"Os mais excitantes contos eróticos"

 

História Quentes – Capitulo 1


autor: Publicitario45
publicado em: 17/07/17
categoria: hetero
leituras: 1915
ver notas


Laurinha é o tipo bela, recatada e do lar. Casou-se cedo por conta da pressão da família que acha que namoro sério deve virar casamento logo. Pele branca, boca em desenhada, olhos claros, cabelos ruivos e um belo corpo, Laurinha passou a viver sozinha assim que Pedro, seu marido, passou a viajar de caminhão com o pai.

Na mesma época, João, primo do seu marido veio morar na casa deles rara cursar faculdade de agronomia e para economizar uma grana, aceitou morar num quarto e banheiro que havia no fundo do quintal.

Laurinha sempre sentiu falta do marido, casal novo transava quase todos os dias. A moça do interior tinha um fogo que parecia só aumentar e o tempo que o marido ficava fora fazia seu corpo ferver de tesão.

Certo dia Laurinha chegou do supermercado e viu João tomando um banho de mangueira. Fazia muito calor e ela nem percebeu seus olhos observando aquele corpo de pele morena, forte, de 1,80 de altura. Seus olhos grudaram naquela imagem e ela só voltou a si quando
João a chamou pelo nome.

- Laurinha! Tá tudo bem?

- Oi?

- Você esta ai parada... tá tudo bem?

- Sim. Vou guardar as compras.

- Quer ajuda?

- Não precisa.

Laurinha entrou apressada e só quando chegou dentro de casa sentiu seu coração disparado, a boca seca e um calor entre as pernas.

Resolveu tomar um banho para acalmar o vulcão que existia dentro dela e inconscientemente se masturbou debaixo do chuveiro até gozar pensando no corpo do primo.

No dia seguinte Laurinha acordou tarde, estava apenas de camisola de seda e nada por baixo. Ao abrir a porta que dava acesso ao quintal da casa, viu João cuidando do jardim e da horta da casa. Insistentemente ele andava sem camisa ostentando um porte físico invejável.

- Bom dia primo!

João se virou para responder mas perdeu a voz ao avistar a mulher do seu primo apenas de camisolinha de seda.

- Bom dia!

- Quer café? Acabei de passar.

- Quero sim.

- Vem cá pegar, tá em cima da mesa.

João caminhou em sua direção e Laurinha foi comendo ele com os olhos, passou perto dela e os corpos se tocaram de leve, Laurinha sentiu o cheiro de suor e deixou escapar um leve suspirar.

- Tem pão, manteiga e queijo em cima da mesa.

João parecia nervoso, suas mãos tremiam, parecia que ele estava adivinhando o que estava por vir. A caneca caiu de sua mão e o café quente derramou em sua bermuda lhe arrancando um grito de cor.

Laurinha se levantou e correu em sua direção para tentar ajuda-lo.

- Tira essa bermuda. O café esta muito quente e deve ter queimado a sua perna.

João não pensou das vezes e num movimento rápido se livrou da bermuda ficando apenas de cueca. Laurinha ao se aproximar com um pano molhado, teve noção exata do tamanho do pau do primo, olhou fixamente enquanto lhe estendia os braços para entregar o pano umedecido.

João meio que sem pensar, puxou o pano e Laurinha de uma vez só e os corpos se tocaram pela primeira vez. os lábios sedentos pareciam travar uma guerra interminável, o beijo quente fez a temperatura da casa subir e Laurinha que já estava sedenta de tesão sentiu seu corpo tremer de sejo.

João a colocou em cima da mesa, soltou a alcinha do seu vestido e caiu de boca nos seus seio médios e rijos. Laurinha apenas gemia e forçava sua boca em direção ao seu corpo. João mamou um, depois o outro e Laurinha foi perdendo o controle da situação. Os dois estavam ali, se entregando e a porta da casa aberta, qualquer um poderia chegar e ver aquela cena, mas o tesão falava mais alto e nenhum dos dois queria parar.

Laurinha então puxou a sunga do primo e liberou a sua rola, ajoelhou-se e caiu de boca.
Tentou engolir os 20 centímetros de pica mas foi em vão, além de grande era grosso, cheio de veias e com uma cabeça enorme.

João gemia baixinho, Laurinha chupava o que dava com vontade e sentia sua boceta escorrer.

- Levanta! Ordenou o primo do seu marido.

Laurinha se levantou e João já virou seu corpo deixando ela apoiada com as duas mãos em cima da mesa e as pernas entre abertas. Rasgou a camisola com as mãos e já caiu de boca em sua boceta, chupou, lambeu o cuzinho, meteu um dedo na xaninha e Laurinha gozou pela primeira vez, sentiu suas pernas tremerem mas João usou seus braços fortes para ampara-la.

Levantou e colocou a cabeça na porta, Aurinha sentiu a pressão daquele pau enorme, muito maior do que do seu marido forçar, suspirou e mandou o primo meter com força.

João obedeceu e foi entrando, sua pica ia abrindo espaço e Laurinha sentiu um misto de dor e prazer. Depois do pau alojado por inteiro João começou a dar uma surra de pica na esposa do seu primo, metia com força, segurava suas ancas com as mãos e socava o pau inteiro se dó,

Laurinha gemia, pedia mais, rebolava no pau do primo e gozou inúmeras vezes até que João gemeu mais forte e gozou inundando sua boceta de porra quente.

Após o orgasmo um silencio tomou conta do ambiente. Uma mistura de satisfação e culpa tomou conta dos dois e João se vestiu e foi para o seu quarto enquanto Laurinha ainda com o corpo mole seguiu para o seu banheiro.






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.