"Os mais excitantes contos eróticos"

 

MEU TIO FUDEO MINHA MÃE NO BANHEIRO


autor: VIVICAPELLETO
publicado em: 21/05/17
categoria: incesto
leituras: 10245
ver notas


Oláaa pessoal, meu nome é Viviane conhecida pelos amigos como Vivi, tenho 25 anos, 1.76 de alt, 66 kil bem distribuídos entre seios, bunda e coxas, cabelos loiros e olhos cor de mel...

Hoje depois de muito tempo resolvi criar coragem e relatar um relacionamento incestuoso que desejei e sonhei desde meus 10 ou 11 anos com meu tio Stivy... Bom, desde meus 7 anos lembro-me bem de meu tio vir a casa de meus pais visitar-nos pelo menos 2 vezes no mínimo por ano, pois vivia no NY-USA... Eu por ser a única sobrinha na época era muito bajulada e mimada por ele, que a cada visita me presenteava com roupar e brinquedos de ultima geração... Nos dias ou semanas que ficava com a gente ele me enchia de carinho, me beijava, me abraçava e me punha no colo... Então depois de passar 2 meses com a gente ele foi embora e passou um longo tempo sem nos visitar, minha mãe diz que levou uns 3 anos... Após esse período ele chegou muito mais encantador e amoroso do que nunca, meu tio é lindo até hoje, mas ele era um homem perfeito, lindo, atlético, moreno bronzeado, olhos negros, cabelos encaracolados, bunda firme e redondinha, coxas bem torneadas e uniformes, um deus grego com certeza... Quando saiamos para passear ele chamava a atenção tanto de mulheres como de outros homens, que se virava para olha-lo disfarçadamente, na época eu não entendia, mas hoje sei que todos tinha desejos por ele, realmente ele era um tesão... Lembro-me que de meus 6 ou 7 anos eu subia na cumeeira da casa que era teto forro de madeira e espionava meu tio no banho por um espaço que tinha entre forro, era a coisa mais linda do mundo, ele era perfeito e que pau lindo, o mais lindo que já vi até hoje, ele o lavava arregaçando e botando toda a cabeça pra fora, que visão maravilhosa...

Então na visita do ano 2000, eu já com meus 10 anos, já sabia perceber certas coisa e tinha meu libido a flor da pele, tudo me dava tesão e eu ia ao banheiro me masturbar, aprendia todo tipo de sacanagem com minhas amigas lendo e vendo revistinhas pornográficas, como carreira e tantas outras, onde tinha mulheres babando paus maravilhosos e recebendo aqueles caralhões no cú e na buceta, minha bucetinha encharcava de excitação... Foi nessa época também que percebi que minha mãe deixava meu pai sair para o trabalho e se produzia bem sedutora, com shortinhos curtos ou calça leg, super apertado, que quase lhe mostrava a poupa da bunda e lhe volumava toda a buceta e vestia as camisa do meu pai e as amarava dando um nó na frente para que sua bunda e xoxota ficassem a amostra... Ela acordava tipo umas 7hs e preparava o café para o meu pai, ele saia nessa hora também para o trabalho... Meu tio também acordava só porque eu exigia que ele me levasse à escola, bastava meu pai sair com o carro da garagem minha mãe corria e vestia-se de piriguete, um dia punha short no outro calça justa, eu via aquilo, mas achava que ela só queria mostrar seu corpão tesudo sem mais intenções... Bem, nesse dia foi diferente, nossa casa tinha uma cozinha bem compacta onde para se passar um pelo outro tinha que se roçar mesmo sem dó, até encoxar mesmo... Minha mãe como todo dia correu e pôs um shortinho tomara que me foda e a camisa amarada na frente com apenas um botão abotoado deixando seus seios à amostra quando se movimentava, meu tio parecia nem ligar, eu o observava o tempo todo, mas nada demostrava...

