07/17
categoria: traição
leituras: 2045
ver notas


Lucas pegou o carro do seu pai escondido, tinha uma festa aquela noite e ele iria com a namorada e queria impressionar, quando parou em frente a casa de Agatha deu uma businada e esperou ela vir, a menina se despediu dos seus pais e entrou no carro, estava toda gostosinha de sainha rodada e blusa decotada, maquiada e com um batom bem vermelho, Lucas dirigiu até a festa, foi uma noite bem animada dançaram, beberam e se divertiram bastante, Agatha sempre provocante e Lucas doidinho pra comer sua namoradinha na hora de ir embora conseguiu convencer Agatha a passar num motel antes de ir pra casa, tinha de deixa-la em casa antes dá 1h, então tinham de ir logo.

No carro Lucas dirigia já com o pau pra fora bem duro e Agathinha punhetava ele, anciosa, doida pra te-lo no meio das pernas.

---- Amor chupa um pouco vai. - pediu ele.

---- A não você vai se desconcentrar dá estrada, dirige lá no motel eu te faço um boquete bem gostoso tá bom.

---- Não amor, chupa agora vai eu quero essa sua boquinha macia agora anda.

Ele a pegou pelos cabelos e não teve jeito de escapar Agatha soltou o cinto de segurança e teve que cair de boca no carro mesmo, a menina foi toda jeitosa envolvendo ele na boquinha e mamando na cabecinha a língua há passeando em volta dela, Lucas delirava de prazer sua putinha chupada como ninguém, Agatha engoliu ele todinho forçando o pau na sua garganta chegou com a boca até o saco dava muito tesão vê-la assim com a pica enterrada Lucas ficou olhando ela chupar e se distraiu e não viu o carro dá frente parando acertou com tudo na traseira dele.

----- Lucas!! Olha o que você fez! Eu não te avisei?!.

Agatha se recompos enquanto Lucas guardava o pau na calça, e o motorista do carro dá frente já vinha gritando pra perto do carro deles.

----- Olha o que você fez você moleque você é cego?!

Lucas desceu do carro e foi tentar se desculpar com o homem mas ele estava muito nervoso, e dizia que Lucas iria pagar o concerto do seu carro, Agatha sabia que o namorado não tinha dinheiro, a menos que pedisse para o seus pais mas Lucas pegou o carro escondido .

----- Voce me paga agora ou vou chamar a polícia!!

----- Espera a polícia não por favor... Vamos conversar .

Se a polícia viesse Agatha sabia que estariam mesmo encrencados pois haviam bebido e Lucas não poderia nem ao menos estar dirigindo, foi então que ela saiu do carro pra tentar ajudar.

----- Espera se acalmem vocês dois, vamos conversar, moço não tem um outro jeito dá gente pagar pelo estrago do seu carro.

---- Outro jeito?! que jeito se não tem dinheiro?!! - gritou ele nervoso.

---- Algumas coisas são melhores que dinheiro... - disse Agatha se insinuando

O homem coçou o queixo olhando para aquela belezinha, novinha o corpo todo durinho, coxas lindas bundinha empinadinha seios grandes que dava pra ver pelo decote.

---- Bom não sei se foi isso que quis dizer, mas tem um motelzinho aqui perto podemos ir até lá e você me paga pelo concerto no lugar do seu namorado, o que acha?

Agatha olhou para Lucas que ficou calado tentando pensar em outra alternativa, mas não conseguia pensar em nada.

---- OK acho que assim é melhor pra todo mundo. - disse Agatha- sem polícia, eu te compenso pelo estrago e todos saem felizes.

---- Ótimo então vamos. - disse o homem.

Agatha foi na direção do carro de Lucas e homem a segurando pelo braço.

----- Ei gracinha você vai comigo, quem me garante que no carro dele vocês não vão fugir e me deixar na mão... Anda vem.

Agatha e Lucas se olharam de novo e a menina foi pró carro do desconhecido, Lucas entrou no carro e dirigiu seguindo o outro carro preocupado com a sua namoradinha, apesar que não tinha tanto perigo assim o que ele queria dela a menina já havia concordado em dar mesmo,

No carro dá frente o homem dirigia de olho na belezinha ao seu lado no banco do carona, com aquela sainha mostrando as pernas, o homem pois a mão na sua coxa e acariciou, Aghata sentiu um arrepio.

----- Qual seu nome mesmo? Acho que não nos apresentamos, me chamo Agatha caso queira saber.

----- Flávio, - respondeu ele subindo a mão.

----- Ei... Opa, opa onde essa mãozinha vai?

----- Fica quietinha lindinha.

A mão dele foi até sua calcinha e fez um carinho por cima dela bem na sua rachinha.

