"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A amiga de infância.


autor: tvirus
publicado em: 15/04/17
categoria: romance
leituras: 2111
ver notas


Oi meu nome é Pedro , tenho 25 anos, 1.85 de altura, 90 kg, tenho boa aparência, caucasiano, cabelo e barba ruiva, corpo bem definido e um penis 23 cm.


Bom, minha infacia foi difícil, pois eu era muito alto, magricelo e cheio de espinhas. Digamos que eu era o cara que nenhuma garota queria ficar, mas também não significava que eu não podia gostar delas, e eu me apaixonava por várias garotas, mas só ficava na imaginação.

Mas tinha uma garota no meu prédio chamada de Júlia, nós éramos amigos desde os 7 aos 15anos, e por isso ela era muito legal comigo ela me abraçava, deitava a cabeça no meu colo, fazia cafuné em mim e etc. E foi assim por uns dois anos, até que eu resolvi pedir ela em namoro, ela recusou, ela não foi mal educada, mas quis deixar bem claro que não queria nada comigo e toda a proximidade que nos tínhamos se foi, e pior que por culpa minha.

Eu chorei por dias, mas aquilo também me motivou, a ser o que sou hoje, eu comecei a praticar esportes, intesifiquei meu tratamento de acne, e com 18 anos eu já era um cara completamente mudado já não era mas tão tímido, magro e não tinha nem mesmo uma marca de espinha.

Mas a Júlia já tinha se mudado a dois anos atrás e agente só tinha Orkut e MSN um do outro, e mais eu nem queria mas saber dela.

Eis que 8 anos depois de levar um fora, Júlia me dá uma cutucada no Facebook, eu a reconheci na hora e ela estava mais gata do que nunca, baixinha com um corpo violão, cabelo loiro com mexas pretas, rosto fino, um nariz pequeno e um pouco empinado, olhos castanhos bem claro, uma boca que da muita vontade de beijar e roupas legais (sério ela se veste muito bem toda a roupa fica muito sexy).

No facebook, ela falou pra gente sair juntos qualquer dia, eu respondi claro, mas nunca mais nos contatamos, até que um mês depois ela me liga me cobrando o dia pra gente sair, e eu disse por reflexo que sábado eu ia na praia com meus amigos e ela já responde dizendo que tá marcado.

Chega sábado e eu fico muito nervoso, meu amigo percebe e pergunta oque está acontencendo, e eu digo que a garota que a gente ia encontrar, era uma garota que eu era apaixonado, ele pegunta a quanto tempo e quando eu digo 8 anos ele começa a gargalhar, e eu acabo percebendo que realmente era idiotice e finalmente vamos ao encontro.

Chegando na praia ela já estava onde combinamos de nos encontrar, logo nos aproximamos nos cumprimentamos eu estava com 5 pessoa e ela estava com um casal. Depois de quase uma hora de encontro não conversamos diretamente um com outro, até que eu dou uma cochilada na praia e quando acordo só ela está sentada do meu lado e o resto está no mar, fica um climão, eu resolvo levantar, mas ela segura minha mão e fala com uma voz suave.

- fica aí, vamos conversar.

- conversar, sobre o que - respondo inquieto.

- sei lá, coisa tipo você tá namorando - ela pergunta dando uma risadinha.

- estou - respondo curto e grosso.

- não é o que diz seu perfil.

- estou namorando o mundo.

Ela começa a gargalhar e eu abro um sorriso.

- olha, ele sabe rir - ela fala.

Eu sento ao lado dela novamente e ela fala.

- você ficou bonito heim.

- você fico ainda mais gata.

Nos ficamos horas conversado assuntos banais, meu amigo de longe percebe um clima rolando e se despede levando a minha galera com ele.

Quando chegou o fim do dia, nós dois não conseguíamos dar tchau um para o outro, até que ela se despediu, me deu um beijo no rosto e me encarou, meu coração bateu mais forte, minha respiração ficou mais rápida, mas eu só respondi.

- tchau... Júlia - eu dei às costas e fui embora.

- EI, vê se não some - ela gritou acenando com o braço.

Eu sei você deve estar se perguntando porque eu não a beijei? Porque eu não podia estragar tudo denovo, ela estava comigo denovo, e não queria perder ela novamente. (Então botei na minha cabeça que nós só íamos ser amigos).

Continuamos nos encotrando, e cada vez nossa amizade se fortalecia, um mês, dois meses, um ano, nós já éramos melhores amigos eu já convivia com os amigos dela, ela já convivia com meus amigos, ela me apresentava as amigas que queriam ficar comigo e eu retribuia apresentando amigos que queriam ficar com ela. (Mesmo eu odiando ver ela com outros caras)

Até que um dia em uma festa no meu AP, ela estava agindo estranho, não deu bola, mas no meio da festa, quando eu estava beijando uma garota, eu vi ela, sentada ao lado de uma amiga quase chorando e eu me aproximei para consolala, mas antes mesmo de eu perguntar qualquer coisa, ela começa a me beijar, depois de uns 2 a 3 minutos ela para, me encara e eu começo a beijar ela.