Quando meu tio foi tirando a mesa do café com sua gentileza costumeira, passou por trás dela roçando seu pau naquela bundona, ela fechou os olhos sentindo e curtindo cada milímetro do volume mesmo mole no seu rabo e empinou o bumbum apertando contra o pau do meu tio e só abriu os olhos quando ele já tinha passado e tornando a fecha-los quando ele retornou roçando-a novamente, isso aconteceu umas 3 ou 4 vezes até ele tirar toda a mesa, nessa hora senti que ela desejava o cunhado, como eu desejava meu tio... Então observava se ele ficará excitado tipo de pau duro, mas nada, acho que ele respeitava meu pai, porque se eu percebia as intenções de minha mãe ele com certeza também sábia... Esse dia não consegui me concentrar nas aulas, meu pensamento era nos dois em casa metendo, trepando, imaginava ele fodendo minha mãe na buceta e no rabo, aquilo me dava uma mistura de sensações, ciúmes dele e um tesão louco de pensar nos dois trepando... Na 3 aula pedi permissão ao professor e fui ao banheiro e me masturbei gostoso... Os dias se passaram e a rotina era a mesma, tomar café, pai saia, mãe vira puta no vestir e meu tio parecia não dar bola para ela... Num fim de semana vi uma revistinha em quadrinho, que uma irmã começou a ter tesão no seu mano, e ela se vestia provocante e se esfregava no colo dele até ele ficar de pau duro e não aguentar, ai ela viu ele batendo uma punheta de tesão por ela e ela o provocou muito mais por vários dias até ele não aguentar e fuder ela...

Desse dia em diante passei a seguir a risca a revistinha, fazendo tudo que a menina fazia na revista, passei a me vestir provocante e sentava no colo do titio e roçava a bunda no seu pau, ficava de quatro sem calcinha e deixava-o ver minha bunda e minha xoxota, tocava seu pau como se fosse sem querer e o alisava rapidamente... Um dia meus pais saíram no fim de semana e eu fui tomar banho e de repente ele entrou sem querer no banheiro e me viu completamente nua, fico paralisado por instantes e seus olhos desceram rapidamente para minha bucetinha, pediu desculpa e saiu, logo depois terminei meu banho e ele entrou no banheiro, escutei barulhos estalados tipo tapas; plaafitt, plaafitt, plaafitt, e uns grunhidos abafados aaahh, oohh, uuhh, corri e subi na cumeeira e fui até a fresta sobre o banheiro, e que visão maravilhosa, ele estava em pé perto do lavabo se acabando na punheta, alguns minutos depois ele jorrou porra alucinadamente sobre a pia gemendo e grunhindo de prazer, oooh, aaah, uuuh, haaa, huuu, hooo, se contorceu e Splof, Splof, Splof, esguicho de porra explodia na pia como leite condensado, era tanta porra que ele levou um tempo tentando tirar da pia o creme leitoso e viscoso, depois se lavou e saiu, desci rapidamente vesti uma roupa e fui no banheiro, tinha um forte odor de porra tipo agua cândida, e ainda tinha pequenos lanho na pia e no azulejo, no cesto de lixo tinha papel todo golfado, não deu outra comecei uma siririca mas ele me interrompeu me chamando para passear, sai com a bucetinha toda melada... Agora eu sabia que ele tinha tesão ou desejo em mim, e eu iria por o resto do plano da revistinha em pratica aos poucos...

À noite já em casa todos nós reunidos após o jantar para ver TV, sentei no seu colo só vestindo uma saia e sem calcinha e passei a roçar no seu cacete e logo ele percebeu que eu estava sem calcinha e não pode se controlar, e o volume dele foi aumentando e latejando na minha bunda, fui seguindo cada passo em minha mente, e levei minha mão entre sua barriga e minha bunda, onde ninguém podia ver e passei a alisar seu pau, passava a minha mãozinha em toda extensão, alisava e apertava, ele tirava minha mão e eu colocava novamente, ele afastava e eu voltava, até que ele se rendeu e deixou eu alisar com vontade, senti um sussurro no meu ouvidinho, para Vivi vou gozar, hurmmm, hummm e senti um liquido fluir quente sobre seu shorts e melar minha mão, então ele murmurou baixinho, viu o que voc fez putinha, logo em seguida se levantou e foi ao banheiro... Na segunda-feira a mesma rotina a putinha da minha mãe se oferecendo no café da manhã etal...