----- Pra onde vocês estavam indo com tanta pressa?

---- Saindo de uma festa... meu namorado ia me levar em casa, talvez passar num lgar puxouzinho antes...

---- Hum, então já ia dar mesmo - disse ele puxando a calcinha dela de lado - Só quem vai e come que mudou né gracinha...

O homem apertou a pepekinha dela acariciou com a ponta dos dedos Agatha ficou molhadinha com as carícias, os dedos grossos pressionando o seu grelhinho, sem penetra-la, ela mordeu os labios segurando um gemido.

----- Tá gostando né cachorra, não se preocupa não que daqui a pouco vou te dar o que você merece.

Agatha continuou calada e foi o caminho todo sendo masturbada pelo homem chegando no motel já estava quase gozando.

---- Você tá melada vai dar bem gostoso agora. - disse ele

Saíram do carro, e quando Lucas foi se despedir dá namorada falando que esperaria la fora ela se desesperou.

---- Não ! Você não vai me deixar sozinha com ele vai?! Você vai entrar com a gente!!

----- Tá louca quer que eu veja ele te comendo?

----- Só você não olhar mas tem que estar lá perto e se ele for um doido se quiser me machucar.

Ela até que tinha razão Lucas não podia deixar a namorada entrar sozinha com um desconhecido.

No quarto Flávio começou a beijar Agatha a agarrando na frente de Lucas que não tinha como não olhar, aquele cara beijando o pescocinho dá sua princesa e abrindo sua blusinha pelo decote puxando seus seios pra fora chupou um depois o outro, apertou os dois um em cada mão eram muito lindos, Flávio subiu as mãos por baixo dá sua sainha e desceu baixando sua calcinha.

---- Anda vamos pra cama... - disse ele.

---- Amor essa parte melhor você não ver - disse Aghata - mas fica no quarto não sai não caso eu gritar você vem.

Lucas olhou pra ela com os olhos arregalados mal acreditava noque estava havendo.

---- Vem vamos logo. - disse o homem com pressa a puxando pelo braço.- Com licença rapaz vou foder um pouquinho sua namoradinha e já, já te entrego ela OK.

Flávio levou Agatha ate a beira dá cama e a menina deitou boazinha e esperou enquanto o homem arrancava a roupa, quando baixou a calça Lucas pode ver o tamanho dá piroca dele Flávio foi com aquele negócio duro balançando subiu na cama, era bem maior que a sua, Lucas se afastou um pouco não queria ver aquilo, o quarto não era muito grande então correu pro banheiro para esperar lá, onde não dava pra ver nada do que iria aconrecer mas ainda dava pra escutar tudo.

---- Anda bebê abre bem ela pra mim...

----... Assim tá bom?

---- Não, abre mais... Isso assim tá perfeito, agora segura a perninha assim... Isso que bucetinha linda você tem, vamos ver quanto ela aguenta agora.

----- Vai de vagar por favor...

----- De vagar não bebê, eu gosto com força.

----- Ahh! ... Ahh,

----- Não fecha não bebê, anda abre mais assim , fica assim!

----- Ahh!! Calma , Ahh! Porra, Ahh!

Lucas ouvia com o coração acelerado sua novinha ser adestrada na cama, por outro macho, parecia estar sofrendo pra aguentar a pica dele, ficou com dó dela sempre quando a pegava fazia um amorzinho gostoso, de vagarzinho e agora ter de ser fodida assim.

---- ahhh! Aí! Ahhh! -ela gemia quase tanto quanto o colchão de mola já gasto do motelzinho barato em que estavam.

Lucas ouvia no começo apeensivo e depois com um pouco de tesão, seu pau começou a endurecer contra sua vontade, de ficar ali imaginando sua princesa em baixo de outro macho, dando feito uma puta qualquer.

---- Tá gostando né vadia! Anda vagabunda fala!

---- Ahh, ah, Ahuu! - gritava ela.

---- Anda fala! Pede pra eu te comer com força anda sua puta pede pau nessa buceta pede.

O pau de Lucas já estava quase furando a calça de tão duro, se sentia culpado por estar exitado daquele jeito mas não podia se conter como ali ninguém podia ve-lo tirou o pau pra fora e começou a se masturbar.

----- Vagabunda! Geme! Geme sua puta, geme bem auto no meu pau geme.

----- Ahhh! Caralho! Filho dá puta! Tá me arrombando! Ahh!

----- Isso putinha vou arrombar sua bucetinha toda , geme mais vai!

Lucas nu cá a tinha visto chingar assim na cama era até estranho ouvir sua cozinha doce dizendo aquelas coisas.

----Vai caralho! Fode ! Fode essa porra! Me arromba vai! Ahhh! Filho dá puta!