Depois de um tempo dá gente se pegando, as coisas começam a esquentar e eu pergunto se ela quer ir para o meu quarto e ela responde sim acenado a cabeça.

Nos levantamos, ainda se pegando, fomos para o meu quarto, quando entramos ela rasgou minha camisa, eu em resposta rasguei a camisa dela e tirei seu sutiã, expondo seus lindos seios, não perco tempo jogo ela na cama e começo a apalpar e chupar os seios dela, com a outra mão começo a desabotoar a bermuda dela expondo sua bucetinha suada, começo a dedala e ela começa a gemer, começo a descer sobre o corpo dela beijando-a por completo até chegar na buceta dela, término de tirar sua bermuda e começo a chupar sua buceta, ela me abraça com suas pernas, começa a passar a mão na minha cabeça e a puxar meu cabelo, ela começa a ficar mais molhada ao ponto de transbordar, eu me levanto tiro minha bermuda e volto pra cima dela, dou um selinho nela, fico de joelhos, posiciono o corpo dela e começo a estocar meu pau até o fundo da bucetinha dela com muita força, ela começa a gemer bem auto. Depois de um tempo metendo forte, ela começa a gritar que vai gozar, eu continuo com o ritmo forte, ela grita, se levanta e me abraça forte com braços e pernas e dá uns gemidos no meu ouvido, ela me deita na cama me encarando e começa a cavalgar bem devagar e vai progredindo, até que ela começa a sentar com força, dando umas pausas, rebolando e gemendo gostoso, depois de um tempo com aqueles movimentos, quando não dava mais pra segurar o gozo eu me sentei, abracei ela com força contra o meu pau e gozei muito.

Ela ainda no meu colo, não saía de mim, nós dois ofegantes, ficamos nos encarando, até voltarmos a nos beijar, eu me deitei sobre ela, e ainda de pau mole voltei a meter nela, até que meu pau ficou duro novamente, fiquei metendo devagar enquanto nos beijavamos, ela arranhava minhas costas com suas unhas grandes, eu sentia os dedos do pé dela se apertando, devagar fui aumentando a velocidade, até que fiquei em um ritmo muito bom, ficamos de lado na cama e eu botei a perna dela em cima da minha, ela colocou a mão em meu rosto eu fiz o mesmo, ficamos nos admirando sem falar nada, só sentindo o momento, coloquei a mão na bunda macia dela e comecei a estocar com força, mas com algumas pausas, derrepente ela girou o corpo me colocando em cima dela novamente, ela segurou minha cintura me puxando contra a buceta dela. Voltei a meter com força e ela seguiu meus movimento, fazendo o sexo ficar mais gostoso, ela voltou a me abraçar com braços e pernas, eu passei meus braços por baixo dos braços dela, agarrei seus ombros, forçando ela contra meu pau, ela agora abraçando meu pescoço me puxou e começamos a nos beijar apaixonadamente, aquilo me deu mais tesão e meti com ainda mais força e ela a gemer mais alto, até que não aguentei e gozei, mas dessa vez fora, bem e cima do lindo corpo dela.

Quando terminei fiquei admirando corpo dela, tentei perguntar o porque daquilo, mas ela me disse de uma forma suave não fala nada so deita aqui comigo, foi o que fiz, e deitamos de conchinha e dormimos. Quando eu acordei ela não estava mas no quarto, eu senti o maior vazio que alguém pode sentir, acabei percebendo o quanto eu amava aquela garota e não podia deixar ela ir embora como fez antes, Fui para o AP dela sem nem tomar banho.

Quando já estava na frente da porta do AP dela, ela abre porta com um sorriso no rosto, eu abro um sorriso também, até que ela diz.

- OI. oque que foi.

- o que foi - falei com o sorriso sumindo.

- ...

- sobre ontem - falei com um pouco de raiva - sobre o que rolou entre nós.

- foi só sexo - ela falou como se não foce nada - um sexo muito bom. Mas só sexo.

Aquilo doeu mais que tudo na minha vida. Ter tudo oque eu tinha imaginado com ela ( ter 2 filhos, uma casa na praia, um gato e etc... ) resumido a só sexo, tirou meu chão, derrepente começa a cair lágrimas ilimitadas do meu rosto, ela tira o sorriso da cara.

- Pedro, você tá chorando - ela falou enquanto me abraçava e me levava para dentro do AP.

Sentado e um pouco mais calmo, expliquei tudo pra ela e uma amiga dela que estava com ela, infelizmente depois de muita conversa, o meu amor não era recíproco, eu consigui enteder ela pois já estive na mesma situação que ela, mesmo assim queria ir logo embora para chorar meus males, mas ela não deixava eu ir, preocupada com meu estado emocional, até que ela disse, que só iria deixar eu ir embora se levasse a amiga dela que morava para o mesmo lado que eu, não tive escolha a não ser levá-la, mas isso aí já outra história.



Bom escrever esse relato, foi bem mais difícil do que imaginei, não vou mentir mesmo depois de quase dois anos eu ainda amo essa garota.

Por favor, comentem, deixem alguma nota eu quero muito saber oque acharam do texto, também comente seu pior toco ( amor não correspondido ).










ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.