Na escola inventei uma forte dor de cabeça e a diretora me dispensou mais cedo, fui a mil pra casa, hoje eu iria dar pra ele, eu senti no ar ao entrar em casa que tinha gente fudendo ali, ouvi um barulho no banheiro, conversas baixinhas e gemidos, corri novamente para cumeeira e fui pelo forro até o espaço no forro do banheiro, vi minha mãe de camisa aberta os seios expostos e de joelho mamando a pica do meu tio, que olhava pra ela e pra cima na minha direção e fazia caras e bocas de prazer, o som era excitador, Glug, Glug, Glug, Glug, Glug, Glug, ela chupando e engolia e quando tirava fazia, haaaaaaa e uma baba grossa escorria de sua boca e ela punhetava toda a extensão da rola, eele gemia num hooo, haaa, aaauu, aaaiiioo e xingava, chupa sua vaca, piranha, sua putinha, vagabunda gostosa, nãooo paraaa vadiaaa, depois de muita gulosa, ele ergueu minha mãe e a escorou no lavabo e meteu a rola nela por trás de uma só vez sem dó, ela deu um gritou e a estaca desapareceu coxas ou bunda a dentro e meu tio socava, tirava e batia na sua bunda com a rola e enfiava de novo, iaaak, funnk, aiii, uuuuii, oooh, ploooft, ploooft, fazia um vai e vem louco, quando minha mãe gozou suas pernas dobraram como se ela fosse cair, gritava me fodeeeee, meteeeetesãaa, gostosooo, tooogozandooo, tooogozandooo, meu tio a segurou pela cintura e continuou bombando até explodir um gozo fantástico, tirou de dentro e esguichava por cima dela, jatos de porra caia nas suas costas, na bunda e descia pelo rego, era ainda mais liquido que quando se masturbou, a pica ficava dando espasmos e a cada espasmo uma jorrada, foram pelo menos 5 até só escorrer e não mais esguichar, ele continuou alisando o pau esfregando o resto de porra por todo ele e depois espalhou a porra da bunda dela com o pinto ainda completamente duro...

Quando ele se afastou dela, ela virou-se e começou a chupa-lo novamente e logo fazia o mesmo som, Glug, Glug, Glug, Glug, Glug, Glug, seu pau continuava duro como ferro, então ela se sentou meio que na pia e ele socou na sua buceta linda novamente, ela gritava, issooo, isssooo, isssooo, memecomeee, mecomeee, fodeeeminhaaabucetaaa seu lindooo, meteeegostosooo, ficaram metendo por um tempo até gozarem de novo, seus corpos tremeram, deram espasmos ela ficou com os músculos rígidos e logo relaxou gemendo e gritando, tooogozandooo, tooogozandooo, haaa, hoooo, huuuu, aaaeeeiih , ele tirou o pau e punhetou até jorrar sobre ela seu leite viscoso, agora já em pouca quantidade e sem muita força no jatos, mas o suficiente para deixar lanhos leitosos em sua barriga e em seus pentelhos... Minha mãe se limpou com papel higiênico, colocou o short e amarrou a camisa, beijo-o na boca e saiu como uma cadela satisfeita, meu tio continuou ali se olhando no espelho por alguns minutos e lavou a pica na pia e se vestiu e saiu... Dois dias depois meu tio partiu e eu não pude mais aplicar o método da revistinha... Meu tio num período de 3 anos só veio mais 3 vezes nos visitar e passava um fim de semana e partia, sem comer minha mãe e com poucas chance de eu estingar ele...





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.