Lucas percebeu que a namoradinha havia se rendido e estava gostando de dar pra ele, o que o fez sentir menos culpa por estar batendo punheta ouvindo os dois.

---- ahhh! Eu vou gozar! - gritou ela - Ahiii ! Caralho!! Isso! Ahhh!

---- Vai putinha goza no meu pau goza! Isso.

A cama foi parando de ranger Lucas achou que eles haviam acabado.

---- Gozou né putinha .... Olha só a buceta meladinha, gostou do meu pau né vadia, não se preocupa vai levar mais ainda, vira a bundinha.

---- Virar?! Não atrás não!

---- Atrás sim anda vira esse cuzinho pra mim.

---- Não aí não, me solta, espera, Lucas !!

Lucas correu pró quarto ouvindo a namorada chamar, quando chegou lá Aghata estava de bruços com ele em cima dela tentando meter a pica e a menina tentando empurrar ele com as mãos para trás.

---- Amor me ajuda ele tá tentando comer meu cu. - gritou Agatha- Amor ! O que você tá fazendo com o pau pra fora tava se masturbando?! Não acredito, tava se masturbando ouvindo ele me comer?!

Lucas não respondeu nada ver ela assim naquela situação, toda indefesa prestes a ser enrrabada a força, seu pau ficou mais duro ainda é Lucas há não sabia se queria mesmo salva-la.

----- Segura as mãos dela pra mim. - pediu o homem.

Lucas sem conseguir resistir ao tesão de ver a sua princesa dando o cú, agarrou seus braços, e a imobilizou pró seu macho poder foder.

---- Amor o que você tá fazendo?!

Lucas não respondeu e Flávio abriu a bunda dela com as duas mãos e mirou o pau bem naquele buraquinho apertado, quando Agatha sentiu o cabeção no seu cú tentando entrar seu cuzinho trancou de medo, mas aquele troco foi entrando centímetro por centímetro, abrindo seu cu arrombando suas pregas.

----- Ahhh!!!! Meu cu Porra! - gritou ela

----- Pronto putinha, boa menina entrou tudo tá vendo só como seu cuzinho é guloso... Agora vamos arrombar ele um pouquinho, se prepara.

---- Não! Espera! Ahhh! Ahiii!

Flávio começou a bombar o rabinho delacom aquela piroca enorme arrombando o cuzinho todo.

---- Aguenta amor... - disse Lucas segurando nas mãos dela, o pau estourando de tão duro.

Agatha olhou pró namorado, morrendo de tesão era um corno mesmo como podia sentir prazer vendo outro cara fazendo aquilo com ela se era isso que ele queria, então tudo bem, Agatha decidiu se soltar um pouco mais relaxou o cuzinho já arrombado e deixou o pau entrar.

----- Vai seu puto, fode, come meu cuzinho vai, come, arregaça sua puta!

Lucas estremeceu de vê-la agindo assim soltou seus braços e Agatha empurrando Flávio com a bunda até conseguir com o pauzão atolado no seu rabo.

----- Agora sim, me come sem dó pra esse corno ver como se faz!... Aprende amor.

Lucas se levantou e ficou assistindo Flávio pegar sua princesinha de quatro, embalou com a pica nela e comeu seu cú com toda a força meteu o mais que pode, o corpinho dela se tremia todo a cada enfiada que levava, o homem ia até o talo plantação o pau todinho no cuzao dela cada vez mais arrombado, e Lucas vendo a cena batendo uma punheta vendo a namorada ser destruída bem na sua frente.

---- Isso putinha, tá vindo , tá vindo vou gozar no seu cuzinho.

Ele deu uns tapas bem dados naquele rabo lindo enquanto enchia seu cu de porra, a menina sentiu aquele leite quente escorrer dentro dela foram várias esguichadas Agatha ficou rebolando no pau dele até ele gozar tudinho, quando Flávio tirou o pau seu cú ficou piscando e escorrendo porra de tão melado.

----- Pronto rapaz é toda sua agora. - disse o homem se levantando.

Agatha tentou se levantar e Lucas a empurrou de novo pra cama.

---- Onde pensa que vai agora é a minha vez.

----- O que como assim?! - disse ela enquanto o namorado a colocava de perna aberta.

O pau estava pulsando de tão duro e ela com a xana meladinha dá foda que tinha levado entrou fácil, Aghata estava cansada mas decidiu dar pra ele depois de tanta pinheta que bateu não ia mesmo durar muito, logo ia acabar gozando.

Eram quase quatro dá manhã quando o carro parou em frente a casa dá moça, e a luz dá sala ainda estava acesa, Agatha destrancou a porta com todo cuidado mas seu pai estava esperando acordado.

---- Isso são horas menina!!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.